sábado, 25 de abril de 2015

Antipsicóticos genéricos: Uma farsa?

    Não é a primeira vez que ouço um relato de um portador de esquizofrenia afirmando que teve sérios problemas ao migrar de um antipsicótico original para um genérico.
   O portador, no vídeo acima, relata que teve uma recaída e teve que ser internado ao fazer esta troca, e, depois de um certo tempo, voltou a se estabilizar, mas foi obrigado a aumentar a dose da quetiapina genérica de 600mg para 800mg.
   Ao ser questionado pelo apresentador do programa sobre essas recaídas com os genéricos, o psiquiatra afirma que, pela legislação(qual?) o genérico é obrigado a ter entre 75% à 115% de "não sei o quê"... ele não foi bem claro na resposta. Na verdade, senti um certo desconforto por parte do psiquiatra nesta parte da entrevista. A minha pergunta é: Ele quis dizer 75% do princípio ativo? Bem, se um antipsicótico genérico pode ter 25% a menos do princípio ativo, o portador de esquizofrenia realmente pode correr sérios riscos de ter uma recaída. E isso ocorre com certa frequência quando ocorre essa migração do original para o genérico.
    Uma coisa é um anti-inflamatório genérico e que tenha 75% do princípio ativo. Neste caso, as dores ou os outros sintomas podem demorar um pouco para desaparecerem se usarmos o genérico ao invés do de marca. Mas, em se tratando de antipsicóticos a coisa é mais séria. Procurei na net a LEI Nº 9.787, DE 10 DE FEVEREIRO DE 1999, sobre a regulamentação dos genéricos no Brasil e não encontrei nada sobre a porcentagem que o psiquiatra citou. Gostaria de dizer que este post é, antes de tudo, um questionamento, não estou afirmando que exista uma máfia dos antipsicóticos genéricos, mas sim que foram relatados inúmeros casos de recaídas com esse tipo de medicamento. Estou em busca de informações e esclarecimentos, não sou um profissional da saúde mental e tampouco advogado para entender por completo essas leis (aliás, como é chato ler os diversos parágrafos dessas leis...)
várias pessoas se queixam quando migram para os genéricos...

    Só gostaria de saber a resposta para essa questão, para essas recaídas dos portadores quando mudam do original para o genérico. No vídeo, o psiquiatra recomenda aos portadores a não trocarem de laboratório de seus medicamentos. Não entendi, pois, pelo que deu para entender ao ler a legislação dos genéricos, o medicamento é o mesmo, tem que ter a mesma dosagem e o mesmo princípio ativo. Então, se tudo é igual, ou deveria ser, por que a recomendação de não se trocar de laboratório? Existe realmente alguma diferença? E que diferença é essa? Confesso que falta respostas mais convincentes para essa questão...
-obs; na central de downloads também tem a legislação dos genéricos no Brasil, confesso que não tive muita paciência para ler, mas não encontrei os valores citados pelo psiquiatra. Não estou aqui desmentindo, apenas estou buscando informações.
um psiquiatra respondeu a minha dúvida


Medicamento genérico: o que é
    Medicamento genérico é aquele que contém o mesmo fármaco (princípio ativo) na mesma dose e forma farmacêutica, é administrada pela mesma via e com a mesma indicação terapêutica do que o medicamento de referência no pais, apresentando a mesma segurança que o medicamento de referência no pais, podendo, com este, ser intercambiável, ou seja, ser trocado. 
    A finalidade dos genéricos é oferecer a população medicamentos de baixo custo, mas com a mesma qualidade. Os originais são mais caros, não só devido às propagandas, mas também por causa dos vários anos de pesquisa gastos com os testes dos medicamentos. Então nada mais justo que o laboratório tenha a patente do remédio. Mas, depois de cinco anos, qualquer laboratório pode fabricar um genérico, mas seguindo os critérios estabelecidos pela legislação. 
    E, com a concorrência, os laboratórios dos medicamentos originais são quase que obrigados a baixarem os preços. Então, todo mundo sai ganhando. 

Diferenças entre medicamentos genéricos, de marca ou similares


Elefantes brancos

kd os espectadores?


    Na imagem acima temos a imagem de uma matéria sobre o campeonato do Mato Grosso. Como podem ver, o "público" nesta partida foi de 200 pagantes.... Isso mesmo, apenas 200 corajosos e destemidos espectadores! Provavelmente são as namoradas e os parentes dos jogadores...
    Esse "elefante branco" foi construído para acomodar cerca de 50 mil pagantes! O clássico local nem sei qual é, me lembro que existe um time chamado Mixto. Não sei qual é a rivalidade entre clubes desse estado. Mas creio que o público, nesse clássico local, em jogos decisivos, que acontecem umas duas vezes por ano, não deve ultrapassar a casa dos cinco mil pagantes... 
    E o mesmo acontece na arena Amazônia e em Brasília. Além de superfaturados, essas três obras foram construídas apenas para a copa do mundo, a verdade é essa. São chamadas de arenas, pois podem ser realizados shows e outros eventos nestes lugares. E acho que a maior finalidade está sendo essas últimas, pois no futebol... Eu já sabia que iria acontecer isso muito antes da construção desses estádios, e nem precisa ser vidente para isso. Com todo o respeito aos times e ao povo desses estados, essas arenas são apenas mais um dos grandes desperdícios que os últimos governos têm feito. Era mais do que previsível que essa inutilidade das arenas iria acontecer. Mas Lula, o então presidente na época da escolha da sede da copa de 2014, decidiu que o Brasil iria ter 12 sedes, ao invés de dez, que era a exigência da FIFA. Um dos maiores beneficiados com tudo isso foi o corinthians, que agora tem uma arena e vai pagar em longas e suaves prestações. Quer dizer, acho que nem vai fazer isso, pois creio que a primeira parcela nem foi quitada ainda, pelo menos até o começo do ano:  http://espn.uol.com.br/noticia/471919_sem-naming-rights-corinthians-precisa-de-rendas-malucas-para-quitar-1-parcela-de-arena
    Era só dar uma boa reformada no Morumbi e pronto... Mas o lula é corinthiano... 
    Mas, voltando aos elefantes brancos, fica até difícil pesquisar a renda e o público nos campeonatos amazonense, do Mato Grosso e o brasiliense, de tão inexpressivos que são. Mas creio que não deve fugir muito do que foi posto na imagem acima. Esses estados merecem respeito, mas os estádios deveriam ser da capacidade adequada ao seu uso normal, algo em torno de 15 mil pagantes. Nada contra esses estados, gosto muito desse país e se pudesse o conheceria do Oiapoque ao Chuí...
    E o público em geral vem caindo ao longo dos anos, os estádios encolheram depois das reformas e ficaram mais confortáveis. É o futebol de elite... O ingresso ficou mais caro, mas o espetáculo caiu de qualidade. Os jogadores literalmente batem a cabeça e sendo obrigados a jogarem com tocas de natação para se protegerem. Já usam caneleira, tornozeleira, só falta o capacete mesmo, pois até protetor bucal já estão usando...

é futebol ou MMA?
    Outro fator que contribui para a piora dos "espetáculos futebolísticos" é que, qualquer jogador brasileiro que faça alguns golzinhos, uma jogadinha diferente, já é chamado de craque pela mídia em geral, e logo é vendido par a Europa, China, Ucrânia, mundo árabe, Uzbequistão, sei lá...
    Já cansei de ver e ouvir rodas de comentaristas esportivos debatendo esse tema do pouco público no Brasil. Não precisa ser inteligente, alguns até alegaram que é o horário(22:00) mas me lembro que na década de 80 os jogos eram neste horário e o estádios ficavam lotados... Já chegaram a dizer que falta marketing, que os dirigentes tem que aprenderem a vender o produto, etc. Mas é tudo balela, se uma pessoa vai na feira e vê um monte de banana podre é claro que não vai comprar né? 
    Espero que os 7x1 na copa do mundo nos façam a calçar os chinelos ou sandálias da humildade e possamos aprender com outros países o que é realmente o futebol de qualidade.
obs: não deixem de votar na enquete...

Alimente a sua mente

    Continuando a falar de "nutrição mental", hoje irei falar de algo que ainda não experimentei ainda, mas que já ouvi boas recomendações e que é boa para evitar os males do nosso cérebro: a semente de girassol. Até hoje não experimentei, só de imaginar o gosto. Creio que deve ser ruim, afinal não sou papagaio para ficar comendo sementes... 
    Mas, pelo que pesquisei, essa semente é rica em vitaminas do complexo B, que, como já postei, é a vitamina da mente. Contém também magnésio, que é ótimo contra a fadiga, stress, e outros problemas mentais e emocionais, como já citei no post "Cloreto de magnésio"
    Também é rica em ômega 3, outro nutriente bom para a mente. Ou seja, é três em um! E provavelmente não é muito caro, pois até papagaio come! No próximo mês irei comprar e misturar na minha vitamina matinal, que é constituída por:
- leite de soja
- gérmen de trigo
-aveia
-fibra de trigo
-linhaça
    Misturo tudo no liquidificador com um pouco de água e pronto!
    É uma mistureba que fica ruim pra caramba, é a dica que dou é que tomem de uma golada só. Não adianta misturar no yougurte, colocar frutas, leite condensado... O negócio é ruim e pronto... Deixe esses produtos e frutas para fazer algo realmente gostoso. 
    Uma dica que posso dar é que comprem o leite de soja novo milk, que contém açúcar (atenção diabéticos) e vem em três sabores: morango, banana e chocolate. Prefiro o de banana, que chega a lembrar um pouco a fruta mesmo, ao contrário dos outros dois. Além de ser mais apetecedor (chutei essa palavra, nem sabia que existia no vocabulário, e, se não existisse, passaria a existir, pelo menos no meu rsrsrs). 
    É isso ai pessoal, devemos procurar as nossas alternativas, cada um nas suas condições. Além da nutrição mental, devemos nos exercitar física e mentalmente, fazer a nossa parte na luta contra os males da mente, que são os grandes vilões desse século. Não devemos ficar parados, à espera de uma pílula mágica, que vá de uma hora para outra resolver todos os nossos problemas.

Livro Depoimento de um portador de esquizofrenia
    Esta semana estou disponibilizando um livro de um portador de esquizofrenia, que não sei o nome. Esse livro eu achei na internet, estava disponível para download gratuito, não tinha o nome do autor. Mas era quase impossível lê-lo, devido aos inúmeros erros de português e palavras digitadas incorretamente. Por exemplo, em uma certa frase no lugar da palavra "muro" estava escrita "imiro". Em uma outra frase no lugar da palavra "vida" estava escrito "vicia". Ou seja, eu tive meio que traduzir e decifrar o livro, mas foi algo que valeu a pena. É um ótimo relato e depoimento de um portador de esquizofrenia, em que são contados suas crises, os surtos, o relacionamento com a família, as recaídas, a recuperação, drogas e álcool, etc.
Para baixar o livro gratuitamente, é só acessar a CDE: Central de Downloads do Esquizo. Basta clicar na imagem ao lado direito da página ou então no link abaixo:
https://onedrive.live.com/?cid=A884A13FCDDC52A3&id=A884A13FCDDC52A3%21118

7 comentários:

  1. "Os originais são mais caros, não só devido às propagandas, mas também por causa dos vários anos de pesquisa gastos com os testes dos medicamentos. Então nada mais justo que o laboratório tenha a patente do remédio. "

    Os laboratórios não gastam tanto em pesquisa quanto fazem crer. O maior gasto é com propaganda.
    E ainda escondem inúmeros efeitos colaterais como morte durante os testes clínicos.
    O caso de Traci Johnson - se enforcou durante os testes clínicos do Cymbalta - e outras quatro pessoas que também morreram veio a público pelo esforço de psiquiatras e advogados que lutam por uma medicina ética onde a ganância não leve tantos a terem suas vidas destruídas devido ao consumo de medicamentos que alteram a saúde de forma mais grave do que se acredita.

    Mas eu teria de explicar muitas coisas. O problema é ganância nada além da ganância.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, você resumiu bem a questão, a ganância é o maior problema. Tanto é que os melhroes resultados no mundo no tratamento da esquizofrenia são obtidos no norte da Finlândia, onde os medicamentos são pouco utilizados. Ou seja, a esquizofrenia não é uma simples alteração no cérebro, resultando no aumento da dopaminia. Obrigado pela participação no blog,

      Excluir
  2. Segundo a minha crença pessoal, a esquizofrenia resulta da negação de um trauma, quer por parte de pessoas próximas a esse evento quer pela psiquiatria, numa segunda fase, levando a confusão mental, como resultado de um mecanismo psicológico conhecido como double bind.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também concordo que a esquizofrenia na maioria dos casos tenha mais motivações psicológicas e ambientais do que químicas. Seria muito fácil reduzir a esquizofrenia à um simples desequilíbrio químico causado pelo excesso de dopamina. Se fosse assim, todos estariam curados ou pelo menos controlados, sem muitas sequelas.Obrigado pela participação

      Excluir
    2. Eu costumo dizer esta metáfora:
      Eu vejo uma parede e a parede é branca. No entanto todas as pessoas insistem em dizer que a parede é preta (muitas sem o comprovar). Desta maneira eu tenho as seguintes opções:
      1- negar que a parede é branca (negar a realidade )
      2- viver em conflito com todo o mundo.
      ou por outras palavras double bind.
      Não acredito com isto que se deve em algum caso suspender a medicação. A minha critica fundamental é a maneira como os pacientes são tratados pela psiquiatria.
      Parabéns sinceros pelo excelente blog, por favor continue assim.

      Excluir
  3. Genérico: Farsa?
    Será porque tanta gente reclama?
    http://g1.globo.com/fantastico/quadros/Cade-O-Dinheiro-Que-tava-Aqui/noticia/2015/08/prefeitura-de-cidade-do-pr-distribui-medicamentos-vencidos-doentes.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente isso deve acontecer com muito mais frequência do que pensamos. Será que os laboratórios não reaproveitam os medicamentos vencidos e os colocam em novas embalagens? Fico nesta dúvida, pois neste país tudo é possível. Fico pensando se os medicamentos também contém o princípio ativo na quantidade que está na embalagem. A verdade é que a doença, principalmente os transtornos psiquiátricos, enriquece muita gente, e a situação do jeito que está agrada a muita gente.
      Depois vou ler a matéria toda. Obrigado pela participação no blog.

      Excluir