quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Por que não tenho mais surtos?

    Muitas vezes, nos comentários do blog, do youtube ou até mesmo por emails, muitas pessoas me perguntam sobre o que eu fiz para me livrar da esquizofrenia, dos surtos psicóticos, etc. Geralmente são familiares ou namoradas de esquizofrênicos procurando uma saída para esse problema. Algumas vezes os próprios portadores em crise, chegam até a mim perguntando se existe uma saída para esse transtorno. Infelizmente não tenho essa resposta, mas sinto-me honrado por me acharem capaz de ajudar em alguma coisa e procuro fazer isso da maneira que posso, pois já passei por alguns surtos e sei como é isso. Sei que não deve ser nada fácil para os familiares que lidam com isso pela primeira vez, pois a falta de conhecimento sobre o assunto é grande. É quase impossível convencer o esquizofrênico que está tendo o primeiro surto, de que suas alucinações visuais ou auditivas não são realidade, ou que a mania de perseguição é fruto de sua imaginação.
    Bem, a verdade é que não me curei da esquizofrenia simplesmente pelo fato de ainda não haver cura para essa patologia. Muitos chegam a comentar que não tenho nada, que estou super bem, ao verem os meus vídeos no youtube. Acho que muitas pessoas e profissionais da área de saúde fazem o diagnóstico apenas olhando o aspecto físico da pessoa, ou seja, se ela está penteando o cabelo, se está fazendo a barba, etc. A verdade é que alguém pode estar muito mal psicologicamente mesmo estando com os cabelos penteados e se vestindo adequadamente.
    Tem dias que me sinto bem, outros nem tanto e tem dias que não dá vontade nem de sair da cama. Quando sou acordado de um sonho então, nem se fala. Levo um choque brutal da realidade e fico muito decepcionado ao constatar que era apenas um sonho o que estava acontecendo. Me lembro até hoje de um sonho interrompido bruscamente pela vizinha barraqueira que estava brigando às sete horas da manhã. No sonho eu estava beijando uma linda mulher embaixo de uma árvore, coisa que eu não faço há tempos, nem embaixo da árvore nem em lugar nenhum. Ficar sem beijar faz mal a saúde, sem brincadeira. Um abraço então, nem se fala. Tem alguns posts no facebook que falam sobre os benefícios de um abraço.
    É muito frustrante acordar de um sonho, ainda mais quando temos uma vida monótona e com uma rotina entediante e que teremos mais um dia como outro qualquer pela frente. Aquele dia fiquei super chateado, pois o sonho parecia ser tão real e fui interrompido na melhor parte por uma briga de vizinhos. Não se pode namorar nem em sonhos?
    Mas, voltando ao assunto inicial, em que as pessoas questionam sobre a melhor forma de como se lidar com a esquizofrenia, digo simplesmente que não existe tal fórmula mágica. Cada caso de esquizofrenia é único, como disse o autor do livro ""Cadê minha sorte? "Não existe a esquizofrenia, e sim as esquizofrenias".
    Acho que não tenho mais surtos por que já passei da fase dos sintomas "positivos" e estou nos negativos. Ando meio apático, desanimado, sem vontade para fazer coisa alguma. Vou experimentar o ômega 3, pois além de dizerem que é bom contra a esquizofrenia, também ajuda a combater a depressão. Hoje sofro mais com a mania de perseguição, mas já não tenho alucinações.
    Preciso do ômega três também para diminuir os triglicerídeos, que estão bem acima do tolerável, que é 200mg. Atualmente o meu está na faixa dos 520mg. Infelizmente, sou chocólatra, me acostumei a comer  chocolate e tudo o que tem a substância que faz aumentar o bom humor. Ou seja, torta de chocolate, sorvete de chocolate, brigadeiro,etc. Pelo menos em mim o efeito é imediato, tudo fica melhor, acho graça em coisas que comumente não acharia. Se o ômega 3 der certo, compartilharei com todos aqui do blog. Não estou aqui incentivando as pessoas abandonarem o tratamento convencional e sim algo para complementá-lo, pois as pesquisas deram um bom resultado e não custa nada experimentar um produto natural que, além de tudo, faz bem ao coração. Se não der certo, vou experimentar a sertralina, apesar de achar horrível a ideia de que o meu humor dependa de um medicamento. Mas pesando os prós e os contras, é melhor depender do medicamento do que ficar se empanturrando de chocolate e correr o risco de ter um ataque cardíaco. Sem contar que chocolate é meio caro né?
    Um outro fator que sinto que contribui para a diminuição dos surtos é a idade. Já tenho 43 anos e me lembro de ter lido algo a respeito em algum site, se bem que não devemos confiar em tudo o que achamos por ai na web. Mas a maturidade ajuda em muitas coisas, deixamos de ser mesquinhos, temos outra visão de mundo, temos outros valores, etc. Claro que, se a pessoa não se tratar, provavelmente ela só irá piorar com o passar do tempo.
    O fato de tentar me cuidar da melhor maneira possível ajuda e muito a diminuir as chances de surtos. Procuro me alimentar bem, dormir bem (quando os vizinhos deixam), evito situações estressantes e evito bebidas e drogas. Sou um careta assumido, meio maluco de nascença mesmo. rsrsrsrs Tento também voltar a caminhar, mas ao invés da caminhada produzir endorfinas em meu corpo, é só a dor que ela provoca mesmo, acho que é coisa da idade , se bem que vejo um monte de gente com 50 anos fazendo caminhada no parque. Gostaria de saber quem inventou a frase de que a vida começa aos 40.
    Mas o principal fator para que eu não tenha mais surtos talvez seja o tipo de esquizofrenia que tenho. Acredito que o que eu tinha era uma esquizofrenia simples, que me atrapalhava um pouco nas relações do dia a dia, mas que dava para ser administrada. Apenas me achava um cara esquisito e muito tímido.
      Mas, certo dia, como um soldado que enlouquece em uma guerra violenta e sanguinolenta, eu tive meus surtos, devido a fatores externos muito estressantes. A sensação era de que estava em uma guerra mesmo, só que o bombardeio era mental, através de chacotas e calúnias. Isto realmente aconteceu, não foi fruto de minhas paranoias. Por motivos que até hoje desconheço, em uma certa cidade tive muitas inimizades, principalmente no trabalho e no bairro onde morava. Não aguentei a barra e minha mente começou a aumentar a realidade, até imaginar que o mundo inteiro estava contra mim. O surto não vem de uma hora para outra, é uma bola de neve que vai crescendo aos poucos e, quando damos conta, já estamos surtados.
    As pessoas naquela cidade sabiam o meu ponto fraco, que eram as palavras. Infelizmente, algumas pessoas viram o meu caderno em que eu fazia algumas anotações sobre os meus sentimentos e leram a parte em que eu dizia que uma palavra me feria mais do que uma flechada em meu coração. Elas contaram o fato aos vizinhos e, em pouco tempo, o bairro inteirinho já sabia do meu calcanhar de aquiles. Os meus desafetos e outras pessoas aproveitaram e começaram a fazer comentários maldosos a meu respeito perto de mim, com a intenção de que eu ouvisse mesmo, para assim me desestabilizarem. Com o tempo, passei a imaginar esses comentários aonde eu fosse e já não sabia distinguir o real do imaginário. A solução que encontrei foi levantar a bandeira branca e ir embora daquela cidade. Até me estabilizar, foi um longo processo, de idas e vindas por esse mundo cruel e desconhecido chamado esquizofrenia.
    Sai dessa guerra ferido, mas não morto. Hoje me sinto fortalecido com as experiências que tive e aprendi a não dar atenção a opinião alheia. Uma experiência de quase morte modifica completamente os nossos conceitos.Hoje sei filtrar as críticas, e gosto até de recebê-las, pois assim posso evoluir em algumas coisas. Às vezes, faço uma visita a essa cidade onde tive os surtos e inimizades, para mostrar que estou vivo, pois, quando pegava uma simples dengue, a cidade praticamente decretava minha morte, sem exageros.
    Se fosse para colocar uma porcentagem nas causas dos meus surtos psicóticos, diria que 35% se deu em razão dos fatores genéticos ou biológicos e 65% devidos aos fatores externos, que foi o bombardeio mental na cidade que prefiro não citar o nome aqui no blog, mas que relato no livro.
    Procurei então tirar uma lição de todos esses fatores externos que desencadearam os surtos, e hoje, mais maduro, tenho a convicção que vale mais a pena abandonar a guerra e ter paz.
    Hoje, sou um pacato cidadão, um pouco anti social talvez, mas que procura ajudar as pessoas que estão passando atualmente o que passei anos atrás, como uma forma de retribuição pela solidariedade que recebi nos momentos mais difíceis. O amor, a solidariedade, o carinho e a atenção são tão importantes quanto os medicamentos no tratamento da esquizofrenia. Não adianta pagar o melhor psiquiatra, ir a melhor psicóloga, tomar os medicamentos de última geração se o portador não é compreendido e não tem o apoio de seus familiares ou amigos.

86 comentários:

  1. Admiro muito sua postura, dado que não é fácil dar a cara, muito menos falar da intimidade. Existe um pormenor, que gostaria de realçar. Embora as alucinações possam diminuir, ou até mesmo não se evidenciarem, o persecutório parece ficar de forma sólida, mais ou menos,vinculado ao corpo.Um abraço

    ResponderExcluir
  2. Obrigado por visitar o blog. Sim, a mania de perseguição ainda continua, inclusive está no texto quando eu digo que depois dos surtos os problemas não estão todos resolvidos:
    "Acho que não tenho mais surtos por que já passei da fase dos sintomas "positivos" e estou nos negativos. Ando meio apático, desanimado, sem vontade para fazer coisa alguma. Vou experimentar o ômega 3, pois além de dizerem que é bom contra a esquizofrenia, também ajuda a combater a depressão. Hoje sofro mais com a mania de perseguição, mas já não tenho alucinações."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu namorado esta com manina de perseguição, e diz que não confia mais em mim..Quero ajudar mais n sei o que fazer e lhe dizer na hora da crise

      Excluir
  3. É ainda não sofri muito com pessoas que queiram me ferir sabendo que tenho a doença mas acho que logo sofrerei, foi bom ler esse blog para eu ficar mais esperto quanto a isso, a pessoas que futuramente vão querer me prejudicar. Bom eu acho que os sintomas positivos são piores mas os negativos as pessoas não sabem que temos e ficam nos cobrando achando que somos burros por não conseguir resolver uma situação simples ou por não memorizar certas coisas então também acho os negativos terríveis.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Júnior, não fique muito encucado com isso não. Aquilo aconteceu comigo em um lugar onde as pessoas não tinham muito o que fazer e então se ocupavam em falar da vida alheia. Também havia a questão do trabalho, e, como na época eu ganhava mais do que o pessoal da firma, os outros funcionários dessa firma tentavam de todas as formas de me desestabilizar. Hoje estou morando em uma cidade maior e o pior já passou. Em relação aos sintomas positivos e negativos, realmente estou na dúvida se existe um pior do que o outro, acho que os dois são igualmente ruins.

      Excluir
  4. Oi,Júlio
    Parabéns pelo blog,pela lição de vida e por ser vc mesmo.Penso que o que não queremos que façam conosco ,não devemos fazer para com os outros e que não devemos deixar que outros ditem nosso modo de agir.Sim, a solidariedade e o bem são boas companhias ,como outras nesta viagem que é nossas vidas.E não importa se talvez os medicamentos sejam necessários,com certeza vc não dependerá deles ;serão ferramentas a mais neste processo.Mas,a sua parte vc está fazendo e está lutando e reagindo,crescendo ,se ajudando e buscando ajudar outros ( o que é bem legal).Não deixe de buscar outras alternativas e siga com esta mistura positiva ( que deu e dará cada vez mais resultados).Sabe que tive por um tempo ( um projeto de blog,como costumo brincar )pq foi por pouco tempo e fui descobrindo e montando sozinha e viajando literalmente e achei legal tbém pq ,a capa era igual a sua ( página principal,o fundo ).E outra o espaço musical tbém ficou bem legal e manda bem no gosto musical;não li na íntegra os textos-este acima sim.E vou voltar outras vezes então para ler e curtir as músicas.Mandou bem tbém nas observações/comentários feito em outro blog ( de um de seus mais novos seguidores...).Gosto muito de música ,então vou deixar uns vídeos e espero que curta tbém ( abraço sim é muito benéfico e importante ,pena que as pessoas estão ficando cada vez mais distantes umas das outras).O sorriso,terapia do mesmo ,do abraço são grandes aliados sim e são muito melhores ,é por aí.

    Até.

    http://www.youtube.com/watch?v=376IZYSvBG0
    Terapia do abraço ( tinha colocado no meu projeto de blog tbém...)

    http://www.youtube.com/watch?v=2tv_g8CT_HQ
    Three litle birds -Bob Marley

    PS : o cara do blog é do bem tbém ( às vezes se perde ...mas quem não se perde ou quem não tem seus defeitos;faz sentido ?!).

    Abraço.LUZ.

    ResponderExcluir
  5. Você é divertido Julio, é legal gente assim, que tenta ver o lado positivo nas dificuldades da vida.
    Eu entendo perfeitamente a sua dificuldade em arrumar uma namorada, é difícil. Eu por exemplo terminei o relacionamento com um esquizofrênico por causa da doença dele. Ficava um amor de pessoa e do nada sumia sem dar explicação por dias e dias e eu é que tinha que ir atrás, perguntar o que aconteceu, etc...Também eu peguei ele num site de relacionamento me traindo. Ou seja, não sei se foi por causa da doença, que tudo ele bota culpa na doença ou não, o certo é que ele apronta e nunca vamos saber se é por culpa da doença ou safadeza e mau caratismo do elemento.
    Bom, mas espero que você tenha sucesso nisso...
    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela visita ao blog e por me achar divertido. Realmente eu não sou muito de ficar lamentando as situações difíceis que passamos na vida. Algumas namoradas e amigas de esquizofrênicos já conversaram comigo pelo msn para tentar achar um meio de entendê-los. Eu digo que é algo difícil, pois às vezes nem eu mesmo me entendo, mas como no filme Mente Brilhante, se a pessoa gosta de verdade do portador e vice versa, com um pouco de insistência, compreensão e principalmente um diálogo franco, as coisas podem ser resolvidas. Mas se o cara fica te traindo na net ai fica difícil né? Em relação a arrumar uma namorada, hoje em dia não fico pensando muito nisso, deixo as coisas acontecerem naturalmente mesmo, apesar de sentir falta de uma mulher.
      Abraços e que você consiga um cara que te mereça.

      Excluir
    2. Pois é, é isso mesmo...o problema é que ele não se tratava, aí traía mesmo na cara de pau...
      Obrigada pela força, amigo. Sucesso pra vc.

      Excluir
  6. me disculpa pelos palavroes. mas tem coisa pior, do que alguem rir da desgraça dos outros ???? tu és um cara humilde, ainda bem que caiu fora daquele lixo de cidade. Tenha fé julio, bola pra frente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela força cara, desculpa eu excluir o seu post anterior, por causa dos palavrões. Nem é por mim, às vezes falo palavrões também, pois não sou nenhum santo. Mas achei melhor excluir pelo fato de outras pessoas estarem vendo também. Mas obrigado ai pelas palavras, há muito tempo que não ligo para a opinião das pessoas, a não ser que seja uma crítica construtiva, como a de uma professora que me deu umas dicas sobre alguns erros no livro que escrevi sobre os meus surtos. Tem algumas críticas que podem nos ajudar. Mas temos que saber diferenciar essas boas críticas daquelas vindas de pessoas que só querem te humilhar. Hoje já superei isso e estou em uma cidade melhor e maior, em que as pessoas não tem muito tempo para cuidar da vida alheia. Eu só levei prejuízo quando me preocupava com a opinião de pessoas que não merecem o mínimo de consideração de nossa parte. Força ai e também deixe de ligar para certos tipos de comentários, o que algumas pessoas querem mesmo é nos desestabilizarem mesmo, principalmente aquelas que fazem esses comentários justamente quando estamos passando perto delas para assim ouvirmos e ficarmos chateados com isso. Mas, tudo isso é passado e hoje em dia, aquela cidade para mim não existe mais, apesar de que lá tem muita gente boa, mas infelizmente a maioria, não sei por qual razão, gosta mais de cuidar da vida dos outros do que da deles. Obrigado.

      Excluir
    2. Ola Julio seu blog me tocou muito como vc fala as esquizofrenias!! tenho uma filha que tem essaa doença e eu as vezes fico sem entender pq ela é diferente e a chamam de refrataria, eu sofro ela sofre. Porem entrei aqui por acaso e o que tenho a dizer a vc parabens e muita força! um Abraço

      Excluir
    3. Os psiquiatras inventam várias definições de transtornos mentais. Quando não conseguem nem minimizar a situação, dizem que a pessoa tem esquizofrenia refratária, que é resistente aos medicamentos. Mas você já procurou uma outra avaliação de um outro psiquiatra?
      http://entendendoaesquizofrenia.com.br/website/?p=3728

      Excluir
    4. Acho que estou doente. Me dei conta disso quando me mandaram matar meus animais, pois eles são meus únicos companheiros. Vivo totalmente isolada, não quero pessoas por perto. Até há alguns dias atrás achava que era uma médium passando por uma fase introspectiva (4 anos), mas qdo comecei a buscar um jeito de matar meus bichinhos vi que havia algo errado. Estou me sentindo perdida, completamente...

      Excluir
    5. Procure ajuda..não tente resolver isso sozinha

      Excluir
  7. Oi! Você alguma vez já se sentiu mal a ponto de se cortar ou algo do tipo? Espero sua resposta. obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em relação a se cortar isso não aconteceu comigo não, mesmo durante os surtos, pelo que pesquisei, isso pode acontecer com pessoas com transtorno bordeline. O que acontece mais com os portadores de esquizofrenia é a tentativa de se tirar a própria vida, principalmente durante os surtos. Tentei algumas vezes durante os surtos, pois estava enxergando inimigos por todos os lados, e, naquele momento, a melhor solução seria tirar a minha vida, pois não teria como lutar contra tantos inimigos que estavam em minha mente.

      Excluir
  8. Júlio, tenho 18 anos e a dois fui diagnosticado com essa doença. Mesmo após a melhora do surto sentia um sentimento de paranoia muito grande. Tanto que não aguentei a escola, passei um ano trancado, pensando que todo mundo me detestava, tanto que perdi contato com quase todo mundo que conhecia, pois achava que vigiavam meu computador.Nesse ano eu tive uma melhora muito boa, tanto que hoje, vivo a maior parte do tempo como se não tivesse nada. É claro que tem situações que ainda meio que perco o controle. Nos últimos tempos cheguei até a pensar que nunca tive nada.
    Queria saber se é possível viver uma vida normal sem surtos.Bem do jeito que estou hoje.Além disso gostaria de saber se você se cobra ou já chegou a se culpar pela doença, pois sinto um sentimento de culpabilidade muito grande, por tudo que aconteceu. As vezes me acho um fraco por ter sucumbido as vozes, fora o sentimento de fracasso por não ter conseguido frequentar a escola.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Viver uma vida normal ou não depende muito de cada caso, e também se a pessoa tem condições de consultar com um bom psiquiatra. E, acho que por ter descoberto a tempo, as chances de se recuperar totalmente são maiores. E não precisa ter sentimento de culpa, a esquizofrenia não é um castigo de Deus, é uma doença como qualquer outra, só que ainda desconhecida pela ciência. Não é fácil lidar com a esquizofrenia, você não é fraco por ter tidos situações difíceis por causa dessa patologia, eu também passei e muitas pessoas passam também. O jeito é continuarmos lutando até que achem um tratamento melhor para esse transtorno.

      Excluir
    2. Eu sou esquizoafetivo, e acho que devia-mos em vez de palavrear e falar de uma coisa que poucos entendem deviamos ir ás profundezas do subcpnsciente e trazer cá para fora aquilo que mais doi, os sintomas para ajudar uns aos outros.
      O que é um delirio! E que é a aflição da alma.

      Excluir
  9. Júlio, tudo bem? Admiro a sua história de vida e a força que encontrou nisso tudo.

    Então Júlio, tenho um amigo que sempre foi uma pessoa maravilhosa, estudava pós graduação, trabalha, viajava, jogava futebol, tinha namorada, uma pessoa calma, um bom homem e um bom filho. Tinha uma vida normal como qualquer outra pessoa. De repente, ele começou a ter problemas no trabalho dele, a trabalhar muuito, a se sentir estressado e pressionado, começou a achar que tudo isso estava acontecendo porque estava sendo perseguido, que as pessoas eram falsas e queriam prejudicá-lo. Ele chegou a me perguntar se eu era uma espiã da FBI e se a nossa conversa estava sendo gravada... Ele ficava agitado, muitas ideias ao mesmo tempo, como tivesse insatisfeito... (eu não percebi que era sintomas de uma doença, cheguei até a pensar que era um estresse ou coisa do tipo) A todo o momento ele falava que a minha máscara ia cair (eu não entendia o porquê). Ele foi internado e chegaram até a pensar que ele tinha ingerido drogas (coisa que ele não faz), ficou internado 1 mês no CAPS e saiu com diagnóstico de surto psicótico agudo causado por estresse, no período de 2 meses já estava ótimo, nem parecia que tinha ficado doente, era outra pessoa. Continuou com a medicação durante 7 meses por que o psiquiatra solicitou, depois desse período deixou de usar por recomendãção médica mesmo. Quando foi dois anos após essa crise, ele passou novamente por momentos conflitantes na vida amorosa e desestabilizou completamente, tendo que ser internado durante 1 mês e hoje se encontra bem, em casa e tomando os remédios prescritos. Está afastado do trabalho há uns 5 meses.
    Júlio, que doença é essa? Os médicos falaram que não podia dar o diagnóstico de esquizofrenia, porque os sintomas tinhas que permanecer no período de 6 meses consecutivos. Eles falaram que eram surto psicótico agudo. O que é isso? Ele terá esses surtos a vida toda? Tem que tomar remédios a vida toda? Desde já, obrigada.

    ResponderExcluir
  10. Olá! Estava de madrugada procurando informações sobre surto psicótico, e encontrei seu blog. Gostaria que me respondesse, pois preciso muito de sua ajuda. Eu e meu marido vivíamos juntos a um ano, ele tinha algumas manias de organização, mas jamais achei que fosse grave. Ele teve alguns estresses grandes, como a partida da ex-mulher que não os deixa ver as filhas. Ela pratica a alienação parental. Recentemente, o imóvel no qual ele está investindo tornou-se uma furada, ou seja, não tem previsão de conclusão. E últimamente vínhamos discutindo muito por bobagens. Ele foi usuário de drogas, maconha, por 20 anos, mas há alguns anos não utiliza mais, inclusive, já chegou a ser internado por um surto, no passado.
    O que aconteceu, é que depois de uma noite maravilhosa, numa festa de são jõao, chegamos de madrugada em casa. No dia seguinte, como ele não me deixava dormir, acho que dormimos pouco mais de 2 horas, acabamos discutindo... foi aí que tudo começou. Ele começou a me chamar de preguiçosa, a falar dos problemas sociais das pessoas preguiçosas, e discutíamos muito. Depois fomos ás compras, e ele ficava me alfinetando, diminuindo o tempo todo, na frente das pessoas. Brigamos muito nesse dia, mas nos reconciliamos umas 3 vezes e ele novamente voltava a me diminuir. Uma obsessão sobre minha fidelidade, fazendo perguntas absurdas e tão obscenas, que tenho vergonha até de comentar. Á noite, a situação era descontrolada, ele gritava na casa, e eu só dizia que estava lá, com ele. Comecei a pedir a Deus uma orientação. No dia seguinte, achei que passaria, mas foi pior, acordei com ele sussurrando no meu ouvido, coisas assustadoras, como se eu tivesse maquinando para matá-lo aos poucos. Ele passou a manhã inteira me xingando, me ofendendo, gritando comigo, eu não aguentava mais. Olhar enlouquecido, as vezes suas feições se contraiam num choro, eu tinha vontade de abraçá-lo, mas não conseguia. Fui ao mercado, e quando voltei, ele me pôs pra fora de casa. Disse que eu era a decepção da vida dele e tal. Chamei um casal de amigos para me ajudar, fui p casa deles, a noite, meu marido me ligou algumas vezes, não atendi. No dia seguinte, comecei a refletir sobre oque aconteceu, e não sei oque fazer. Nos falamos hj, e percebi o quanto ele ainda está transtornado, sei que ele está sofrendo,pois está só. mandei algumas mensagens para os familiares dele, pedindo ajuda, mas só hj alguém me respondeu. A irmã dele mudou o n telefonico, por isso ficou in acessível p mim, e tive que ficar a disposição do facebook. Meu amigo, pra voce que ja passou por surtos, oq faço? Estou perdida. Até meus amigos ficaram assustados com o estado enlouquecido dele, parecia possuído, e muitas vezes achei que poderia até me agredir fisicamente. Me ajude.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sinceramente a única pessoa que pode ajudar é ele próprio. Reconhecendo que não está bem e que precisa de ajuda. Parece que ele está com mania de perseguição e meio surtado, e, nessas situações é difícil conversar com a pessoa, para mostrar que o que ela está pensando e sentindo não faz parte da realidade. Ele já fez tratamento alguma vez?

      Excluir
  11. Sim, quando foi entenado em 2009, de lá para cá ele n toma nada. Fico preocupada que ele não volte, ou que tenha sequelas. Como vc parou de surtar? Vc toma medicação?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não tomo mais medicações, eu parei de surtar acho que por dois motivos: primeiro,pq evito sempre situações estressantes, e, depois acho que passei para a fase dos sintomas negativos da esquizofrenia, que é a apatia e o desânimo. Peça para ele ver o filme mente brilhante.

      Excluir
  12. Olá novamente... meu marido continua internado, acho que ele começou a melhorar... Mas muitas coisas passam pela minha cabeça, se devo ou não voltar a morar com ele, se devo continuar com nossos planos de ter uma vida juntos, filhos e tal. Ainda estou na casa de uma amiga, mas não posso ficar aqui por muito tempo, pois ela logo ganhará bebê e precisará de espaço. É uma situação bem complicada, espero que ele fique bem, mas ele me deixou numa posição um tanto quanto delicada. Me deixou na rua. No hospital ele diz o quanto sente minha falta, e se comporta como se eu fosse voltar como se nada tivesse acontecido, mas e se ele surtar de novo e fizer a mesma coisa? As coisas que ele me disse e a atitude dele, sabendo que eu n tinha família a quem recorrer, minhas coisas na rua... Caro amigo, estou com medo, apesar de saber que ele n estava no juízo dele e de amá-lo. Gostaria mesmo de saber oque fazer...

    ResponderExcluir
  13. ola parabens pelo excelente trabalho, tenho uma grande amiga q a mais ou menos 3 anos atraz comecou a ter os surtos, sofro muito com a situacao dela pois gostaria de poder ajuda-la e nao sei como, so sabemos q e esquizofrenia pq o pai dela e, pois a psiquiatra suspendeu a medicacao e diz que ainda nao tem um diaguinostico fechado, gostaria se tem auguem ai possa me orientar o que fazer p ajuda-la. obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Sheila, muitas vezes o diagnóstico é difícil mesmo, principalmente pq alguns sintomas da esquizofrenia também existem em outras patologias, como a bipolaridade. Mas ela atualmente está sem medicamento? Se está sem medicamento, e está tendo surtos, já pensou em mudar de psiquiatra?

      Excluir
  14. Sou amiga de um lindo rapaz esquizo, um amor, lindo de corpo e alma, ele diz que sou sua namorada, mais não me sinto como tal, pois sei que é uma confusão, o pior é que estou vivendo esta confusão, não sei mais o que é real ou minha imaginação, sou mais velha que ele 15 anos, por isto nosso relacionamento não prospera. Tenho medo.

    ResponderExcluir
  15. Em relação a idade não vejo nenhum problema. Já em relação a esquizofrenia ele toma os medicamentos? Está estabilizado? Pois você relata que o relacionamento é uma confusão, e me parece que talvez ele ainda esteja tendo surtos.

    ResponderExcluir
  16. Sou pai de um jovem com 25 anos. Quero ajudá-lo. Eu o amo. Fico sem saber o que fazer na hora que está em surto. Ele grita muito. Tenho lido o seu blog. Ajuda a gente a pensar sobre... Você já leu os textos de Gilles Deleuze? Muita saúde para você.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, realmente é um pouco difícil ajudar e conversar quando uma pessoa está em surto, mas o mais importante você está fazendo, que é buscar informações. Esse site tem boas informações
      http://www.psicosite.com.br/tra/psi/esquizofrenia.htm
      Depois irei dar uma olhada nos textos que você me indicou. Obrigado.

      Excluir
  17. Oi Julio, tudo bem ? adorei o seu blog, o conteudo, as perguntas, a maneira como voce responde, parecia que estava falando comigo e tirando muito das minhas duvidas.
    Estou procurando informações de como conviver e qual melhor caminho seguir com uma pessoa que tem mente persecutoria, ele é meu namorado, que neste momento nem sei mais se ele é, por que ele some, desaparece, o celular so da caixa postal, e quando ele aparece é como se nada tivesse acontecido.
    Ele há 6 anos atras fez tratamento com o psiquiatra, e levava bem, agora ele acha que todos da familia estao contra ele, não aceita a tomar remedio e mais se sente mais forte e mais poderoso que Deus...
    Eu vou na psiquiatra faço minhas sessões para saber como reagir com ele, porque o que mais quero é que ele volte para o tratamento.
    Julio me responde uma coisa, quando a pessoa esta com a mente confusa, você tem sentimentos ? ou esta completamente fora do mundo real ?
    Sinto que cada dia tenho menos ele presente comigo no mundo real
    Voce se medicava com qual remédio ? teve muito efeito colateral ?
    Voce já ouviu falar de uma injeção que toma somente 1x no mes ?
    Desculpa te fazer tantas perguntas e mas agradeço muito por voce ter aberto este canal de comunicação e imagino o quanto voce ajuda as pessoas que estao perdidas.
    Aguardo sua resposta.
    Um abraço
    Renata

    ResponderExcluir
  18. Obrigado Renata pela visita ao blog. Eu queria muito ter a resposta de como se lidar com uma pessoa que está com esses pensamentos persecutórios. Como você mesmo relatou, quando estamos surtados ou em crise, desconfiamos até mesmo de nossas famílias e amigos. Eu já ouvi falar de dois medicamentos injetáveis. O haldol e o invega
    http://entendendoaesquizofrenia.com.br/website/?p=4716&cpage=1#comment-3516
    Bem, se a pessoa está surtada, creio que ela continua com os sentimentos sim, mas, dependendo do grau do surto, ela vai estar mais preocupada com os seus pensamentos persecutórios. Por exemplo, se uma pessoa está pensando que muitas pessoas estão contra ela, que estão querendo matá-la, etc ela não vai pensar em outra coisa a não ser como resolver esse problema.
    Eu já tentei vários medicamentos, todos com muitos efeitos colaterais. O melhor nesse caso é ter um bom e paciente psiquiatra para ir tentando acertar a dose e o medicamento mais adequado para o caso de seu namorado. Geralmente demora um pouco para se conseguir isso, é preciso muita paciência de ambas as partes.
    Obrigado pela visita e esperto ter ajudado em alguma coisa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estou emocionada e frustada minha filha nao consegure nem lê e nem escrever ate pq os remedios nao da respostas !! Por favor meu email é diannagoes@gmail, se alguem tiver como conversar comigo e assim eu ajudar minha filha eu agradeço! Nao sei mais o que fazer!! Minha filha ta internada a dois anos e saiu da realidade de vez acho que os remedios so pioram o estado dela! Me ajudem.

      Excluir
    2. Olá Diana imagino como deve estar se sentindo. Na cidade onde você mora tem algum grupo de familiares de portadores de pessoas com transtornos mentais? Caso não tenha, no facebook tem um grupo bom, onde as pessoas, tanto os portadores como familiares trocam ideias e experiências.
      https://www.facebook.com/groups/onlineesquizofrenia/

      Excluir
  19. Julio, muito obrigada pelo retorno.
    o link que você me passou é excelente, ali tb tem um forum com muitas duvidas e respostas, cheguei a ver esse psiquiatra no Jo Soares , se interessar te envio o link tb
    1 parte da entrevista
    https://www.youtube.com/watch?v=iFck41LgZ60
    2 parte e final da entrevista
    https://www.youtube.com/watch?v=RxyWyJ002iI
    Julio se souber de mais sites e blogs que falem sobre o assunto e seja serio, por favor me informe.
    na verdade ja coloquei seu blog nos meus favoritos, e estarei sempre visitando.
    ah! uma pergunta, eu li nos seus depoimentos que voce chegou a ir em algumas religioes , e que não foi legal as experiencias que voce teve, mas e hoje voce tem alguma religiao, acredita em algo ?
    Estou perguntando porque tb nao sei o que recomendar ao meu namorado...
    Voce conseguiu identificar que voce tinha problema e por isso seguiu o tratamento ? um tratamento inicial forçado não dá resultado ?
    Aiii são tantas perguntas, se puder me responda.
    Mais uma vez muito obrigada.
    Um abraço
    Renata

    ResponderExcluir
  20. Olá, eu também tive a oportunidade de ver as entrevistas do psiquiatra no programa do Jô. Esse blog sobre esquizofrenia também é muito bom
    http://pacientepsiquiatrico.blogspot.com.br/
    Em relação a religião, como disse, pode ser algo positivo, mas isso depende muito da doutrina da religião, do grau de preparação do pastor e principalmente da própria pessoa. Infelizmente fui em algumas igrejas que pensam que qualquer transtorno mental é um problema espiritual. Mas em compensação tem ótimas igrejas com pastores muito legais. Eu acredito em Deus sim, só que no momento não sigo nenhuma religião.
    Eu só realmente tive a certeza que tinha esquizofrenia depois de estudar o assunto muito, após ler o laudo do psiquiatra quando fui fazer a minha primeira perícia no INSS. O tratamento forçado só acho recomendável em último caso, quando realmente a vida de pessoas e do próprio portador estão em risco. Algo que me ajudou e muito foi a informação. Ele já assistiu o filme mente brilhante? Esse filme me ajudou e muito a me entender melhor.

    ResponderExcluir
  21. Julio Admiro muito voce tenho esquizofrenia, Sou sua fan Continue com os seus Videos irmaosinho. Abraços Nalva

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Nalva por seguir o blog, mas sinceramente não me sinto à vontade quando estou de frente para uma câmera, coisa de esquizofrênico mesmo, Por isso que resolvi escrever o blog, estou dando um tempo no blog, até conseguir voltar para Belo Horizonte, pois não me sinto bem em São Paulo. Abraços

      Excluir
  22. Oi Julio, meu nome é Amanda, tenho 24 anos.. tenho visto seus videos e agora achei seu blog... tem sido uma luz pra mim e pra muita gente...Obrigado... em 2009 tive uma crise... acho que posso descrevê-la como desesperadora... eu nunca senti algo tão terrivel... foram loongos 2 meses... após esse surto fiquei com sérios problemas de memória ... eu tenho muuitas paranóias que eu sei que não é normal... me tornei uma pessoa extremamente emotiva... tenho uma certa cisma com algumas pessoas que me fizeram mal, mas é fora do comum... vozes me perturbam na minha cabeça e tenho estado muito desanimada, triste sem motivo aparente... como vc disse tem dia que eu tmbm não quero nem levantar da cama, é tudo irritantemente monótono... nunca fui num psiquiatra mas desconfio q tenho o transtorno... se eu descobrir que tenho... ficarei mais tranquila... me dará respostas pq ta tudo uma bagunça na minha vida... tenho um tio e uma tia que tem..talvez seja herança genética.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, obrigado por visitar o blog. A informação é o primeiro passo para se lidar com o transtorno, e isso você está fazendo, além de ter uma boa auto crítica. No meu caso demorei muito tempo para descobrir o que eu tinha. Acho que seria uma boa você se consultar com uma psicóloga para conversar e ver a necessiade ou não do tratamento. Em relação aos remédios, é um pouco complicado no início acertar a dose e o medicamento certo para cada caso. Também acredito que a genética possa influir em alguns casos. Abraços

      Excluir
    2. Acho que é o fator predominante na verdade...Julio, pra vc que faz suas andanças te sugiro Paranapiacaba... é próximo do ABC paulista... é um belo lugar, até o ar é diferente... muita árvore... só que se vc quiser ir até as cachoeiras procure um monitor se não vc se perde.. Sem duvidas é meu lugar preferido para por as idéias no lugar (se é que elas voltam) rs... procura no google.. vc vai gostar..

      Excluir
    3. Talvez seja mesmo, mas se a pessoa levar uma vida sem muito stress, talvez nem venha a desencadear um surto psicótico. Obrigado pela dica de passeio, mas voltei para Belo Horizonte, estava me sentindo um estanho na capital paulista, sei que não é culpa da cidade e de seus moradores, é mais coisa minha mesmo. Parece que a qualidade do ar atrapalha um pouco o nosso raciocínio. Obrigado.

      Excluir
  23. eu tenho esquizofrenia mais sofromuito com os surto as vozes me persegue muito e tinho vontade de ver sangue acho que as pessoas são todas mal tenho convusão e fico muito irritada quando alguem me faz fazer coisas que eu não quero tomar banho linpar a casa um monte de coisas me encomoda que posso fazer para lidar com tudo isso

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que o primeiro passo você já deu, que é admitir que tem algum tipo de transtorno mental. O segundo passo é procurar ajuda. Você faz terapia? O que você faz para ocupar o seu tempo?

      Excluir
  24. Olá Boa tarde! Na verdade eu vim procurar uma maneira de ajudar um amigo; vou descrever um pouco da história para você entender.
    Tenho um amigo, pelo qual eu tenho um carinho enorme, trabalhamos juntos, mas já fazem alguns dias que ele não vem trabalhar, na empresa e inclusive a família dele, todos o enchergam como "estranho" "diferente", mas eu sempre adorava as nossas conversar, maneira como ele via a vida e as pessoas, com uma ideia só dele e a maneira como muitas vezes ele conseguia quase me enlouquecer e no final de diversos assuntos, eu acabava concordando com ele, sim ele é completamente diferente de todas as pessoas que eu já conheci, ele acredita em "iluminat", acredita que o tempo todo tem alguem nos controlando, que sabe tudo o que fizemos, só come frutas ao meio dia; resumidamente para muitos ele é um lunático, mas para mim ele sempre foi apenas diferente, especial, me encatava as histórias e teorias dele, e recentemente devido a uma situação que aconteceu aqui na empresa, que para a maioria das pessoas seria uma "bobagem", ele surtou, simplesmente não quer mais vir trabalhar, diz que vão matar ele, que todos estão contra ele, que é uma conspiração, não fala coisa com coisa, está com um medo absurdo que eu não consigo entender "do que?", e devido a essas reações dele e analisando como ele se comportava antes mesmo desde surto, eu estou desconfiada que ele seja esquizofrênico e está enfrentando o primeiro surto da sua vida, ele é novo, tem 28 anos, extremamente inteligente, mas depois de uma bobagem na empresa, ele surtou, meu chefe tentou ir falar com ele na casa dele, disse que está extremamente preocupado, pois ele falou inclusive em "se matar", que nunca viu ele assim, que ele praticamente expulsou meu chefe, que não falava coisa com coisa, dai como eu e ele sempre nos damos bem, eu acho que eu era uma das poucas pessoas que ele conversava e afalava das suas teorias e eu ouvia e acreditava, decidi tentar me aproximar, mandei mensagens, dizendo que estava com saudades e saudades das nossas conversas, ele apenas me desejou boa sorte e disse que não voltaria mais para empresa, eu quero ajudá-lo, pois com base em tudo que li, e analisando ele, como ele sempre foi desconfiado para tudo e tal e este surto eu acho que pode ser esquizofrenia e que os pais dele nem imaginam, tenho medo que ele faça uma bobagem. Todos adoravam o trabalho dele, queremos que ele volte a trabalhar, quero saber, como eu posso me aproximar, como devo? Se devo comentar com os pais dele, que esse surto, pode realmente ser uma patologia, que eles precisavam levar ele em um profissional urgente. Por favor, tente me ajudar, me dizendo como devo agir com ele, estou realmente preocupada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pelo seu relato, as chances de ser um surto são grandes. O primeiro passo é informar os pais dele, para que não o julguem de forma errada( que está usando drogas, por exemplo). Infelizmente, durante o surto, tudo o que acontece em nossa mente é tão real que fica quase que impossível alguém nos convencer de que tudo o que está acontecendo é imaginação de nossa parte. Tente uma conversa com ele, olhe bem em seus olhos, mas não sei qual será a reação dele. Tente passar confiança, mas não diga que é " coisa da cabeça dele", isso geralmente não funciona. Mas converse só pelo fato dele sentir que tem alguém do lado dele nessa difícil situação. Agora, como fazer ele procurar ajudar médica por conta própria é um pouco difícil, mas fale com ele sobre isso, se puder, diga à ele que vai junto na psicóloga. Espero ter ajudado.

      Excluir
  25. Gostaria de saber se a pessoa que tem esquizofrenia tomando o remédio certo continuamente, e passando no psiquiatra, consegue voltar a trabalhar normalmente, e se consegue conviver bem com as outras pessoas, e se consegue namorar, casar e constituir família ?
    Grato pela resposta!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na minha opinião consegue sim, mas tudo depende da gravidade da esquizofrenia e do primeiro atendimento. Se a pessoa tiver um bom tratamento de início, tiver uma família bem estruturada, não tiver uma vida estressante, as chances de recuperação são bem maiores. Como estamos no Brasil, a realidade é bem diferente, o atendimento no sus na área de psiquiatria é igual nas demais áreas, ou seja, péssimo. Por isso é necessário ter boas condições financeiras e uma família bem estruturada, a ajuda e compreensão dos familiares é muito importante. obrigado pela visita ao blog.

      Excluir
    2. Adorei sua resposta, e tenho que falar: Fico indignada com o tratamento recebido pelo Sus, tenho um irmão esquizofrênico, que depois de muita luta está tentando frequentar o caps, para poder pagar os remédios... Mas gente, o que é aquilo? ficar o dia inteiro sentado numa cadeira desconfortável, ou num sofá rasgado sem fazer um nada de interessante, de legal para a idade dele, que é jovem, só tem 25 anos. Senhor Jesus que revolta com o descaso por todos os lados do governo para com o povo brasileiro!!!!!!!!!! Mas, a gente vai levando...

      Excluir
  26. Olá!
    Bom, gostaria aqui de poder contar minha história. Quando eu tinha 16 anos eu tive um surto psicotico. Acreditava que pessoas podiam ler minha mente, vivi dessa forma até os 22 anos. Hj tenho 29 e tento me readaptar a sociedade mas sem muito sucesso. Sinto muita apatia para seguir qualquer projeto que monte pra mim. Tentei nesse intervalo de tempo arranjar empregos mas por ser "esquisito " fui tratado feito lixo em todos os empregos que arrumei. Enfim ainda continuo na luta, ainda com forte desânimo mas com vontade de seguir em frente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá
      Passei por isso também, é muito complicado pensar que as pessoas podem ler a nossa mente. Você parece que me descreveu em relação ao estado de ânimo. Estamos na luta, mas com vontade de seguir em frente, apesar do forte desânimo. É bem assim mesmo, vou tentando alternativas para melhorar o meu estado de ânimo. Mas vc ainda é muito jovem e os medicamentos estão melhorando com o tempo.
      Obrigado pela visita ao blog.

      Excluir
    2. Obrigado pela iniciativa

      Excluir
  27. Ola esta bem?
    Olha como te prometi .
    Voltei para lhe falar sobre Mim e Davi
    Nós estamos bem.
    Volta e separa mas ja não consigo ficar sem falar mais e ele tem progredido.
    Voltou a fazer academia e as crises não são mas frequentes.
    E voce como esta?
    Olha meu gmail. caso precise.rosapassos5873@gmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá
      Que bom que vocês voltaram. Pelo que li, ele pelo menos foi sincero, ao dizer que não sente nada por você. Mas se você se sente bem ao lado dele, e ele te respeita, por que não tentar?
      Por aqui está tudo bem, obrigado.

      Excluir
    2. nós nos separamos
      mas penso nele sempre
      mas tudo bem

      Excluir
  28. Respostas
    1. É muito difícil se fazer um diagnóstico na presença da pessoa, mesmo com várias consultas. E mais difícil ainda falar sobre isso apenas lendo alguns sintomas. Mas, pelo pouco que li, creio que você não tenha esquizofrenia não, talvez tenha apenas uma dificuldade em se relacionar com as pessoas. E ai tem que se auto analisar para ver de onde vem essa dificuldade. Procure conversar com um psicólogo para tentar achar a razão desse problema, mas pense muito se por acaso de primeira vierem com o papo de remédios. Infelizmente alguns profissionais só pensam em medicamentos para resolver tudo, quando a situação poderia ser resolvida de outras maneiras. Obrigado pela visita ao blog.

      Excluir
    2. Vlw cara obrigado pelas palavras e por ser tao prestativo ajudando os outros que Deus lhe de em dobro abraço!!

      Excluir
  29. Julio, gostei muito dos seu vídeos... me ajudou bastante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado por postar o agradecimento. Até hoje escrevo o blog por saber que ajudo algumas pessoas com o meu depoimento. É uma situação difícil, enfrentar as crises, o preconceito, mas não devemos desistir. Espero que goste também dos meus escritos. Abraços.

      Excluir
  30. Meu namorado esta com mania de perseguição, e diz que não confia mais em mim..Quero ajudar mais n sei o que fazer e lhe dizer na hora da crise..ele acaba o namoro e nao da segundos ele vem todo carinhoso. Não sei se é pq eu fico mantendo a calma e dou carinho a ele . Alguém pode me ajudar ??
    E qdo ele esta bem , vive dizendo que me ama muito

    ResponderExcluir
  31. Minha noiva teve um surto a 2 meses, no qual perdeu totalmente a noção da realidade, achando que queriam sacrifica-la, que estavam armando algo contra ela e duvidando que as pessoas são elas mesmas, no inicio foi bem complicado , após 1 semana tomando os remédios passados pelo psiquiatra, ela tem melhorado bastante, mas tem vezes que se irrita muito fácil, um objeto em um lugar x pode deixar ela desconfiada e irritada, estou tentando dar o máximo que posso de amor e carinho, mas não é fácil. Estou preocupado. Existe a possibilidade de ser algo passageiro? Ou será que ela vai precisar tomar remédios a vida toda? Essa é a minha dúvida.. terei que conviver com uma pessoa a vida inteira que de uma hora pra outra pode me estranhar.. só Deus mesmo para dar forças.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá
      Apesar de não saber o diagnóstico de sua noiva, posso afirmar que pode sim tomar os medicamentos por apenas um tempo. Claro que tudo depende da qualidade do tratamento e da gravidade do caso. Ela tem mania de perseguição, isso pode descobrir facilmente pelo seu relato, mas isso não quer dizer que ela tenha esquizofrenia. A mania de perseguição é bem mais comum do que pensamos.
      Em relação aos medicamentos, sugiro que leia a postagem sobre o tratamento que é feito na Finlândia, onde apenas 15% das pessoas com transtornos mentais chegam a tomar os antipsicóticos, e destes apenas a metade chegam a ter que tomar os medicamentos pelo resto de suas vidas. É um número extremamente baixo, em se comparando ao nosso país. Aqui está o link da postagem
      http://memoriasdeumesquizofrenico.blogspot.com.br/2015/03/dialogo-aberto-finlandia.html

      Excluir
  32. Olá, há mais ou menos um ano, meu namorado começou a ter delírios de perseguição, constante desconfiança, afirmava que as pessoas queriam mata lo, e não me reconhecia mais
    Ficou internado durante quatro meses, e após a saída ficou um tempo tomando os medicamentos, tendo melhora em seu quadro
    Porém a umas duas semanas, seu comportamento tem mudado, e ele tem apresentado os mesmos sintomas novamente
    Ele continuará tendo esses surtos pro resto da vida, que vem e vão ? Será que a internação é necessária de novo ? Como devo agir nesse caso, visto que ele mora sozinho, e sou a única pessoa mais próxima a ele

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá
      Não tenho condições de dizer o que irá acontecer com o seu namorado baseando-me neste breve relato.
      Mas posso dizer que as chances de melhora são muito maiores quando a própria pessoa reconhece que tem problemas e que precisa de ajuda. Sem esse reconhecimento, não adiantará muita coisa as pessoas em volta tentarem ajudar da melhor maneira possível. Esse reconhecimento, aliado à informação de fontes sérias, são ótimas armas no combate aos transtornos mentais. Os medicamentos podem ajudar, mas não creio que sejam necessários para toda a vida, como é indicado no Brasil. Acredito que eles, em alguns casos, servem para dar um tempo em nossas vidas e nos ajudar a pensar na situação.
      Procure ajuda, uma assistente social, ou uma outra pessoa, uma boa clínica, etc...
      Tente ajudar, mas não descuide de você também.
      Obrigado pela visita ao blog

      Excluir
  33. Boa tarde! Gostaria de saber sobre o omega 3, está tomando? sentiu alguma melhora?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá
      No momento não estou tomando, por questões financeiras. Mas, como já relatei em uma outra postagem, me senti bem usando este óleo. Mas ele sozinho não faz milagre, na época também estava fazendo exercícios físicos. E é necessário saber a procedência do ômega 3, já que depois que descobriram os benefícios, apareceram muitas marcas duvidosas no mercado.

      Excluir
    2. ola tudo bem
      posso saber aonde voce mora
      deveria comer sempre
      e tem um lugar que fornece gratuito

      Excluir
  34. Boa noite cara!!! Eu estou passando o mesmo q vc... o meu problema ja tem quase 9 anos!! e nao consigo uma solução, vir em sites q uma receita natural cipo de mil homens e argila vc ja tentou essa? Quero tbm tentar... mais hoje tou morando numa casa q nao tem nem fogao... e nao quero incomodar os vizinhos, ate mesmo fico meio cismado pra eles nao saberem!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá
      Respondi o seu comentário, mas não sei aonde ele foi parar. Resolvi comentar de novo pois pesquisei sobre essa receita e fiquei um pouco assustado com as contra indicações:
      As contra-indicações e malefícios são:
      Jamais pode ser usada durante a gravidez, pois tem efeito abortivo;
      É altamente tóxica, tanto que os índios costumavam usar o cipó mil homens para envenenar a ponta das flechas. Portanto, só use se for por indicação médica e não por mais de 30 dias;
      Nas mulheres, aumenta o fluxo de sangue durante a menstruação;
      Os obesos não devem consumir a planta, já que ela abre bastante o apetite;
      Pessoas com problemas no fígado ou pressão alta devem evitar o consumo.
      Fonte: http://www.remedio-caseiro.com/cipo-mil-homens-para-que-serve-essa-planta/

      Excluir
    2. Boa noite... mais nao se bebe... com a argila se poe na nuca!!! por alguns minutos!!! nada de beber...!!!Qro tentar isso mais no momento nao tou pudendo!!!

      Excluir
    3. http://www.curapelanatureza.com.br/post/02/2015/receita-natural-para-tratar-esquizofrenia

      Excluir
    4. e todo dia acender uma lenha... os vizinhos podem reclamar aq!!! mais preciso q alguem mim diga se funciona ou nao!!!

      Excluir
    5. olha pergunte ao dogma666 como ele esta se virando sem fogão

      Excluir
    6. A pergunta esta feita Dogma666. Aliás qual o motivo do nome? No meu caso eu não tenho fogão, mas almoço no restaurante popular, não sou muito bom na cozinha, sei fazer ovo cozido e miojo apenas, pois ovo frito tentei fazer uma vez e ficou todo espedaçado.

      Excluir
  35. Entendi, vou dar uma pesquisada nas marcas com calma, e tentar associar alguma atividade física, quero ajudar uma pessoa muito especial. Obrigada Julio! Que Deus continue abençoando você e seu blog.

    ResponderExcluir
  36. Boa noite Júlio, como vai?
    Eu havia perguntado sobre o ômega 3, ando bem triste, vou te contar minha história. A sete meses comecei um namoro a distância, meu namorado mora em SP, eu moro no ES. Hoje tenho certeza de que ele tem esquizofrenia. A primeira vez que fui a SP p/ gente se conhecer, ele falou do problema, e que teve um surto em 2009, porém via mais como uma crise de abstinência pelo uso exessivo de drogas (LSD), hoje em dia só usa maconha, tem uma vida desregrada numa republica da universidade onde cursa geografia. Não dei muita importância p isso, nem levei muito a sério, ele mostrou interesse em mudar de vida. Nos identificamos muito, depois ele veio, conheceu minha família, eu voltei lá, conheci a família dele, estava tudo perfeito, nos víamos a cada dois meses. Muito carinhoso e positovo, fizemos muitos planos e trocamos juras de amor eterno. Da última vez que veio p cá, foi p ficar 40 dias, p me agradar ficou só no cigarro comum, estava indo tudo bem. Mas quando completava 30 dias ele teve um surto, começou leve e foi se agravando (sem violência). No começo não entendi direito, quando me dei conta avisei imediatamente a família dele, o manti aqui o tempo que pude, escondi da minha família a fim de evitar constrangimento ou um trauma maior a ele. A família dele conseguiu comprar a passagem e antecipou sua volta, graças a Deus embarcou numa boa. Deixei claro o meu amor por ele, sua família me agradeceu muito e acredita na nossa união. Dia 16/1 começou o tratamento lá com remédio p dormir e risperodona, não fez muito efeito, a partir do dia 4/2 o médico trocou o remédio, passou a tomar fluoxcetina, teve sinais de melhora logo, voltou a dormir e não está falando tanto sozinho. Agora parece esse que está com os sintomas negativos. Não nos falávamos mais, quando dá a mãe dele manda noticias. Morro de saudades.. Agora que teve uma melhora, voltamos a nos falar, ele está bem frio comigo, indiferente, fala que quer terminar (estamos nos falando bem pouco pelo watts), não parece a mesma pessoa que conheci, sentimental e carinhoso. Fico triste e confusa, não sei se essa atitude é da doença ou se é consciente. No início, logo que retornou a SP falava em terminar (mas me chamava de amor,ainda mostrava um sentimento), dizia que namoro a distância era difícil e que estava na solidão e queria terminar. Eu sempre ponderei, frisava que o amava e que iríamos resolver juntos. Hoje perdi a paciência com as mensagens frias e respondi: disse a ele que me deixa muito triste e que ninguém era obrigado a nada, que vamos conversar pessoalmente, que não precisa ficar me alertando por mensagem. Estou com passagem comprada p ir p/ lá no carnaval. Em fim ando triste e com receio de como ele vai me receber, não sei se vou aguentar se ele me receber com indiferença.. só sei que preciso ir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá
      Os sintomas negativos são bem parecidos com os da depressão, talvez ele esteja passando por isso. Até hoje não ouvi falar em um medicamento que desse um bom resultado nesses sintomas. Já falaram em um chamado aripripazol, mas ele ainda é muito caro, dizem que custa 700 reais a caixa.
      Alguns medicamentos nos deixam assim também, sonolentos e apáticos e sem vontade de fazer nada. Mas como você afirmou que ele está tomando somente a fluoxetina, não creio que seja o caso, inclusive esse medicamento pode até atrapalhar o sono, por isso é indicado a tomar de manhã.
      Talvez ele também esteja pensando que não seja a pessoal ideal para você, por conta da esquizofrenia.
      Bem, não sou muito bom nas relações também, mas espero ter ajudado em alguma coisa.
      Obrigado pela visita ao blog.

      Excluir
  37. Olá! Estou imprecionada com a sua história é exatamente como a minha eu tbm passei exatamente por isso em uma cidade que não tbm não gosto de recordar !fiz o mesmo me mudei daquela cidade maisso tudo o que eu tinha passado lá não saia da minha cabeça e então eu comecei a ter transtorno! Nessa época foi muito forte fiquei muito mal via o mundo inteiro con trabalho mim !o governo o Facebook a TV todos falando de mim e não minha cabeça eu entendia que eles estavam me levando pra ser executada pois me consideravam terrorista!e eu ouvia vozes achava que todos estavam querendo me queimar viva !queimei todas as minhas roupas pois achava que a única solução para mim era sair apenas com uma roupa pro mundo pra pregar o evangelho! Pois quando tenho surto passa muitas coisas biblicas na minha cabeça!da última vez que foi a pouco tempo até chequei a pensar que era Deus !tenho sofrido muito com isso e me negava au tratamento mais eu estou decidida a acestar pois agora que passou o surto e que estou voltando a realidade minha cabeça está muito ruim pesada estranha não consigo explicar! Desta vez foi a quarta vez que surtei !e posso dizer que cada surto que tenho mesmo quando volto au meu normal ,alguma coisa sempre morre dentro de mim !gostaria muito de ter contado com vc para poder ter alquem que sabe exatamente o que eu passei pra con versar! Boa noite espero que vc leia minha msg e me responda algo! Desde ja agradeço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá
      Realmente pelo seu relato a sua história se parece um pouco com a minha, na questão dos surtos. Parece que a cada surto que acontece ficamos mais desanimados. Me lembro que depois que me recuperei do primeiro a minha energia voltou e estava muito feliz para recomeçar tudo de novo. Mas depois do segundo a recuperação foi mais complicada e parece que a "coisa" se tornou crônica. O primeiro atendimento é muito importante nessas situações, e infelizmente as minhas primeiras consultas foram bem rápidas e não me ajudaram muito.
      Obrigado pela visita ao blog.

      Excluir
  38. Namoro a 1 ano e 4 meses, ele tem esquizofrenia mas não aceita! Não trabalha é extremamente ciumento, depende de mim e da mãe financeiramente mas nós humilha, xinga e grita quando está em crise. Eu o amo mas ele não acredita em mim. Vivo para trabalhar e cuidar dele não faço mais nada além disso. Mas mesmo assim ele não vê valor em mim e em nada que eu faça.
    Dói ver alguém que vc ama que tem muitas qualidades mas que te humilha e não confia em vc. Ele não aceita ajuda e não aceita que tem a doença já diagnosticada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente a parte essencial do tratamento, que é a autoaceitação, é também a mais difícil. O que você pode fazer é ter uma boa conversa com seu namorado quando ele não estiver em crise. Explique toda a situação, que você gosta dele e tudo o que está passando. E explique que tudo tem um limite. Caso ele continue sugiro que repense seriamente o seu amor por ele, pois você não pode ficar assim se prejudicando e se humilhando por conta desse amor.
      Obrigado pela visita ao blog.

      Excluir
  39. Olá Julio. Eu queria contar um pouco da minha triste historia. Tenho 25 anos, sou um cara extremamente fechado, antissocial e nunca namorei. Eu me lembro quando eu era um garoto cheio de energia e alegria e olho para mim hoje e penso "Nossa...como posso ter mudado tanto". Vejo as fotos quando eu era mais novo e não me reconheço mais quando olho no espelho. Eu sempre fui um garoto timido, principalmente com as meninas, mas ate ai normal, sempre fui muito alegre e amoroso. Eu saia normalmente com os meus pais em viajens, clubes e nunca me importava...eu gostava. Eu sempre estudei a tarde e quando ia para a quinta serie eu tive q me mudar de manhã. Cheguei nervoso demais...nao conhecia ninguem e eu sempre timido como sempre... nao me enturmei muito com a classe, so tinha feito duas amizades. Com o passar dos anos na setima para a oitava a turma começou a me humilhar, deve ter sido pelo meu jeito isolado, calado e que so me sentia a vontade com os meus amigos mesmo. O tempo foi passando, eu ja na oitava serie...as humilhações e chacotas so aumentavam como o meu rendimento no colegio so piorava drasticamente sendo a primeira vez que começei a ficar em recuperação. No colegial cada vez mais eu fui me afastando do meu eu de infancia, fiicando cada vez mais fechado, antisocial sem vontade. Começei a apresentar manias de fala e corporais, mania de perseguicao. No segundo colegial eu repeti de ano. Me mudei de colegio e começei a passar em um psiquiatra. Ele me diagnosticou com defit de atencao, comecei a tomar ritalina em uns 4 anos e nao vi resultado nenhum, continuava desligado do mundo e os sintomas so piorando. No começo eu achava q era pq eu sofri muito bullyng na adolescencia, mas depois eu via meus amigos crescendo e pessoas q sofreram isso tambem seguindo em frente...mas eu não...cada vez mais fui ficando pior. Agora sou um cara de 25 anos,nao consegui terminar a faculdade, nao tenho dinheiro e nunca tive uma namorada...ultimamente penso q é mais q um simples bullyng que fez isso comigo...acho q deveria ser uma coisa mais seria pois eu ja deveria ter seguido em frente. Estava pesquisando meus sintomas e fiquei impressionado o quanto os sintomas negativos da esquizofrenia se parecem com oq estou passando. Faz anos que nao saio de casa; me afastei de todo mundo tendo um profundo isolamento social; tenho mudanças de humor repentinamente...uma hr estou normal e 2 minutos depois entro em um quadro de depressao profunda; eu falo sozinho comigo mesmo direto e eu me acho a melhor companhia possivel; as vezes minha fala fica meio atrapalhada; tenho manias corporais involuntarias; estou com um grande mania de perseguição ultimamente sendo q qualquer sorriso ou olhar estranho ja estao me julgando e rindo de mim; nao tenho animo para nada e nem prazer em mais nada; as vezes sinto que o meu pensamento esta confuso entre outros. Isso esta me prejudicando muito e principalmente a minha familia...sinceramente eu acho que tenho esquizofrenia e faz algum tempo e quero consultar e passar em um psiquiatra denovo. Eu queria tanto seguir em frente sabe...ir atras dos meus sonhos...fazer oq eu gosto, casar com a mulher dos meus sonhos e ter filhos... mas eu simplesmente nao consigo. Oq vc acha e me de conselhos por favor. Grato amigo

    ResponderExcluir
  40. Olá
    Creio que não seja os sintomas negativos da esquizofrenia não. Pelo seu relato o que aconteceu foi devido a realidade dos fatos. A diferença para seus amigos que sofreram algo parecido é que as pessoas realmente são diferentes uma das outras. Algumas pessoas são mais sensíveis do que as outras.
    Mas claro que o que eu disse é somente uma suposição, não tenho a condição de dar um diagnóstico pelo simples fato de não ser um profissional da saúde mental. E também seria precipitado, mesmo sendo um profissional, dar qualquer parecer se baseando em um breve relato. Mas, como você me pediu um conselho o que posso lhe dizer é isso, acho que foi mais a questão da sensibilidade mesmo. As crianças não tem muita noção do que é um bullyng, eu mesmo sofri um pouco, mas também pratiquei o bullyng na infância, com uma menina que não se enturmava com ninguém. Até hoje sinto remorso por ter feito aquilo, pois em algumas pessoas isso fica marcado mesmo.
    Se você for a um psiquiatra e relatar que sente que tem esquizofrenia, o que ele irá fazer possivelmente é te receitar antipsicóticos mais leves ou em doses mais baixas, que na minha humilde opinião não seja o caso. Mas caso tenha muita mania de perseguição seria uma boa tentar uma terapia, pois com o tempo ela pode ir aumentando aos poucos e se tornar uma neurose ou até mesmo uma psicose, se não for tratada adequadamente.

    ResponderExcluir