segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

Zyprexa

    Continuando a minha saga sobre as minhas frustradas e decepcionantes experiências com os antipsicóticos, irei descrever neste post a minha curta relação com o medicamento mais caro que já usei: o zyprexa, também conhecido como olanzapina.
    Devia ser o ano de 2008. Após várias tentativas frustradas com vários medicamentos, a psiquiatra sugeriu que eu experimentasse um novo antipsicótico que poderia me ajudar a resolver um pouco as minhas paranoias e outros pensamentos e comportamentos relacionados à esquizofrenia.
    Os surtos já haviam cessado, mas, infelizmente a esquizofrenia não é somente isso: é também a sacana da mania de perseguição, os delírios e o isolamento proveniente de acharmos que ninguém gosta da gente.
    E, para piorar, ainda tem os chamados sintomas negativos, que até hoje não sei dizer se são menos ruins do que os positivos. Nos sintomas positivos, surtamos, caímos e vamos para o fundo do poço, mas temos força para levantar e continuar a jornada. Confesso que os delírios de grandeza já me ajudaram a enfrentar diversos obstáculos e dificuldades em minha vida. Pensamos que podemos fazer tudo, que somos imbatíveis, que nada nos atingirá e que somos protegidos por uma força sobrenatural. Eu sempre costumava dizer que o meu anjo da guarda era muito forte. Até hoje eu acredito em anjos e creio que tem um que me protege dia e noite, mas acho que ele está querendo pedir aposentadoria, alegando stress e excesso de trabalho. Mas hoje estou mais quietinho e a minha fé não é a fé cega e irracional.
    Já nos sintomas negativos, tudo fica mais difícil. Qualquer coisinha se torna um enorme obstáculo para realizarmos qualquer tarefa. A falta de energia e motivação nos fazem pensar que estamos com depressão ou uma doença física mesmo. Ainda tem o embotamento afetivo, que não nos deixa achar graça em nada.
era assim que eu me sentia nos delírios de grandeza
    Era mais ou menos assim em que me encontrava naquele ano. Não tinha surtos, mas as paranoias me faziam um prisioneiro de mim mesmo,  vivendo trancado em meu quarto. Algumas vozes comentaristas ainda davam as suas caras. Por exemplo: certo dia, ao me pesar, notei que havia emagrecido dois quilos. Naquele mesmo instante me lembrei de experiências passadas em uma pequena cidade do interior de Minas Gerais, onde rolava um boato de que eu tinha o vírus da aids. Então, ao sair da farmácia, a voz me disse:
    - Ele está com aids! - a voz desta vez falou em um tom mais exaltado, por isso coloquei a exclamação. Geralmente as minhas vozes comentaristas são calmas.Na hora, claro, pensei que fosse um funcionário da farmácia que havia dito aquilo, mas hoje, analisando a situação, sei que foi apenas mais uma alucinação auditiva.
     Então a psiquiatra, que foi uma das mais atenciosas com quem já consultei, preencheu um enorme formulário e pediu que eu o levasse para a cidade vizinha de Coronel Fabriciano, em Minas Gerais.
O remédio seria fornecido gratuitamente pelo governo, já que cada caixa custava 800 reais na época. Até fiquei me sentindo uma pessoa importante. A princípio fiquei assustado com o valor do medicamento, mas depois me animei, imaginando que se tratava de algo muito bom e diferente de tudo o que eu já havia experimentado (melleril, haldol, stellazine, orap, etc).
    Depois de quase um mês, o medicamento chegou no lugar onde eu fazia as minhas consultas. Minhas esperanças se reacenderam, estava cansado e triste de não conseguir mais andar pelas ruas sem que a mania de perseguição me perseguisse. Também queria voltar a frequentar lugares que antes gostava de ir: shows, parques, e às vezes igrejas.
    Em 2007, o time do meu coração(não vou falar qual é) jogou em Ipatinga pelo campeonato brasileiro daquele ano. O estádio municipal ficava à cerca de 300 metros de onde eu morava, e o ingresso ainda não era tão caro naquela época. Mas, mesmo assim, não fui, apenas escutei pelo rádio, e dava para escutar os gritos da torcida vindos do estádio quando alguém marcava um gol. Foi ai que percebi que o caso ainda era grave, o que havia mudado eram os sintomas.
    Voltando ao zyprexa, me lembro muito bem de quando o experimentei pela primeira vez. Era uma sexta feira e realmente estava muito esperançoso. Então, todo contente engoli aquele comprimido que custava cerca de 26 reais cada um. Não demorou muito e apaguei. No dia seguinte continuei apagado, simplesmente não tenho recordações do sábado. Acho que dormi o dia todo, só acordando no domingo de manhã, eu acho. Acordar até que não é difícil quando tomamos antipsicóticos fortes e doses grandes, o problema é levantar. Simplesmente não tinha forças para sair da cama e então continuei a minha soneca. De tarde, como se estivesse com dengue e bêbado ao mesmo tempo, fui me arrastando até a mercearia para comprar um "lideleite" e um bolo para dar uma enganada no estômago, pois não estava com muita fome, a única coisa que queria era voltar para os braços de Morfeu (clica no link para saber o significado da frase, para não pensar outras coisas rsrsrs).
 
esse é o único efeito colateral do zyprexa que tive...

    Na segunda feira acordei por volta do meio dia. Estava lento, mas já estava bem melhor. Consegui me deslocar até o restaurante popular da cidade e, aos poucos, a ressaca do medicamento foi passando. Não tive coragem e nem vontade de tomar mais um comprimido daquele verdadeiro sossega leão. Fico assustado e incrédulo quando ouço uma pessoa dizer que toma esse medicamento e está bem na minha frente, falando normalmente e sem cara de sono! Eu nunca iria me "adaptar"(ou viciar mesmo) ao medicamento. Provavelmente iria morrer de inanição, pois, como moro sozinho, tenho que me virar e fazer as minhas coisas. E também tinha que ser acordado para tomar o remédio na hora certa...
    Talvez eu seja do grupo de pessoas mais sensíveis aos medicamentos. Já vi nos comentários do blog uma pessoa dizer que existem pessoas com o metabolismo lento e que precisam de doses menores de antipsicóticos para se estabilizarem. Na minha cabeça paranoica e hipocondríaca, eu tenho um problema de saúde qualquer que me impede de tomar esses remédios. Penso que tenho um troço qualquer no coração, sei lá. Já fiz alguns eletrocardiogramas, vários hemogramas e tudo está sempre normal, com exceção dos triglicerídeos. Costumo comer muito doce, confeitos de padaria e massas para ficar mais animado e aumentar os níveis de serotonina e outras 'inas' no cérebro.
   Então, depois de mais uma frustrada tentativa, devolvi a caixa para a psiquiatra, para repassá-la a quem precisasse e aguentasse tomar esse antipsicótico tão caro e que me havia deixado tão esperançoso. Até hoje me pergunto como um comprimido possa melhorar esses meus pensamentos que creio que foram resultado de muitas experiências negativas ao longo da vida...
   Bem, o que acabei de relatar foi apenas a minha experiência com mais um medicamento. Não deu certo para mim, mas isso não quer dizer que isso vá acontecer com todo mundo. A única coisa que tenho certeza é de que falta muito para encontrar se não a cura, pelo menos um melhor controle dos sintomas da esquizofrenia, sem interferir muito na qualidade de vida dos portadores.

65 comentários:

  1. Oi Júlio!
    Entendo sua experiência com a olanzapina. Realmente a "adaptação" de um antipsicótico varia de pessoa para pessoa. Eu já usei vários, e não tive problemas com nenhum deles, em especial no que se refere ao sono. Nem o Haldol decanoato, que tem fama de deixar o paciente robotizafo, me trazia problemas. No entanto, atualmente uso a olanzapina - 2 comp. de 10mg - além de outros e, sinceramente, sofro é de insônia. Nem o rivrotril dá jeito. O médico sugeriu introduzir Clozapina, mas tenho receio. Meu caso é para estudo...

    ResponderExcluir
  2. Olá. Realmente seu caso é de estudo mesmo. Eu tomei um comprimido de 10mg de olanzapina e dormi dois dias, e você toma 20mg e ainda sofre de insônia. Até hoje acho que tenho algum problema de saúde que me faça ser tão fraco para os remédios. Já experimentou a melatonina? Obrigado pela visita ao blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Júlio,
      Não acho que sejas fraco para remédios. Cada organismo reage de um jeito. Como falei, não tenho problemas com antipsicóticos, antidepressivos etc. No entanto, quando o assunto é combater a insônia, meu organismo é fraco. Já tomei vários, por isso creio que a melatonina também. Com exceção do clonazepam, todos provocavam fortes dores de cabeça. Hoje nem o clonazepam funciona mais...
      Abraço.

      Excluir
  3. A terceira melhor coisa para se fazer no mundo é dormir. O zyprexa como e contrário de outros psicotrópicos causa muita sonolência, mas uma sonolência na qual a qualidade de atividade do sono não a tipica química, o sono da olanzapina é de qualidade natural, é o bom o velho sono revigorante. Além disso a olanzapina amim, atua como anti depressivo e muito efetivo no quesito anti psicótico. Sim é verdade, ela deixa por muito tempo sonolento, mas ressalto que se administrada na dosagem certa e período certo ela se torna imbatível no tratamento. Administrada as 20 horas todo dia, tem se um bom sono, durante a noite, a manha é um pouco prejudicada, mas durante o período vespertino a pessoa fica super disposta. Tudo é adaptação, como disse o rapaz do primeiro comentário, mas amim que usei praticamente todos os antipsicóticos, a olanzapina no principio do tratamento foi diferente. Tenho 7 anos de tratamento com olanzapina.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dormir além de ser um prazer é uma necessidade. Eu desisti dela por que foram dois dias e, para quem mora sozinho, não dá, prejudica a alimentação e outras coisas mais. Mas a minha intenção é apenas relatar as minhas experiências com os medicamentos, como disse no final, se aconteceu comigo não é sinal que vá acontecer com todo mundo, já que cada pessoa responde de maneira diferente aos medicamentos. Obrigado pela visita ao blog.

      Excluir
    2. Olá, comigo aconteceu a mesma coisa. Dormi dois dias seguidos, um sossega leão. Falei com meu psiquiatra que não queria mais. Agora tomo rivotril, e sertralina durante o dia. Mas tenho tido dias terríveis. Uma tristeza na alma. É horrível. então durmo até 12hs quando pego no sono já são 04 da manhã. Hj resolvi tomar um olanzapina pra ver se eu durmo melhor novamente. Mas estou cansada de tudo.

      Excluir
  4. Olá Júlio, não sofro de esquizofrenia, mas já me apaixonei por alguns. Gostei demais de seu blog e sempre achei as doenças da mente as mais sérias e merecedoras de atenção. Fiquei feliz em saber que você não parou de escrever. Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado. Muitas pessoas que frequentam o blog são namoradas ou ex namoradas de portadores de esquizofrenia. Infelizmente esse transtorno dificulta e muito o relacionamento com as outras pessoas. Realmente todas as doenças são complicadas, mas as mentais a ciência ainda está engatilhando no que se refere ao tratamento e conhecimento. Abraços

      Excluir
    2. Olá, colega! Meu esposo foi identificado com transtorno de adaptação e a médica passou o Axonuim, que é a mesma substância. Mas ele tem alguns comportamentos que acredito serem de esquizofrenia. Estou muito preocupada porque ele não quer nem falar comigo e queria ajudar mais... como faço?

      Excluir
    3. Olá
      Muitos dos sintomas que as pessoas que tem esquizofrenia têm a maioria das pessoas também têm, a diferença está no nível de gravidade desses sintomas. O que pode piorar a situação é o receio que a pessoa que tem esses sintomas leves de desenvolver um quadro de esquizofrenia. Só o fato de pensar que possam ter esquizofrenia, essas pessoas podem ficar neuróticas e até piorarem mesmo.
      Em relação ao fato dele não querer falar com você, gostaria muito de poder ajudar, mas só com base nesse relato fica difícil ajudar.
      Obrigado pela visita ao blog.

      Excluir
    4. Agradeço o retorno do comentário. Gostaria de manter contato com vc, pois quero muito ajudá-lo, gosto de verdade dele e não quero abandoná-lo. Há algum e-mail que possamos conversar?

      Excluir
    5. Aconselho a ler o livro "Entendendo a esquizofrenia", aqui no blog tem para download, é só clicar em "CDE". Em relação ao email
      juliocesar-555@hotmail.com

      Excluir
  5. Ao amigo "Julio Farias" com 7 anos de tratamento com olanzapina, teve algum efeito colateral referente a discinesia?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sou o Júlio Farias, mas faço uso da olanzapina há muito tempo. No meu caso, os efeitos colaterais foram: engordei cerca de 10kg, ganhei 13cm de circunferência abdominal e um pouco de dificuldade de ereção.Contudo, não posso afirmar que são efeitos exclusivos da olanzapina, uma vez que atualmente tomo, diariamente: 20mg de olanzapina, 100mg de fluoxetina, 150mg de Clô e 8mg de clonazepam.

      Excluir
  6. Olá Júlio, parabéns pelo blog! Sempre que posso entro para ver se tem alguma atualização.
    No começo do meu tratamento eu tomava Zargus (risperidona) fiquei por cerca de 10 meses com vida normal (saia de casa sozinho para trabalhar), depois veio um novo surto e troquei de medicamentos umas duas a três vezes. Hoje tomo Saphris(maleato de asenapina), um medicamento sublingual, acho que ajuda muito no meu tratamento não sei como ficaria sem medicamentos.Hoje tomo 6 medicamentos diferentes. (Não sou exemplo a se seguir afinal tomar tantos remédios).
    Apesar dos medicamentos não consigo ter uma vida normal, não saio sozinho de casa, não estudo, não trabalho, é muito dificil. No melhor momento da minha vida eu perdi tudo devido a minha doença, minha carreira acabou.
    Júlio, você já tomou Zargus? Conhece o Saphris?
    Como você lida com as perdas que a doença gerou? Você já chegou ao limite em pensar em dar um fim a sua vida devido ao impacto da doença? ( Fique tranquilo que eu não penso nisso, já pensei mais isso passou).
    Muito sucesso com o blog e o livro.
    Ainda não li o seu livro, mas pretendo ler em breve.
    Até mais!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, só o fato de estar falando um pouco de você já pode ser considerado um exemplo. Muitos não tem forças para tentar lutar contra a patologia ou não tem o apoio suficiente. O fato de tomar tantos remédios não o torna inferior a ninguém.
      Não conheço os medicamentos que você citou, a não ser que sejam os nomes comercias e não o princípio ativo. Por exemplo, zyprexa é o nome comercial, olanzapina é que faz parte da composição do medicamento.
      Em relação ao autoextermínio já tentei três vezes, quando os surtos começaram e eu não tinha a mínima informação sobre o que eu tinha. Mas, como está vendo, as tentativas não deram certo.
      Hoje, acho que devido ao embotamento afetivo e aos sintomas negativos, fico sem achar graça em muitas coisas, mas a ideia do suicídio não passam mais em minha cabeça.
      Obrigado pela visita ao blog e melhoras.

      Excluir
  7. 8 mg de clonazepam? Caraca!!!! Vai ter muitos efeitos colaterais na esfera sexual mesmo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem contar 20mg de olanzapina, que me deixou hibernando por dois dias consecutivos...

      Excluir
  8. Tomo a muito tempo. Mas funciona somente como paliativo.

    ResponderExcluir
  9. Aumentou minha fome e subi de peso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tente usar limão de manhã, em jejum. Comigo deu resultado, diminuiu a fome e a vontade de comer doces. É só colocar o suco de 1 limão em um copo de água morna. Depois de meia hora pode tomar o café normalmente. Tive que parar, pois senão o meu salário iria todo para a padaria...

      Excluir
  10. This is a good news to all Schizophrenic patient. My son is a victim, I have used Western medicine but I noticed it was digging more problems as a result of the very many side effect. herbs are very powerful indeed, I just started herbal remedies and my son's health has improved greatly. If you are victim contact Justin with this for question, queries and possible solution, note that, he deals mainly on herbs, e-mail: rodwenhill080@gmail.com

    ResponderExcluir
  11. Julho , de boa , vc vai viver na insanidade ? No vazio sem sentimentos ou com sentimentos excessivos ?
    Olha esquizo somos é fato , mas a olanza consegue te trazer de volta a realidade a fase positiva onde você entende o mundo , a fase negativa é muito perigosa ! Você pode nunca mais sair dela nessa vida ! Aí vai se afastando e acaba morto em uma cama sem conseguir se levantar ! Pelo menos a olanzapina vai fazer o cara comer usei por 15 anos , parei e voltei fiquei um ano sem medicações e voltei a esquizofrenia vendo aranhas no teto , dirigindo e vendo fadinhas krai ! Vê só , toma a olanza , faz o que fazia , pega um comprimido de 2,5 mg usa a noite , se sedar demais quebra o de 2,5 no meio zé , fica 1,25 foi desse jeito que usei 14 anos pô , não tome 10 mg , vc nunca vai levantar da cama !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Me desculpe, mas esse medicamento só me faz dormir, e isso não é vida. Além de caro, ele anula tudo no que se trata de sentimentos e emoções. Acaba com as paranoias, mas também acaba com a minha vontade de realizar qualquer tarefa. Pelo menos foi isso o que aconteceu comigo, não estou querendo dizer que vá acontecer com todo mundo.

      Excluir
    2. Olá, tomo Olanzapina a muitos anos. Tomo 5mg por dia porque não gosto de tomar remédio, segundo minha psiquiatra teria que tomar mais.
      Acho que se você tomar menos do que 20mg por dia, talvez 5mg que nem eu , voce conseguira´ dormir menos . Um abraço.

      Excluir
    3. O ideal e´conversar com seu Pcisanalista/psiquiatra a dose a tomar. Tomar pouca dose como 5 mg que nem eu pode não servir pra voce. Eu acho que teria que tomar mais , mas e´um remédio caro e tenho medo de ficar mais lento. Ele realmente deixa agente mais lento , e engorda também. Tenho dificuldade tambem de voltar ao mercado de trabalho, me sinto inseguro . Qual remédio voce toma ? Abraço.

      Excluir
  12. Julio , tem a quetiapina que é antidepressiva , a paliperidona , e o sus da de graça ( só não da a paliperidona ) vai tateando a dose que dá , teve tempos que só tomava uma vez por semana 10 mg ! As sextas feiras ! Eu tome 100 de quetiapina e fico acordado o dia inteiro , fico de boa ! O problema é distinguir o real do ireal , é muito perigoso ! A qjetiapina é o unico dopaminérgico que é antidepressivo ! Outra coisa mande o estado dar seu remédio , ele sai de graça !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já usei a quetiapina também, e me dava uma fome absurda, além do problema de saúde, não tenho condições financeiras de matar a fome que a quetiapina me dava...
      Além do estado ter que fornecer este medicamento, teria que pagar as minhas despesas, principalmente na padaria, pois a vontade era principalmente de comer doces.
      Mas mesmo assim obrigado pelas dicas, sempre costumo dizer que, se não funcionou para mim, não quer dizer que não vá funcionar para os demais. Temos que tentar.

      Excluir
  13. Olá sei bem como é essa situação. Meu marido tbm tem esse problema e todo mês a msm coisa troca de medicamentos e n resolve . N aguento mais essa tristeza de ver ele assim. N temos momentos felizes Nossas conversas são sobre remédio e psiquiatra. Já falou vários vzs em suicídio mas converso bastante e tiro as idéias da cabeça dele. E vamos levando até da certo a medicação. Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá
      Mas já tentou outras alternativas? O ômega 3 com exercícios físicos pode ser uma boa. E também alimentos ricos em vitamina b. E também ocupar a mente com algo que ele goste. Claro que tudo isso depende e muito de uma boa condição financeira. Por exemplo, o ômega 3 hoje em dia tem muitas falsificações, e o verdadeiro e de boa procedência costuma ser um pouco caro, mas vale a pena tentar. É um ótimo alimento para a mente.

      Excluir
  14. Estou tomando a olanzapina a um mês, espero que me ajude na depressão, pânico, já senti melhoras, tomo 10mg mais 2 mg de rivotril em duas tomadas, seu blog ajuda muito Júlio, parabéns pela força na alma.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, procuro fazer o melhor que posso, pois sei como é passar por essas situações e ter que depender de medicamentos para manter a tranquilidade. No início sofri muito por causa da falta de informação, e por isso resolvi escrever este blog, não com a intenção de ser a solução de todos os problemas, mas de pelo menos ajudar com um pouco de informação.

      Excluir
  15. Olá, a todos! Entrei casualmente aqui e gostei do blog. Sou o mais velho de meus irmãos e aquele que resolve tudo para todos os demais. MAS por trás dessa fortaleza toda, existe um ser frágil que tento esconder a todo custo. Tornei-me anti-social e afastei-me de todos os meus amigos sem motivo aparente; só suporto a presença de minha família porque moro num sítio e todos vêm nos finais de semana; tenho um medo insano das pessoas; ultimamente ainda conduzo veículos mas com certo receio; sinto medo de morrer, acompanhado de tonturas e suor frio que passam em instantes; tenho muitos pensamentos negativos e complexo de inferioridade; apesar de ter estabilidade financeira mas não ser rico, tenho tudo o que sempre sonhei. Com frequência faço exames rotineiros (coração, sangue, urina, raios-X, etc. e tudo normal). Tenho vergonha de contar a alguém. Aposentei-me muito jovem (46 anos) e a partir daí começou tudo.
    Alguém pode me dar alguma orientação? Será que tenho algum distúrbio mental? Que tipo de profissional devo procurar? Att.: J Carlos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá seja bem vindo ao blog.
      Não tenho o conhecimento necessário para dizer se você tem algum tipo de distúrbio mental ou não, mas os profissionais dizem que, quando um pensamento constante começa a prejudicar a vida de uma pessoa, pode ser sim um indício de que algo não está indo bem na parte psicológica. Não seria esse isolamento a causa? É que você relatou que esses pensamentos começaram depois que você aposentou. Mas talvez seja apenas uma neurose, mas de qualquer jeito é bom dar uma olhada nisso, pois uma neurose que não é cuidada pode um dia evoluir e se tornar algo mais sério. Seria bom você conversar com uma psicóloga, tentar se socializar mais(claro se isso não for muito estressante, pois no meu caso é bem difícil fazer isso).
      Tente primeiro todas as alternativas antes de pensar em tomar medicamentos para isso. Hoje em dia estão banalizando qualquer coisa, e tudo é motivo para usar esses medicamentos.
      Obrigado pela visita ao blog e espero que os leitores também possam te ajudar com as suas experiências.

      Excluir
    2. Muito obrigado pela resposta. Vou procurar ajuda profissional. Abraços!

      Excluir
    3. Também entrei por acaso. Por conta do sono absurdo que meu filho está tendo com olanzapina. Ele está usando há 22 dias e está dormindo de pés. É tão jovem me corta o coração. Sem contar do esquecimento para realização das coisas. É triste vê-lo tão dependente de mim e do pai. Ele surtou há dois anos quase morri. Quando estava melhorando tentando retomar a vida, sofreu um atropelamento. Entrou em depressão depois de melhorar ficou seis meses bem e agora a via crucis recomeçou. Se você desconfia dessa doença não espete disparar o gatilho. Corra para um profissional filho ou nunca mais a sua vida será a mesma. Lutarei por filho enquato viver. Sou mãe.Quando li a bula fiquei apavorada!Ainda mais quem mora sozinho sr cuide por amor a sua vida ou se tornará dependente desses remédios e de pessoas que td amem de verdade.Os amigos simplesmente somem... Saúde pra você.

      Excluir
  16. Oi meu nome é lidia, minha mãe tem esquizofrenia e alguns meses ela esta tomando olanzapina de 10mg ela ñ se sente bem quando toma sente muito sono, vontade se ficar só deitada no quarto, anda bem devagar, tem prisão de ventre, ñ sente vontade de tomar banho e etc. Eu acho q se diminuisse a dose de 10mg para 5 ou 2mg ela ficaria melhor, como ela esta sentindo esses sintomas ela esta com medo e quer parar de tomar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá
      Seria uma boa mesmo, ou diminuir a dose, ou tentar trocar a medicação, pois, pelo seu relato, a sua mãe teve a mesma reação que a que relatei, ou melhor dizendo, nenhuma reação, só a vontade de dormir mesmo. Tente agendar uma consulta com o psiquiatra antes da próxima consulta, para tentar diminuir a dose, fale que está dando mais sono do que os outros medicamentos. No meu caso foi o que mais deu sono mesmo, foram quase dois dias seguidos. Eles dizem que com o tempo isso irá passar, mas creio que isso seja um preço caro demais para se pagar para não surtar. Talvez se tomar 2mg por volta das sete da noite dê para acordar não muito tarde no dia seguinte. É só uma sugestão, pois sou apenas uma pessoa que também está na mesma situação, mas que entende um pouco dessas reações. Obrigado pela visita ao blog.

      Excluir
    2. Sou mãe e vindo hoje da psiquiatra com meu filho,depois de um mês de olanzapina meu filho precisou ter a dose aumentada.Nos primeiros dias era uma martelada de sono, agora é como se fosse bala. Dorme a noite toda com 10mg e com 5mg durante o dia dorme cerca de duas a três horas. A doutora não mudou preferiu manter.Se alguém tiver aqui no RJ e não estiver usando aceito doações. Estou com a receita dele, porque realmente é muito caro e não temos recursos. Moramos em Bangu Zona Oeste. Pegamos ni local. Ele toma fr 10mg e de 5mg. Muito obrigada. Saúde pra todos vocês.

      Excluir
  17. Olá pessoal, me chamo Henrique, não tenho esquizofrenia. Meu problema é insonia mesmo e hoje indo ao psiquiatra ele me recomendou o zyprexa 2,5 mg. Oque vocês me dizem a respeito desse medicamento especificamente para insônia?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Henrique me chamo Josiene,tenho o mesmo problema de insônia,atualmente estou tomando quetiapina de 25 mg foi o único entre vários q já tomei q me fez dormir.Mais dá sonolência essa a pior parte, se tiver novidades me diga é bom trocarmos experiências.Meu email josiene1807@bo.com.br

      Excluir
  18. Olá
    Acho estranho essa indicação do seu psiquiatra. O zyprexa é um medicamento bem forte e é estranho ele recomendar logo ele assim de início. Já tentou ouvir uma segunda opinião de um outro profissional? Depois dê uma olhada na bula do medicamento
    http://www.medicinanet.com.br/bula/1485/zyprexa.htm

    ResponderExcluir
  19. Meu filho esta assim dorme dorme ele toma 20mg de olanzapina estou preucupada e muito

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 20mg???
      Procuro sempre tomar muito cuidado na hora de opinar sobre os medicamentos, pois não sou um profissional da área. Mas, sinto-me sim na condição de pelo menos tentar sugerir algo. No caso do seu filho, acho que sim tenho o direito de falar sobre, pois, sei que, por experiência própria é uma dosagem muito forte, independente do caso. Com 10mg eu dormi praticamente dois dias seguidos, imagine então com 20mg? Claro que existem fatores como a idade, o organismo de cada pessoa, por isso não se deve padronizar tanto assim a dosagem. Mas 20mg é dose pra leão, me desculpe esse psiquiatra que receitou... Se eu fosse você, tentaria dialogar com ele para pelo menos tentar diminuir para 10mg ou então tentar um outro antipsicótico.

      Excluir
  20. Olá! Bom podercompartilhar nossas histórias. Percebo que não estou só. Meu filho está usando olanzapina há cerca de 3 anos. Ele tem 25 anos e os sintomas da esquizofrenia vieram junto com a dependência química de múltiplas drogas. Apresenta várias reações ao medicamento, como aumento peso, barriga inchada e sono, mas ainda assim é o remédio que mais ajuda a tirar das ruas. Quando foi interrompido o tratamento ele parou até de falar conosco. Ele estudava e trabalhava, tinha namorada, vida normal. Hoje fica em casa tempo todo e não tem vontade para nada. Quando estava quase voltando ao trabalho teve outra recaída e aí aumentamos a dose. Prefiro ver ele dormindo do que não vê lo mais. Tenho fé que com o tempo a medicação pode diminuir os sintomas das doenças e ajudá lo a ter vida melhor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entendo bem a sua situação. Creio que se fosse comigo também faria a mesma coisa. Acho que não há coisa pior do que ver um filho se perdendo para as drogas. E, como você disse, com o tempo e a estabilização pode se ter a possibilidade de ir diminuindo a medicação aos poucos. E ainda quem sabe pode aparecer medicamentos com menos efeitos colaterais.
      Obrigado pelo seu depoimento e continue na luta.

      Excluir
  21. Olá,
    tinha constantes delirios auditivos, mania de perseguição e delirios de grandeza também.
    Iniciei meu tratamento com olanzapina, e nos primeiros dois dias fiquei com mta sonolência, porém passados esses dois dias, esta sonolência foi indo embora.
    Me adaptei ao remédio, o unico efeito foi ganho de peso, porém faço dieta.

    Hoje sou muito feliz e não sofro de nenhum tipo de delirio, seja auditivo, seja de grandeza, mto menos mania de perseguição.

    A Olanzapina salvou minha vida, sou muito grata a esse remédio. Não me importo nem com o fato de ter q fazer dieta para ter um peso legal, pois o bem estar que ele me traz, faz valer muito a pena!

    Talvez valha a pena passar pelo estágio de sono, caso ainda não tenha encontrado o medicamento certo :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia Victória , minha mãe foi diagnosticada a cerca de uma mês após um surto e após a um longo período sofrendo desses males que você citou. Atualmente ela utiliza o Stelazine mas ele não contem os delírios e nem a mania dr perseguição e etc, vou pedir ao médico para receitar o Olanzapina eu gostaria de saber qual a dosagem que você utiliza por dia e em quanto tempo ele fez esse efeito positivo na sua vida ??
      Grata .

      Excluir
  22. Bom dia, faço tratamento com olanzapina a 8 anos. Aos 19 anos tive o que meu médico chama de transtorno psicótico. Pelo que já ouvi falar sobre esquizofrenia acho os sintomas parecidos, quando estou em crise tenho pensamentos fora da realidade, bem como o que se define como os sintomas positivos da doença. Mas meu médico fala que não tenho esquizofrenia, apenas transtorno psicótico. Em relação aos efeitos do medicamento, também sinto muito sono e desanimo em relação a vida, às vezes acho que perdi o entusiasmo. Algo que ainda gosto de fazer é atividade física, faço musculação e é um momento do dia que me sinto mais ativa. quando comecei a usar a olanzapina passei a sentir muito sono, nunca fui uma pessoa muito ativa e cheia de energia mas acredito que a olanzapina contribuiu para aumentar a sensação de sonolência, no início nem passava pela minha cabeça que isso ocorresse devido ao medicamento, até porque meu médico me falava que a Olanzapina não causava sono. Até que um dia, uma tia minha que possui um marido que também faz uso de olanzapina, me fez pensar a respeito ao me perguntar se eu sentia sono por tomar este medicamento. Foi aí que percebi que realmente todo a sonolência que sentia provavelmente seria decorrente deste medicamento. comecei a sentir os sintomas da doença durante a faculdade, no começo foi difícil pois não encontraram o tratamento mais adequado a Olanzapina foi o que me salvou, ao utilizar este medicamento meus pensamentos se ordenaram novamente e consegui viver normalmente, mas a falta de entusiasmo pela vida me deixa muito triste, também sinto muita vontade de ficar só na cama dormindo. Quando fazia faculdade era em outra cidade tinha que viajar todos os dias, durante a viagem dormia o tempo todo na ida e na vinda, era pela manhã a faculdade, acordava as 5:30 da manhã, e quando chegava almoçava, quando não tinha o que estudar passava a tarde dormindo, às vezes durante a aula sentia sono. Nunca fui uma pessoa muito elétrica mas acredito que o medicamento contribuiu mais p falta de energia. Durante o tratamento passei intervalos sem usa-lo por recomendação do médico, porque no inicio usei durante 1 ano o de 10mg, como havia melhorado e ficado bem, o médico resolveu tirar o medicamento acreditando que eu não iria mais precisar. Me sinto bem melhor quando não estou usando o medicamento me sinto mais ativo, só que com o passar dos tempo os sintomas começam a aparecer novamente o motivo não sei o qual, quando estou com os sintomas apesar de não ser bom p mim pq tenho os pensamentos fora da relidade me sinto bem quando estou doente é quando me sinto cheia de energia bem revigorada, fico me sentindo o centro, como se todas as situações estivessem girando ao meu redor e eu que esteja controlando as situações a pesar de não ser normal o que sinto me sinto bem, na primeira vez foi mais difícil porque aconteceu de uma maneira muti mais forte e como não sabia qual melhor forma tratar foi mais difícil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá
      Li atentamente o seu relato e confesso que fiquei surpreso quando você afirmou que o seu médico afirmou que a olanzapina não causa sono. Claro que tudo depende da dose e da pessoa, mas basta ler a bula e verá que causa sim sonolência.
      Acredito que você deve ter uma conversa franca com o seu médico, pois ele tem a obrigação de lhe informar sobre o que você está tomando bem como o que você está tendo, caso ele já tenha fechado um diagnóstico. E também devemos procurar saber os nossos direitos, abaixo o link da lei que trata sobre os transtornos mentais.
      http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/leis_2001/l10216.htm

      Excluir
  23. Olá! Achei seu blog procurando sobre o medicamento que comecei a tomar na quinta (hoje é sábado). Eu tenho transtorno bipolar por isso tomo diariamente lamotrigina, mas devido a algumas crises (especialmente na época de menstruação) a minha médica me passou olanzapina. Porém, estou com o mesmo problema que vc, MUITO sono. Um detalhe: comecei com apenas metade de um comprimido de 5mg. Três dias a metade e no domingo (amanhã) será um inteiro. Agora imagine só a metade já fiquei parecendo um zumbi, imagina inteiro. Estou até achando que vou entrar em coma hahahah mas falando sério, eu tenho um problema de também muita sensibilidade com os medicamentos, isso varia até mesmo de um simples paracetamol até estes medicamentos neurológicos. Todos me dão efeitos colaterais que muitas vezes superam os benefícios e por isso tenho dificuldade de achar um que dê certo. Sertralina, como antidepressivo, me causa euforia (por eu ser bipolar) então não posso tomar. Lítio me causou aumento da sede e devido a problemas renal que eu tenho, tive que parar. Depois a quetiapina deu o mesmo problema que o olanzapina, uma sonolência desgraçada que me fez tomar só durante uns 3 dias porque não estava conseguindo fazer nada! E eu trabalhava então não podia ficar assim. Depois, amissulprida (socian, um antipsicótico também), me causou suspensão da menstruação e aumento da prolactina. Venlaxafina (antidepressivo) me deu muito mal estar que não aguentei nenhum dia. Resumindo, não consigo tomar quase nada sem me dar um efeito colateral que me incomoda. Lamotrigina é o único anticonvulsivo/estabilizador que deu certo por isso continuo até agora. E agora olanzapina vou tentar mais um pouco porque estou desempregada mas caso eu estivesse trabalhando seria impossivel tentar. Queria ser mais tolerante com substâncias. Até mesmo café e álcool me dão efeitos extravagantes mesmo na menor dose. Isso certamente tem relação com a metabolizacao das substâncias no fígado. Cada organismo biotransforma em uma velocidade distinta. No meu caso, isso impossibilita bastante o tratamento de qualquer doença, especialmente bipolar, uma vez que fica muito restrito o uso dos remédios para fins terapêuticos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parece que somos parecidos nessa questão dos medicamentos. Também sou assim e sempre os efeitos colaterais sobrepuseram os benefícios. Espero que um dia os pesquisadores consigam fazer medicamentos com menos efeitos colaterais, pois não é essa maravilha como estão pregando por ai. Tem que se avaliar com muito cuidado a relação custo x benefício.
      Obrigado pela participação e pela visita ao blog.

      Excluir
    2. Marie, trato TBip há quase 20 e também sou muito sensível às medicações. Já experimentei quase tudo, mais de 30 medicamentos diferentes, incluindo antipsicóticos, ansiolíticos, estabilizadores, etc. Tive efeitos colaterais muito graves com vários deles, cheguei até a desmaiar duas vezes, engordei 30kg em 6 meses, tive conjuntivite por 4 meses que ninguém descobria o motivo, reações alérgicas e etc.
      Tomei Olanzapina por 1 ano e 1/2, com ela engordei os 30 kg, me sentia esgotada, dormia quase o dia todo, não tinha ânimo pra nada e o ganho de peso acabou me deixando cada vez mais deprimida e deixei de sair de casa, ou seja, o que era pra fazer bem só me fez mal. Acabamos de retirá-lo e realmente rezo para que meu peso volte ao normal e que eu ganhe ânimo para fazer uma academia, voltar a trabalhar e viver novamente. Estou tomando agora somente Lamotrigina e Venlafaxina que nunca me fizeram mal. Torcendo para que me mantenham sem sintomas.

      Excluir
  24. Preço salgado: cadastrem-se no site do laboratório. Eu consegui 65 por cento de desconto.
    A psiquiatra me receitou o ziprexa de 2,5 mg mais daforim(fluoxetina) p a depressão. Os remédios q eu tava tomando não tavam mais dando conta dos sintomas. Mas ela disse q vou tomar esse só por um mês p dar um 'up' - ela disse q faz efeito rápido qdo associado a outra medicação antidepressiva. Mas já m avisou q muita gente engorda com ele... Mas vou testar!!!

    ResponderExcluir
  25. Boa tarde
    A cerca de 6 meses fui diagnosticado com esquizofrenia paranóide.... tomo donarem e anoxium....agora vou tomar olanzapina.....algum conselho vcs me dão....até do meu trabalho o psiquiatra pediu meu afastamento definitivo...por motivo de suicídio e homicídio....alguém pra me aconselhar bem aí....
    Obrigado a todos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo Diego forças,não desista de lutar,para tudo há solução,busque se focar em outras coisas,família e Deus.Abraço

      Excluir
  26. Eu gostaria de saber qual a relação desse medicamento com a libido. Ele afeta a libido? Meu médico receitou pra mim 2,5 mg. Será que essa dosagem também deixa muito sonolento?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não posso responder com certeza a sua dúvida, pois não me lembro com exatidão a dose que tomei. Mas creio que tenha tomado 10mg ou até mais, pelo sono que tive.
      E cada pessoa também reage de uma maneira aos medicamentos. Creio que seja uma dose não muito alta, pois a maioria com quem conversei toma 10mg. E me lembro que uma conseguia acordar bem cedo pois ela ia ao centro de convivência oito horas da manhã.
      Em relação a líbido não vou tentar te desiludir, a maioria dos antipsicóticos diminuem sim a líbido. Claro que tudo também depende da dosagem. Se te deixar muito sonolento na parte da manhã, experimente tomá-lo um pouco mais cedo.

      Excluir
    2. Obrigado. Eu pedi para o médico me passar um remédio eficiente no combate à tensão causada pelo TPT (Transtorno Psicótico Transitório), que é do que eu sofro, mas que não afetasse tanto a libido. Ele me receitou esse. Todavia, achei o remédio caríssimo. Será que dá para fazer a versão manipulada em alguma farmácia de manipulação, onde sai mais barato?

      Excluir
  27. Não sei se as farmácias de manipulação fazem esse medicamento manipulado, mas caso façam, não tem problemas em usar. Já ouvi relatos de problemas com os manipulados quando a pessoa usava o original e depois mudava para os manipulados ou genéricos, pois, pelo que pesquisei a lei permite uma porcentagem para a presença do princípio ativo.

    ResponderExcluir
  28. Boa noite... Achei muito interessante este blog.. estava pesquisando efeitos colaterais da olanzapina e achei o blog... Muito interessante pois nos eu no caso mãe de um jovem de 19 anos portador de esquizofrenia sofremos muito com a solidão e falta de informação desta terrível doença... Quanto a olanzapina acho um excelente medicamento meu filho usa a 2 anos 10mgs diários e pra ele fez super bem.. claro q engordou um pouco e tb dorme além do necessario mais nada de anormal! Estuda só não trabalha prq infelizmente as oportunidades para portadores de doenças mentais são muito poucas, ele gostaria muito de trabalhar me pede muito para ajudá-lo porém não consigo nada em site e até msm entregando currículos... A psiquiatra dele diz q seria muito bom ele trabalhar e fazer amizades exercitar a memória mais infelizmente não encontro pra ele uma oportunidade de trabalho...Tb tentei pra ele um benefício que os portadores desta doença tem direito que seria o benefício LOAS e tb n consegui nada..ficamos refém de ter pessoas com esta terrível doença sem oportunidade.. sofro muito com essa situação pois vejo jogada no lixo a vida do meu filho....

    ResponderExcluir
  29. Olá
    Sim, em alguns casos a medicação é mais indicada sim, devemos sempre analisar a relação benefícios x efeitos colaterais. No meu caso não foi possível mesmo continuar com a medicação.
    Em relação ao trabalho procure se informar com o psiquiatra ou então com uma assistente social sobre a cota de pessoas com deficiência, pois ouvi dizer que a esquizofrenia foi incluída a pouco tempo.
    Mas, claro que o ideal seria tentar algum trabalho sem usar essa cota e evitando falar na entrevista sobre a esquizofrenia, pois infelizmente existe o preconceito e o estigma. Não sou muito de tentar esconder as coisas, mas nesse caso creio que seja a melhor solução, infelizmente.
    Obrigado pela visita ao blog.

    ResponderExcluir
  30. Eu aqui tomando de 20 mg e pensando se vai fazer efeito, pois essa insônia me persegue a anos.

    ResponderExcluir
  31. Olá boa tarde,

    Gostaria de relatar o que meu filho vem passando com vocês, estou sofrendo muito e sem esperanças, quando ele tinha 14 anos começou a ficar estranho, brigando muito na escola, e as vezes chorava que nao queria ir na escola....mas era passageiro, entao pensavamos que fazia parte da idade, mas mesmo assim procuramos ajuda psiquiatra e ele fez terapia em grupo por 3 meses. Aos 18 começou a trabalhar e a fazer faculdade, quando teve o primeiro caso de acharem que estavam rindo dele na faculdade porque chegou molhado....e entao achei estranho , mas tudo bem , dai no trabalho tambem apresentou uma crise de raiva...., resumindo depois de um ano foi mandado embora...pois teve varios acontecimentos, começou a ir no psiquiatra tomar medicação e melhorou, mas depois de 4 anos voltou com crises bem piores e o medico disse que era esquizofrenia, caiu meu chão, pois como mãe queria um filho normal que nao sofresse tudo isso( me perdoe , hoje sei que ele é o melhor que aconteceu na minha vida) ele tomava a olanzapina 5mg e tinha distonia, que nem o bipirideno dava jeito entao começou a clozapina que fez com que babasse e tivesse diurese de 10 em 10 minutos, tomou por um ano, e ha poucos dois meses ele voltou para olanzapina 10mg ao dia e dois rivotril de 025 pela manha e noite, mas continua com alucinações e mais de perseguição com os vizinhos, estou desesperada pois nao sei como ajudá-lo, não tenho condições de me mudar daqui. Se puderem me ajudar a ajudá-lo agradeço de coração.

    ResponderExcluir
  32. Olá!!
    Já tomei zopix (olanzapina) juntamente com outras duas medicações e no inicio duas amigas do trabalho me ajudavam, pois precisava sair escondido para ir dormir em uma sala inativa que tinha lá. Isso quando eu tinha trabalho, por que perdi tudo que consegui por causa dessa mania de perseguição que não me deixa sair de casa.
    Nunca surtei como vocês falam mais mesmo assim é difícil é uma prisão dentro de mim mesma e medicação nunca funcionou para mim.
    Abraço������


    ResponderExcluir