terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

O esquizo responde - parte 2

 
    Mais uma postagem com perguntas e respostas sobre o tema esquizofrenia. Não sou estudante, nunca frequentei uma faculdade, mas a vida me ensinou muito e sempre procurei aprender com os meus erros, além de ser uma pessoa bastante curiosa. Tudo isso aliado a experiência prática no tema me fez sentir capaz de responder algumas perguntas, ou pelo menos tentar ajudar a tirar um pouco as dúvidas das pessoas sobre essa tema tão complicado e ainda cercado de mistérios que é a esquizofrenia. Sintam-se à vontade para fazerem mais perguntas, que irei deixando acumular até dez questões, que acho um número interessante para uma postagem.

1- Você já sabe diferenciar o que é real do que não é real?
    Atualmente não tenho tido tantas alucinações como no início, por volta do ano de 2002. Existe uma classe de sintomas da esquizofrenia que são chamados de sintomas negativos, que é a apatia, o desânimo, a falta de interesse, etc. Creio que estou mais nessa fase dos sintomas negativos e não tenho tido tantas alucinações. Só a mania de perseguição que ainda me persegue. Esse tipo de sintoma até hoje não sei como vencê-lo, mas já lido melhor com ele do que há uns dez anos atrás. Infelizmente no momento em que ocorre essas situações, não tem como saber se são reais ou não, se tem algum fundamento para tê-los, creio que pela tensão que ficamos na hora em que ouvimos uma voz, por exemplo.
   Por exemplo, "penso que os traficantes pensem" que eu seja algum informante da polícia, e também chego a pensar que a polícia pensa que eu seja um traficante, um usuário de drogas. Tenho que ficar analisando os fatos, para tentar "administrar" essa paranoia, se ela tem algum fundamento ou não. Talvez os traficantes possam pensar que eu seja um "caguete" por ser um cara calado e pouco conversar com as pessoas. E por outro lado chego a pensar que a polícia pense que eu seja um traficante, por não estar trabalhando e ter uma renda e morar relativamente perto de uma "boca de fumo".
     Esse tem sido um grande desafio para mim, conviver com esses delírios persecutórios e ter uma vida próxima do normal. Já as alucinações auditivas hoje em dia são bem raras, e, quando acontecem, no momento penso que são reais, pois são bem nítidas as vozes. No dia seguinte analisando melhor a situação, às vezes consigo chegar à conclusão de que não foi real aquela voz, de que não foi ninguém que disse aquilo que ouvi.

2- Como são as suas alucinações visuais? Você vê pessoas que na verdade não estão ali?
    No meu caso em particular as alucinações visuais foram em menor número do que as auditivas, mas foram bem estranhas de se explicar. Certa vez, quando estava surtado, vi algo parecido com um machado vindo em minha direção, me lembro que no momento até me abaixei para desviar dele. Hoje sei que não foi real, pois não me lembro de ter ouvido nenhum barulho, pois era para o machado ter batido na parede ou no portão. 
    Também vi várias pessoas, e em alguns casos foi possível chegar à conclusão de que foram realmente alucinações, ao fazer a análise dos fatos. Por exemplo, quando estava perambulando pelas Br's, cheguei a ver dois colegas de trabalho, que não via a cerca de 16 anos atrás. Mas eles estavam com a mesma aparência, até o carro que o dono da firma dirigia continuava no mesmo estado, um fiat 147. No momento é claro que pensei que era real, pois eles pararam bem em minha frente. Não disseram nada, me lembro que o carona chegou a me oferecer algo, mas nem havia prestado atenção, de tão surpreso que estava. Hoje sei que não era possível aquilo ter acontecido, pois, além de não terem mudado a aparência, não falaram nada comigo, sendo que o dono da firma era uma pessoa bem extrovertida e sorridente. Sinceramente até hoje não sei explicar como aconteceu aquilo, pois no final eles foram embora, dando a partida no carro. E não eram parecidos com eles, eram os caras mesmo que estavam dentro do carro, só que com a mesma aparência de 16 anos atrás, até estavam usando o uniforme azul da firma.
    Tive várias outras alucinações visuais, durante os surtos. Via pessoas que conheci em outras cidades em Belo Horizonte, passando por mim e me olhando. Se fosse realidade, pelo menos algumas delas teria falado comigo. Na Br, de noite, cheguei a ver um vulto parecido com a "morte" meio que deslizando pela estrada. Confesso que na hora fiquei muito assustado, e tinha a certeza que ela queria algo comigo. Mas ela passou direto, e, quando a vi pela segunda vez já estava acostumado e não cheguei a me assustar. Hoje sei que foi uma alucinação, pois não poderia ser uma pessoa, pois não estava andando, e sim deslizando pela Br, e naquela velocidade uma pessoa teria que correr.
    Os temas místicos muitas vezes aparecem nos surtos psicóticos, é como se fosse um eco da mente, em que nossos medos e receios saem do nosso inconsciente e podem aparecer por meio das vozes e alucinações visuais.


3- Como é o delírio persecutório?
    Como já relatei na primeira pergunta, imagino que as pessoas estão contra mim. Penso que os traficantes querem me pegar por que "penso que eles pensam" que eu seja um "caguete". E penso que os policiais desconfiam de que eu seja um traficante, por não trabalhar e ter uma renda.
    Andando pelas ruas, penso que estão todos olhando para mim, apesar de não encontrar motivos para atrair a atenção das pessoas. Não adianta analisar os fatos, esse tipo de pensamento é um pouco difícil de não ter. Se por acaso riem, penso logo que estão rindo de mim.  E se estão sério demais, penso que é por que fiz algo de errado e estão me censurando. Também chego a exagerar no número de câmeras, penso que estão em todos os lugares, em todas as ruas. 
    A situação fica mais complicada quando tenho algum tipo de alergia ou então fico doente, e então logo imagino que algum "inimigo" conseguiu me envenenar, colocando algo em minha comida. Resumindo, no delírio persecutório chego a imaginar que tudo gira em torno de mim, e que todo o mundo está contra mim.

4- Você tem instabilidade de humor em questão de minutos?
    Sim, e creio que muitas pessoas também têm, independentemente de serem ou não portadoras de esquizofrenia. Mas no meu caso, isso é muito recorrente, e chega a prejudicar a vida social, pois não tem como marcar alguma coisa, pelo simples fato de não saber como estarei naquele dia marcado. Essa variação de humor é mais comum na bipolaridade, mas também pode ser um dos sintomas da esquizofrenia, tanto é que alguns psiquiatras chegam a diagnosticar um portador de esquizofrenia como bipolar, e o contrário também chega a acontecer. Abaixo um link com as semelhanças e diferenças entre a esquizofrenia e bipolaridade.
http://entendendoaesquizofrenia.com.br/website/?p=3733

5- O que preciso fazer para namorar uma pessoa esquizofrênica? Já estou namorando, só preciso saber os cuidados, e o que não devo fazer, pois gosto muito dela e quero ajudá-la a ser feliz.
    Bem, é uma pergunta que tem uma resposta simples. Seja você mesmo, sem mentiras, sem falsidades. Não existe a pessoa "esquizofrênica". Cada pessoa que tem esquizofrenia tem a sua maneira de ser e pensar. Tem suas qualidades e defeitos. Não existe um padrão de pessoa com esquizofrenia, infelizmente é um rótulo que a sociedade nos colocou.  Existe sim alguns comportamentos que são os sintomas da esquizofrenia: desconfiança exagerada, o retraimento, isolamento e outros sintomas parecidos. O que você pode fazer é se informar ao máximo sobre o assunto, para assim lidar melhor com o seu companheiro(a).
    E também tratá-la como se fosse uma pessoa normal, que não tem nenhum problema. A melhor maneira de tratar uma pessoa com "problemas" é tratá-la como se não tivesse problemas. Quero dizer com isso é que o sentimento de pena, dó, não é muito legal. Mas às vezes é preciso ter paciência em algumas situações, deixar algumas questões para serem resolvidas depois. Mas no geral não tem nada demais, nenhum cuidado exagerado deve ser tomado. Claro que tudo depende da gravidade do caso e do tipo também.

6- Qual a relação entre a depressão com a esquizofrenia?
     Bem, se considerarmos que a depressão é uma doença endógena, podemos então dizer que não existe muita relação entre a esquizofrenia e a depressão. Existem sim os sintomas negativos da esquizofrenia que são bem parecidos com os da depressão, que são: a apatia, a falta de energia, de interesse, o embotamento afetivo, etc.
     Creio que, depois do primeiro surto psicótico principalmente, possa bater uma tristeza tão grande na pessoa que possa ser confundida com a depressão. O diagnóstico pode também causar um desânimo muito grande. Então, devemos em primeiro lugar saber diferenciar tristeza, desolamento da depressão.
    Hoje em dia também se fala na depressão exógena, que acontece em razão de circunstâncias de nossas vidas: uma perda, um trauma, etc. Creio que o diagnóstico da esquizofrenia, as incertezas, o preconceito, tudo isso possa levar à esse tipo de depressão, se bem que prefiro usar a palavra tristeza mesmo. Pois, na minha opinião, quando existe um motivo para essa situação, não se deve chamar de depressão, pois não existe medicamento que cure a tristeza de uma alma.

7- Você faz algum tipo de terapia psicológica?
    Já fui em diversos psicólogos (as). Mas no meu caso em particular não surtiram efeito ou melhoraram a situação, pois nas terapias apenas me faziam perguntas e anotavam tudo em um caderno. O que mais precisava no início era de informação sobre o que eu realmente tinha, pois vivia indo nas igrejas para espantar o "tinhoso", pois pensava se tratar de algo puramente espiritual. Mas nas igrejas ficava ainda mais confuso, pois, quando ia na frente, muitas pessoas caíam, menos eu. Cheguei a pensar que o espírito que estava em mim era muito forte, e que precisaria de um exorcismo. Como disse antes, as questões religiosas e místicas podem estar muito presentes, principalmente durante os surtos.

8- Como são seus delírios?

     Existem definições diferentes sobre a definição da palavra delírio, mas na psiquiatria ela quer dizer basicamente pensamentos que não correspondem com a realidade. 
    Antes de surtar, tinha um delírio de que era superprotegido pelo meu anjo da guarda e então não temia praticamente nada, chegando a me envolver em situações complicadas. Não sei se foi coincidência ou não, sempre passava por essas situações ileso. Acho que passava tanta autoconfiança nessas situações que as pessoas sentiam um pouco de medo de mim. Me lembro que cheguei a encarar um cara bem forte quando tinha uns 16 anos. Parecia um lutador de sumô e estava dando porrada em todo mundo, aplicando alguns golpes de alguma arte marcial. Quando se deparou com a minha pessoa, fiquei encarando-o firmemente nos olhos, com a certeza de que seria protegido. O cara simplesmente não fez nada e seguiu atrás de outros caras. 
   Hoje em dia o que mais me atrapalha são os delírios persecutórios mesmo. Por exemplo, penso que todas as pessoas pensam que eu seja um ladrão. Se uma mulher segura sua bolsa com firmeza perto de mim é como se estivesse me chamando de ladrão. E quando não segura só falta eu agradecer a pessoa por não desconfiar de mim. Quando entro em algum estabelecimento penso que todos os seguranças estão me monitorando. Se algum por acaso fala no rádio de comunicação, então é o fim para mim, tenho certeza absoluta que estão falando de mim. 

9- O que as suas vozes costumavam falar?
    No início, as vozes eram comentaristas, ou seja, apenas comentavam algo sobre a minha pessoa. Comentavam se eu estava gordo, se estava magro, se estava com a mesma roupa do dia anterior, enfim sobre a minha aparência, sobre algo que havia feito, etc. Também ouvi algumas vozes me culpando por tudo o que havia feito de errado em minha vida, e depois sobre tudo mesmo, até mesmo coisas que não havia feito. O sentimento de culpa exagerado é um dos sintomas da esquizofrenia também.  À medida que a situação foi piorando as vozes passaram a ser ameaçadoras, chegando a ouvir que queriam me pegar, me matar, etc. Felizmente não tive muitas vozes de comando, me pedindo para fazer coisas. 
    Durante os surtos as vozes ficavam descontroladas, parecia tagarela mesmo. Fica até difícil lembrar com detalhes os diálogos que tive com elas. Me recordo que às vezes tinha que ficar lendo os outdoors imaginando que as pessoas liam a minha mente e ficavam falando na minha cabeça. Então, para espantá-las ficava lendo e repetindo as coisas para que as supostas pessoas parassem de ficar lendo os meus pensamentos. 


10-As suas vozes já pediram para você fazer algo que pudesse trazer danos à sua vida (ou de outras pessoas)?
    À vida das outras pessoas até que não. À minha vida sim, pois uma voz chegou a afirmar que eu era uma alma penada, e então parei de me alimentar, chegando a perder cerca de 25kg e me refugiei no meio do mato. Mas não cheguei a ouvir as vozes de comando, que pedem para fazer coisas contra as pessoas. As vozes quando são muito intensas e insistentes, chegam a prejudicar a nossa saúde, pois não dormimos e nem nos alimentamos direito, sem contar o stress que elas podem nos causar. 


CDE- Central de Downloads do Esquizo

    Esta semana na CDE estou disponibilizando o livro Holocausto Brasileiro, que retrata como era o tratamento dos considerados loucos pela sociedade durante boa parte do século XX. Pelos relatos, não só os considerados loucos, mas os que eram excluídos pela sociedade eram levados de trem até esse hospital, na cidade de Barbacena, em Minas Gerais. 
   Neste livro-reportagem fundamental, a premiada jornalista Daniela Arbex resgata do esquecimento um dos capítulos mais macabros da nossa história: a barbárie e a desumanidade praticadas, durante a maior parte do século XX, no maior hospício do Brasil, conhecido por Colônia, situado na cidade mineira de Barbacena. Ao fazê-lo, a autora traz à luz um genocídio cometido, sistematicamente, pelo Estado brasileiro, com a conivência de médicos, funcionários e também da população, pois nenhuma violação dos direitos humanos mais básicos se sustenta por tanto tempo sem a omissão da sociedade.
Pelo menos 60 mil pessoas morreram entre os muros da Colônia. Em sua maioria, haviam sido internadas à força. Cerca de 70% não tinham diagnóstico de doença mental. Eram epiléticos, alcoólatras, homossexuais, prostitutas, gente que se rebelava ou que se tornara incômoda para alguém com mais poder. Eram meninas grávidas violentadas por seus patrões, esposas confinadas para que o marido pudesse morar com a amante, filhas de fazendeiros que perderam a virgindade antes do casamento, homens e mulheres que haviam extraviado seus documentos. Alguns eram apenas tímidos. Pelo menos 33 eram crianças.

   Para acessar a CDE, basta clicar no link abaixo ou então na imagem situada no lado direito superior do blog.
https://onedrive.live.com/?cid=A884A13FCDDC52A3&id=A884A13FCDDC52A3%21118
   Quem tiver algum link de algum livro sobre qualquer tipo de transtorno mental, se puder me passe, para disponibilizar para as pessoas. A informação é a base de tudo e a melhor arma contra o preconceito e a falta de respeito contra as pessoas consideradas "diferentes" pela sociedade. 

79 comentários:

  1. muito bom teus comentários parabéns querido!!!!
    que Deus te abençoe te guie e te guarde todos os dias de tua vida!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, é uma forma que encontrei de tentar mostrar um pouco o que é a esquizofrenia, ou pelo menos uma parte, já que é um transtorno que ainda é um mistério para todos nós.

      Excluir
  2. Muito interessante! Memórias e pensamentos de uma pessoa com CID de EQZ. Pode ajudar a outras pessoas com o mesmo diagnóstico e principalmente fazer-se entender pelas pessoas que fazem parte da sua vida!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, uma das minhas intenções com o blog é tentar ajudar as pessoas que estão passando agora o que passei há alguns anos atrás. Se tivesse acesso as informações sobre o assunto, provavelmente teria evitado passar por muitas situações difíceis e complicadas. Obrigado pela visita ao blog.

      Excluir
  3. O desanimo é um dos sintomas negativos como narrado acima. Achei um blog otimo no google digitando "como vencer o desanimo". Dá dica valiosas para nosso dia a dia, como ouvir musicas, caminhar e outras.

    ResponderExcluir
  4. Adorei, acompanho desde sempre! Tenho uma dúvida. Lembrar de algo que nunca aconteceu é um sintoma? Acreditar que aquilo tenha acontecido mesmo, mas depois cair na real que nunca aconteceu?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado por estar sempre seguindo o blog.
      Pelo que pesquisei e olhando os meus sintomas, creio que não seja um dos sintomas da esquizofrenia. Mas não posso afirmar com certeza, pois, o que mais procuro demonstrar é que existem as esquizofrenias e não a esquizofrenia. Não existe "o esquizofrênico" e sim a pessoa que tem os sintomas de um transtorno que foi denominado esquizofrenia pela comunidade médica. Mas tenho algo bem parecido, é estar em um determinado lugar e bater uma sensação de que já estive no lugar e que já vivi aquela situação. É conhecido popularmente como devaju, é uma sensação bem estranha mesmo, parece que voltamos a terra para consertamos algo que não fizemos direito. Mas não se preocupe se você tem apenas esses pensamentos, todo mundo tem as suas manias, seus pensamentos considerados estranhos, etc.

      Excluir
  5. Querido Júlio, gosto de ver você sempre reiterando a premissa "de perto ninguém é normal", pois ninguém é 100% em nada; todos temos nossas deficiências; e o que nos faz doentes é exatamente a falta de condição de lidar com elas; enquanto temos consciência de nossas manias, nossas neuras, e sabemos lidar com elas, está tudo bem...O problema é perder essa capacidade; aí sim a doença se instala.Lembrando também que,nos tempos de hoje, ser saudável é estar em constante alerta, em constante tratamento,em todas as áreas de saúde, seja ela mental ou física.
    Grande abraço pra vc.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem me dera se as coisas fossem tão simples assim, se apenas bastasse ter consciência de nossas "manias"...
      Ter algum conhecimento e autoconhecimento ajuda, mas não resolve...
      Se resolvesse não estaria aqui, estaria trabalhando e curtindo a vida, como fazia antes dos surtos aparecerem em minha vida.

      Excluir
  6. Caro Júlio,o ambiente e as pessoas que nos rodeiam são determinantes sim na perda de controle.Há uma diferença, em grau e comportamentos, entre quem vem de ambientes violentos, desrespeitosos, e quem é diagnosticado e vem de ambientes amorosos, organizados e mais equilibrados.Já a incapacitação para o trabalho é outra coisa; transtornos mentais incapacitam muito; só tem uma chance quem tem a sorte de ter trabalhos mais abertos, menos estressantes e bastante flexíveis; e ainda assim é difícil.Longe de mim querer te ofender; a vc ou a qualquer outra pessoa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não me ofendeu não. Só não entendi a razão do comentário, pois nunca disse que o ambiente não possa ser determinante na perda de controle ou desencadear um surto psicótico, por exemplo. E comigo aconteceu assim mesmo, um boato de que eu estava com aids se espalhou por uma pequena cidade onde eu morava. Aquilo acabou se tornando uma realidade na cidade, pois era pequena mesma. E, para piorar, acabou se tornando uma realidade em minha mente. Demorou alguns anos até eu acreditar que não tinha aids. Não entendi a razão do seu comentário...

      Excluir
  7. Ameii seu blog
    Tenho ainda muitas duvidas relacionado ao assunto porque acho que minha irmã ta com alguns sintomas
    Ela ta tendo constantes pesadelos e sao orriveis!
    E ela desenha todos num caderno e quando eu vejo tem muito sangue e facas...
    Ela ta tendo acompanhamento com psicologos agora e ta tomando remedio de dormir
    Mas acho que nao ta adiantando
    Ela tem uma boneca que ela se apegou tanto a ela que paresse um bebe de verdade
    Ando muito triste por isso

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, obrigado pelas palavras.
      Em relação à sua irmã, espero que melhore logo, e é sempre bom olhar isso o quanto mais cedo possível. Ela tem quantos anos? Tem comportamento infantil? O que as pessoas que tem esquizofrenia sentem e sofrem, muitas pessoas também sentem, só que em menor grau. Mas percebi que as pessoas ficam desesperadas pelo fato de imaginarem que possam ter também esse transtorno, devido ao estigma que ele carrega.

      Excluir
    2. oi boa tarde!! infelizmente ontem tivemos o diagnostico que minha irmã realmente tem esquizofrÊnia... puxa meu mundo ta desabado pq sempre fomos muito achegadas uma a outra ela ta tomando so a noite 5 comprimidos diferentes...ela sempre teve distubios mentais.mas ela desenvolveu a esquizofrenia por causa de um trauma que ela teve que foi a separação da minha mãe e isso afetou muito ela pq ela tinha ele como pai mas ele começou a rejeitar ela ai ela começou a juntar todos esses sentimentos e infelizmente acabou nisso...ela diz que sempre ver um homem preto e que esse homem é pai dela e que ele é bom pra ela mas que ele tambem manda ela matar esse ex marido da minha mãe... faz umas duas semanas que ela tentou se matar de novo...eu to com muito medo...o seu blog vai me ajudar muito pra saber como lidar com isso...muito obg!!!
      sim ela tem 18 anos e tem comportamentos infantis

      Excluir
    3. Olá
      Realmente a situação parece ser um pouco complicada, pois como você relata a sua irmã tem comportamentos infantis. Sempre digo que a informação é um aliado forte para se lidar melhor com a esquizofrenia. E não somente os familiares que devem se informar, o próprio portador deveria procurar algum tipo de conhecimento sobre o assunto e sobre si mesmo. Espero que encontre alguma forma de explicarem para ela o que realmente está acontecendo. Talvez conversando com a psicóloga dela ajude nessa situação, encontrando alguma maneira de tentar conscientizá-la da situação, e que nem tudo está perdido. É algo complicado isso, até recomendo a não dizerem para ela coisas do tipo "isso é coisa de sua cabeça, não existe isso". As alucinações parecem tão reais que não adianta muito fazerem tal afirmação. Mas espero que encontrem um caminho, conversando com a psicóloga e com o psiquiatra, caso estes profissionais estejam abertos ao diálogo, é claro.
      Obrigado mais uma vez pela visita ao blog e pela confiança.

      Excluir
    4. a psicologa dela aconselhou a minha mãe a não contar a ela agora que ela sofre dessa doença eu não entendi o motivo realmente,mas ainda não falamos a ela.pra ela o que ela tem é uma depressão forte.eu e minha mãe estamos pesquisando sobre o assunto pra saber como devemos lidar com tudo isso...pra que ela venha se recuperar.sabemos que ela vai ficar pro resto da vida se tratando,mas esperamos que ela venha ter uma vida normal...
      temos muito cuidado pra que ela não se sentisse de alguma forma rejeitada por dizer pra ela que tudo o que ela ver é coisa da cabeça dela...tu acredita que no dia em que ela foi pro caps fazr tratamento tinha uma senhora la que tava aconselhando mainha levar ela numa igreja pq aquilo que ela tava vendo podia ser coisas de demonios?? ela ate disse que ia ate levar a filha dela...
      mais uma vez eu te parabenizo por esse maravilhoso blog...
      vc nem imagina o quanto ta me ajudando,não só vc como todos os relatos e perguntas que eu vejo das pessoas que te acompanham...

      Excluir
    5. Já notei que alguns psicólogos e psicólogas adotam essa prática de não contar a verdade para seus pacientes. Creio que temos o direito de saber o que temos ou que talvez podemos ter, pois, como sempre digo, a informação é o melhor aliado para se aprender a lidar melhor com a esquizofrenia. E não somente os familiares como o próprio portador tem esse direito. Aconselho que leia o livro "Entendendo a esquizofrenia", para baixá-lo é só clicar na imagem no lado esquerdo superior da página, onde está a imagem CDE (Central de Downloads do Esquizo).
      Em relação às igrejas, infelizmente muitos pastores não estão preparados para lidar com essa situação, e isso só piora o quadro da pessoa. Não tem coisa pior do que ouvir dizer que estamos com espíritos malignos ao invés de nos aconselharem a procurar ajuda médica.
      Fico feliz em saber que estou ajudando de alguma maneira, é uma forma que encontrei de retribuir toda a ajuda que tive nos momentos mais difíceis.
      Obrigado.

      Excluir
  8. Eu tenho 16 anos, e ja faz uns 3 anos q eu tenho ansiedade generalizada e ataques de panico.. quando eu comecei a ter sintomas de ansiedade, eu comecei a ir no psicólogo e ele me receitou fluoxetina, e eu melhorei um pouco da ansiedade, mas tempos depois eu resolvi parar de tomar fluoxetina, fiquei um tempo bem, sem ter ataques de pânico e nao me sentia tão ansioso, mas pouco tempo depois minha ansiedade voltou com tudo, os sintomas voltaram mais fortes e eu tinha ataques de panico com mais frequencia... fiquei muito tempo sofrendo por causa da ansiedade, e depois eu comecei a desenvolver um medo muito grande de ficar louco (comecei a ter esse medo pq eu ficava lendo sobre esquizofrenia na net), e esse medo começou a tomar conta da minha vida, maioria dos sintomas de ansiedade q eu tenho, na minha mente são sintomas de esquizofrenia... eu nunca ouvi vozes, nunca tive alucinação, nem tive delirios, e ninguem na minha familia tem esquizofrenia (alguns tem ansiedade), mas mesmo assim tenho MUITO medo de perder o controle da minha mente, de ficar esquizofrenico.. direto fico fazendo testes de esquizofrenia na net, TUDO que eu faço, eu fico analisando pra ver se eu nao to tendo uma atitude de alguem q tem esquizofrenia, sempre quando ouço algum barulho, pergunto pra alguem q ta perto se tbm ouviu, só pra ter certeza que eu nao to tendo alucinaçoes, tb li num site que esquizofrenicos tem dificuldade de fixar o olhar, e agr peguei mania de ficar fixando o olhar em algum ponto (num buraco na parede por exemplo) só pra provar a mim mesmo q eu nao sou esquizofrenico, e ultimamente eu tenho lido muito sobre esquizofrenia na net, e isso me deixa mais ansioso ainda (é como se eu tivesse uma necessidade de tda hr ficar lendo sobre esquizofrena) ... tb tenho muito medo de falar coisas sem sentido que nem essas pessoas q tem esquizofrenia, e TUDO que eu vou falar, eu fico pensando antes pra ver se tem sentido, e quando vou falar, acabo me enrolando, gaguejando, e tendo dificuldade de pronunciar palavras, e ja começo a achar q isso é um sintoma q eu to ficando louco.... li na net q quem tem medo d ficar louco, nao fica louco, mas mesmo assim nao consigo me livrar desse medo... e todo esse medo da loucura aumentou e MUITO minha ansiedade, eu ja nao consigo ficar relaxado, qualquer coisa eu ja fico me preoucupando, fico ansioso e tenso o DIA INTEIRO, acordo ansioso e vou dormir ansioso... mes que vem estou pensando em ir no psicologo e começar tomar fluoxetina d novo, pq ja faz quase 3 anos q eu tento me livrar desse medo e dessa ansiedade, e nao consigo, acho q ja passou da hr de eu me tratar... o pior é quando eu começo a ter ataques de panico, e começo a ficar com medo de na vdd ser um surto psicotico, dá uma tristeza, um desespero, uma angustia muito grande, e eu só me sinto melhor depois q passa o ataque de panico, pq dae eu tenho certeza q nao foi um surto psicotico... enfim esse foi meu relato, vc acha q eu posso desenvolver uma esquizofrenia?? qual sua opiniao? obgd

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá
      Como já comentei logo acima, as pessoas costumam ficar desesperadas devido ao fato de cogitarem a ter algum tipo de surto psicótico e desenvolver algum tipo de esquizofrenia. Isso tudo creio que seja por causa do estigma que a esquizofrenia carrega, que é o sinônimo de loucura, agressividade pela sociedade. Mas não é bem assim, o índice de violência entre os "ditos normais" provavelmente é maior do que entre os portadores de esquizofrenia.
      O que as pessoas que têm esquizofrenia sentem e passam, muitas pessoas também passam e sentem, só que em menor grau. Mas é sempre bom se cuidar, pois uma cisma pode acabar virando uma neurose e depois uma psicose.
      Mas não acredite muito nesses testes da internet sobre esquizofrenia. É bom procurar se informar sem o assunto, mas, como já afirmei, só de pensarem que podem ter esquizofrenia, as pessoas já ficam um pouco perturbadas e com muito receio. E a informação é o melhor caminho para se tirar essas dúvidas
      Espero ter ajudado.

      Excluir
  9. eu pesquiso muito sobre esquizofrenia na net, como eu disse. parece q eu tenho uma necessidade d ficar lendo sobre o assunto, ja virou uma obcessao.. o meu medo mesmo é começar a ter delirios, ouvir vozes, me isolar do mundo real.. mas enfim, espero q seja só ansiedade.. obgd

    ResponderExcluir
  10. Olá, amei o teu blog!
    Bom, eu me chamo Isabela e tenho apenas 14 anos, mas de uns tempos (1-2 anos) pra cá venho me sentindo perseguida, quando vou a rua parece que tem alguém me seguindo ou me espionando, sou muito tímida, tenho grandes dificuldades de me socializar com alguém novo, e sou bastante ansiosa, qualquer coisinha eu já não consigo dormir, só a base de calmantes, tbm escuto vozes, que comentam sobre mim e sobre outras pessoas, sempre tirei notas altas, mas as vezes é bem difícil me concentrar e raciocinar, sinto como se as pessoas soubessem sobre mim e que sabem sobre meus pensamentos, sinto como se elas só querem o meu mal.
    Nunca fui à um psicólogo mas acho que seria bom.
    Minha mãe sabe só sobre as vozes, ela já até me levou para a igreja achando que poderia ser algum espírito, mas nada mudou, continuo ouvindo. Tenho medo de falar sobre as outras coisas, pq como ela diz, na adolescência temos uma imaginação fértil. Mas o que sinto chega a me incomodar.
    Gostaria muito de saber a sua opinião.
    Obg pela atenção e parabéns pelo ótimo blog!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá
      Obrigado pela visita ao blog e pela confiança em querer saber a minha opinião, que é um pouco difícil de ser dada, pois não é fácil falar sobre esse assunto, ainda mais se baseando em um breve relato.
      Gostaria antes de esclarecer que quase 100% das pessoas que têm esquizofrenia tem a mania de perseguição, mas o contrário nem sempre acontece. Sentir-se vigiado, perseguido é bem mais comum do que pensamos.
      Em relação as vozes, talvez seja algo parecido com um eco do seu pensamentos. Por exemplo, você entra em um ambiente cheio de pessoas, imagina que elas estão falando a seu respeito, e então esse pensamento acaba como que saindo de sua mente mas voltando em forma de uma voz, que vive comentando sobre os seus hábitos e sobre a sua aparência.
      Procurar uma boa psicóloga até que não é uma má ideia, só tenho receio de que te encaminhem para algum psiquiatra que pense que os medicamentos são a solução para tudo.
      Você tem uma boa consciência sobre a situação, e isso já ajuda um pouco.
      Só gostaria de dizer que já passei por isso, e o que aconteceu no meu caso em particular é que exagerei no número de pessoas que queriam me prejudicar. Foi como uma bola de neve, começou no ambiente de trabalho e em pouco tempo pensei que o mundo inteiro queria me prejudicar.
      Talvez não seja o seu caso, talvez tenha realmente algumas pessoas que queiram te prejudicar, mas é muito difícil acontecer que muitas pessoas ao mesmo tempo queira que você se dê mal.
      Bem, é o que posso lhe dizer e aconselhar. Uma boa terapia até que pode ajudar, dependendo do caso e da própria pessoa, alguns gostam, outros nem tanto.
      Mais uma vez obrigado pela confiança e pela visita. Espero ter ajudado.

      Excluir
    2. Isabela

      Eu acho que o melhor a fazer é procurar fazer uma consulta com um psiquiatra e contar tudo que você está sentindo, sem esconder nada
      um abraço
      anônimo

      Excluir
  11. A 6 anos meu marido teve o surto foi depois de passar um email no trabalho e hoje vive em tratamento com respidona...mas tinha parado de vez ....e a uma semana esta em crise...com sintomas de que mae e o pai sabem de tudo e sabe porque fazem isso c ele....esta c dificuldade de ir trabalhar...enfim...em crise.
    Pergunto ele voltou a tomar remedio...Você acha que ele vai normalizar ou precisara de mais ajuda...na terça ele voltara a medica dele.
    ELE e calma inteligente ...cuida da casa dos.orcamentos ..das compras...e bem difícil ver ele. Neste situação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá
      Fica difícil afirmar se ele irá melhorar ou precisar de mais ajuda. Neste relato não tem como saber a gravidade do caso dele, o nível de consciência que ele tem de que está tendo algum tipo de problema, e se está tendo um tratamento adequado ou não. Como você afirmou que ele é uma pessoa calma e inteligente, creio que isso ajudará e muito, pois a informação é muito importante para tentar a aprender a lidar melhor com a esquizofrenia. Sugiro que leia o livro "Entendendo a esquizofrenia". No lado direito da página tem o link para o download, é só clicar na imagem CDE (Central de Downloads do Esquizo).
      Obrigado pela confiança e melhoras para o seu marido, não se esquecendo de que não somente você como ele tem que procurar a informação.

      Excluir
  12. Olá,o que você conhece do nitroprussiato de sódio?pelo que sei estava em fase experimental,mas isso tem 4 anos,é um remédio mais eficiente que os antipsicóticos...será que hoje já pode se tomar em minha residência oi no hospital mais perto?meu email mrc.mello1@gmail.com abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já ouvi falar sobre isso. É um vasodilatador, e que estão pesquisando no tratamento da esquizofrenia e os resultados dizem que estão sendo bons. Pelo que li, ainda irá demorar, é normal isso. Mas é uma boa notícia, pois no Brasil só se falam nos antipsicóticos caros, mas que causam inúmeros efeitos colaterais ainda. Por exemplo, hoje em dia um medicamento para epilepsia está sendo usado para combater os sintomas da bipolaridade.
      http://entendendoaesquizofrenia.com.br/website/?p=5475

      Excluir
    2. Eu amei seu blog!!! Meus parabéns! Atualmente estou estudando sobre e você já me ajudou muito, Li em outros sites que mais especificamente o começo da esquizofrenia dá início na adolescência, e os surtos são mais elevados. A partir de que idade isso minimiza? E quantos anos você tem atualmente? Mais uma vez, muito obrigada ❤ e você é demais!

      Excluir
  13. Boa tarde. Parabens pela sua coragem. Gostaria de lhe fazer uma pergunta. Acha que o primeiro surto que teve, foi em "resposta" a algum evento traumático, ou por outro lado acha que foi completamente despropositado? Eu também sou portador e tenho uma "teoria" acerca desta condição. Eu acho que existirá um evento traumático em principio, que se não convenientemente resolvido, ou seja negado, e aí a psiquiatria não se comporta bem, pois imputa a responsabilidade exclusivamente ao paciente (teoria genética- poda sináptica), gera uma situação de double bind em que ou se nega a realidade ou se entra em conflito com o mundo. Eu já tenho postado alguns comentários em anónimo... Não negando a doença, pois ela existe, tenho duvidas em relação ao tratamento. Mais uma vez parabéns. Acredite que não são muitas pessoas que têm a mesma coragem que você tem. Espero que haja uma cura em breve...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim acredito que algum evento traumático, stress, etc possam ser o gatilho de um surto psicótico. No meu caso em particular creio que foi o surgimento de um boato de que eu estava com aids. Isso aconteceu em uma pequena cidade do interior de Minas Gerais. E ai o boato se espalhou rapidamente e acabou se tornando realidade. Mas não culpo essas pessoas por terem essa mentalidade, e também sei que já tinha algumas tendências para esse tipo de transtorno mental.
      É como se fosse uma guerra, alguns soldados voltam traumatizados e precisam de internação, enquanto outros passam por essa situação quase que ilesos.
      Obrigado pela participação e pela pergunta inteligente.

      Excluir
  14. Ainda o anónimo sobre o mesmo tema: É interessante pesquisar um texto de Descartes chamado o discurso do método. Ele procurava a fórmula de encontrar verdades absolutas. Ele dizia que para encontrar a verdade eram necessários dois factores:
    - ancora externa (mundo exterior)
    - verossimilhança (previsibilidade do mundo exterior)
    Ou seja, se eu empurro um objecto para a frente, ele vai-se mover para a frente, pois isso acontece "sempre que eu empurro um objecto para a frente. Pois ... Mas e se ele se mover para trás ??? Isso gera dúvida sobre essa verdade, e mais importante do que isso gera medo e stress. É por isso que eu acredito que o primeiro surto psicótico é importante. Nunca se deve questionar a verdade pessoal, pois gera loucura. Espero ser compreendido... Mais uma vez obrigado. Gostava de saber a sua opinião, se não estiver a ser muito chato.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá
      Confesso que fiquei um pouco confuso, e não entendi por completo o comentário.
      Se quiser complementar esteja à vontade.
      Obrigado por mais esta participação.

      Excluir
    2. Ok. Se virmos a descrição de double bind, existe uma coisa que não está bem explicada. É o facto de double bind gerar confusão mental. Eu tentei arranjar uma "metáfora" para explicar isso. Por outras palavras: é fundamental termos CONFIANÇA no mundo exterior, pois se não existir essa confiança (âncora externa) isso gera stress e confusão. É só isto. Acha que , no entanto, me enganei no livro . Ele discute esta situação no Meditações Metafisicas. Bem segue o site onde tirei esta ideia: http://caf.fflch.usp.br/artigo/descartes-realidade-e-loucura . Ela não está lá explicita. Eu só pensei sobre o argumento que está lá, e apliquei-o a esta situação. Espero que compreenda.

      Excluir
    3. Entendi um pouco o que quis dizer. Realmente é preciso ter confiança no mundo exterior, mas hoje em dia tudo está tão estressante, principalmente nas grandes capitais. É só olhar São Paulo, a maior capital do Brasil, mas a cidade onde se tem o maior índice de pessoas com transtornos mentais no mundo. O mundo moderno creio que seja um fator de stress e, consequentemente essa piração toda que estamos vendo por ai. http://www.saopaulo.com.br/sao-paulo-tem-o-maior-indice-de-problemas-mentais-do-mundo/

      Excluir
  15. Boa tarde. Ainda o anónimo... Em relação ao primeiro surto psicótico... É interessante fazer um paralelo com um estado de consciência chamado de "fuga dissociativa". É assim que me lembro do meu primeiro surto. Agradeço muito a sua paciência.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, eu que agradeço a sua participação. Costumo dizer que os comentários fazem parte do blog, e por isso sempre procuro responder, só não respondo quando estou bem desanimado mesmo.

      Excluir
  16. Bem mas não me apresentei. Sou Português, sou portador desde os 16 anos de idade. Desde então consegui completar o 12º ano (no brasil deve ser diferente- não sei ) tirei o curso Superior e estou a trabalhar na minha área de especialidade. Tomo contra a minha vontade um comprimido todos os dias. Mas mais importante do que isso, sou Feliz. E o meu maior desejo é que todas as pessoas com esta patologia também o sejam - verdadeiramente felizes. Eu sou a prova de que é possivel: trabalhar, namorar, funcionar em sociedade como uma pessoa normal, pois EU SOU NORMAL. Mas tenho uma mágoa por todas as pessoas que inocentemente, e pensando que era o melhor para mim, me maltrataram. Por isso eu digo: seja forte, tente ser feliz (nem sempre é possivel- para TODA A GENTE) e obrigado...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá
      Eu que agradeço a visita e a mensagem positiva. Fico feliz também pelo fato do blog ter alcançado terras tão distantes.
      Também creio que seja possível ter uma vida bem próxima do normal, mas isso depende muito de alguns fatores como ter uma família bem estruturada, receber um atendimento digno principalmente no primeiro surto, e claro, força de vontade própria. Parabéns pela vitória e continue na luta.
      Mandei uma cópia do livro que escrevi para a Chiado Editora, quem sabe eles não o publicam por ai?
      No Brasil o que faz sucesso por aqui é um outro tipo de literatura, infelizmente.

      Excluir
  17. Olá amigo caminhante!

    Que bom retornar aqui pra te agradecer sobre sua abortagem ao CLORETO DE MAGNÉSIO
    Estou me livrando das fortes dores que tinha na coluna cervical que me prejudicava bastante, tomando o milagroso CLORETO DE MAGNÉSIO
    Muito obrigado mesmo!

    Em retribuição, veja esse vídeo do Dr Lair Ribeiro sobre Glutén e esquizofrenia. Eu praticamente curei minha depressão tirando o Glutén (sou alérgico ).
    https://m.youtube.com/watch?v=3ZNamyGxOlA

    Um abraço e continue com esse excelente canal de informação
    Mário

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá amigo, anda sumido. Tem feito novas caminhadas por ai?
      Fico feliz por ter ajudado com as informações. O cloreto de magnésio realmente é ótimo para esse tipo de problema e agora poderá caminhar mais ainda.
      Já ouvi falar sobre o glúten e o mal que ele faz, no meu caso o que pude fazer foi diminuir um pouco, e me senti um pouco melhor, a digestão parece melhor e não sinto o estômago tão pesado depois de uma refeição.
      Muito obrigado pela visita ao blog e pela participação, os comentários são parte fundamental do blog e contribuem bastante nas postagens.
      Depois me fale se está fazendo novas caminhadas e se está postando o diário em algum site.
      Abraços

      Excluir
  18. Bom dia. Poderia me falar sobre como sente o amor? Ou não sente? Como é o afeto na sua vida?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá
      Em relação ao amor acho um pouco difícil falar, pois é um termo muito subjetivo. Existe o amor de familiares, entre um homem e uma mulher, o amor citado na bíblia, etc...
      Em relação ao afeto, no meu caso a situação é um pouco complicada, depois de alguns anos do primeiro surto que tive, acho que fui mais para os sintomas negativos da esquizofrenia, que são: o embotamento afetivo, o desânimo, não achar "graça" mais em nada, apatia, etc...
      Acho que pelo fato de ser muito emotivo antes dos surtos, ainda sobrou um pouco de emoção em mim. rsrsrsrsrs
      Agora são poucas emoções, mas ainda tem, parece que está bem escondido, mas ainda tem.

      Excluir
  19. ola,parabens pelo blog ta me ajudando muito,tenho um filho de 20 anos que faz tratamento cm varias medicações,começou tratando pra depressão cm as medicações so piorou trataram pra bipolar não resolveu começou vir frases na mente e ver vultos agora sendo tratado cm esquizofrênico sem melhoras,toma 3 carbolitium 300mg,e 3 olanzapina de 5 mg ao dia teve internado essa semana medico resolveu trocar medicamento não deu certo a tal clozapina ai ele suspendeu de vez ele paralisou o cérebro não falava nãoonhecia ninguém,agora voltando cm olanzapina ta melhor,sempre foi muito inteligente estudava nunca ficou agressivo mas não sai do quarto a anos não tem sentimentos so tristeza ta encaminhado pra eletrocunvulsoterapia dizem q e o melhor tratamento,to cm medo mas ele quer fazer,ate hoje tenho duvidas se ele tem mesmo esquizofrenia ou e so depressivo e as medicações q causaram isso foi muitas trocas de remédios sem sucesso,me sinto triste de vê-lo assim

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente o tratamento no Brasil da esquizofrenia deixa muito a desejar: trocas constantes de medicamentos e até de diagnósticos e sem melhoras. Pedem para termos paciência, que o medicamento demora para fazer efeito (como demora, se na primeira noite ficamos dopados, sonolentos e sem reação?). E seu filho que chegou a ficar desmemoriado?
      Em relação a eletrochoque dizem que hoje é um tratamento mais digno e que tem obtidos melhores resultados do que antigamente, mas procure se informar ao máximo sobre o assunto. No facebook tem alguns grupos de esquizofrenia, e algumas pessoas já passaram por esse tratamento, alguns afirmaram terem obtido melhora, tendo problemas de memória, mas que melhoraram um pouco.

      Excluir
  20. que bom se meu filho conseguisse expressar o que sente,ele guarda tudo pra ele,parabens por falar,escrever vc se ajuda e nos ajuda,no caso do meu filho trabalhamos cm a ipotese de ser ereditario o avo tinha e alguns primos já se tratam tambem

    ResponderExcluir
  21. Olá Julio, tudo bem? Vou te contar minha historia,nao sei se vc pode me ajudar...Mas lá vai.Minha ex-namorada tem alguns problemas e se nega a buscar ajuda,mesmo com a família insistindo. Coisas pequenas como a mãe sugerir um corte de cabelo se tornam grandes guerras onde ela alega que a mãe "cuida da vida dela" e a "persegue". A relação familiar nunca existiu,pois ela nunca se abriu com ninguém de lá, sempre foi muito fechada. Com os amigos não é diferente. As conversas são superficiais e ela não fala do que sente pra ninguém, só comigo, que sou muito paciente. Ela diz ter terminado pq "tem muitos problemas" e acha q "eu nao mereço isso" e que na casa dela "só sabem chamá-la de louca(pq sugerem que ela procure ajuda)". Quando namorávamos, tínhamos problemas ao sair na rua, ela não gostava de pegar na mão ou abraçar, beijar em público, coisas comuns de casal. Quando conversávamos e eu ria muito alto,ela costumava olhar pros lados e dizer pra eu rir baixo pq ela nao queria ser o centro das atenções, sendo que ninguém nos notava. Nos últimos meses,parece que tudo piorou. Agora ela insiste que precisa morar sozinha (longe da família que "a persegue") e estar sozinha, por isso, apesar de me amar e não parar de ficar atrás de mim, não quer voltar. As atitudes dela comigo não correspondem aos fatos. Às vezes ela me dá notícias ruins, rindo e não consegue expressar de verdade o q sente. Diz que "Não está preparada para namorar" sendo que namoramos 03 anos...
    Temo pelo bem estar dela pois nos gostamos e tenho muito apreço pela família dela. Acreditamos que ela tenha algum problema,mas ela nao quer procurar ajuda...
    Qual a sua opinião sobre o caso?

    Muito obrigado e grande abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, obrigado pela visita ao blog e pela confiança em pedir a minha opinião, apesar de ser apenas uma pessoa que tem esquizofrenia paranoide e resolveu falar sobre o assunto de uma maneira mais simples.
      Pelo relato não posso afirmar que sua namorada tenha esquizofrenia, pois não necessariamente quem tem mania de perseguição seja uma pessoa com algum tipo de transtorno mental. Mas essas questões é sempre bom cuidar e olhar o mais cedo possível, pois é algo parecido com o câncer, quanto mais cedo se tratar, maiores as chances de se recuperar. É preciso muito cuidado, pois infelizmente alguns profissionais da saúde já dão o diagnóstico na primeira consulta e em poucos minutos, e isso mais atrapalha do que ajuda. Se tiver condições de fazer uma consulta com um bom psicólogo (a).
      É um pouco difícil conseguir convencer uma pessoa com esses sintomas a procurar ajuda, pois ainda existe o preconceito de quem procura ajuda psicológica é maluca, doida, etc. Eu mesmo recusaria ajuda se me fosse oferecida antes dos surtos que tive, pois na minha mente todos estavam contra a minha pessoa, foi preciso passar por situações complicadas e quase ir dessa para outra para começar a me entender um pouco melhor.
      Em relação ao fato dela estar ou não preparada para namorar, acho que ela quer te poupar de algumas situações, creio que ela pensa que você poderá sofrer ao lado dela, e por isso colocou que ainda não está preparada. E também creio que ela talvez pense que você não vá entendê-la, as oscilações de humor, o fato de querer viver mais isolada, etc. Resumindo ela acha que você não poderá ser feliz com ela e por isso esteja se abicando de tentar viver com você.
      Bem, espero ter ajudado em alguma coisa, e o diálogo é sempre a melhor alternativa

      Excluir
  22. Boa tarde, amigo.

    Só para registrar minha admiração. Sou Assistente Social e curiosa.
    Parabéns! Suas postagens me tiraram muitas dúvidas e com certeza me ajudarão em minhas abordagens. Passei a tarde lendo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, fico feliz em saber que ajudo em alguma coisa com as minhas postagens.Provavelmente como assistente social você deve ter se deparado com algum caso de esquizofrenia, algum morador de rua, ou uma pessoa que esteja passando com algum tipo de dificuldade. Parabéns por estudar o assunto, a informação é a melhor forma para se quebrar os tabus e os estigmas.

      Excluir
  23. Ola amigo,quL antipisicotico provoc menos ganho de peso?VC já ouviu falar em nitropussiato de sodio?diz que é uma revolução,sabe quando poderá ser usado em domicílio? Att

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá
      Em relação ao ganho de peso, o que tomei e não senti nenhum problema foi o melleril, mas esse antipsicótico não é dos mais modernos, mas também não é dos mais antigos como o haldol e a clorpromazina, que também não me deu ganho de peso. Os antipsicóticos mais modernos tem menos efeitos colaterais relativos aos sintomas extrapiramidais, que são as tremedeiras, a acatisia, etc, mas em compensação tem esse incômodo de aumentar o apetite e o peso. Claro que tudo também depende da dose. Já ouvi falar no nitropussiato de sódio, mas não cheguei a pesquisar, estou um pouco descrente desses medicamentos para falar a verdade. Estou mais usando o ômega 3 e vou tentar voltar a praticar exercícios físicos e também estou procurando me alimentar melhor, existem alimentos que são bons para a mente, principalmente os ricos em vitamina B.

      Excluir
  24. Olá Amigo caminhante!

    Desculpe-me por não ter respondido antes!
    Sim, estamos a todo vapor em nossas caminhadas.
    Passamos rapidamente por Belo Horizonte no dia 31.12.2016, fizemos o caminho religioso
    da estrada real, que começa em Caeté-MG, no morro da piedade até Aparecida-SP.

    Parabéns pelo excepcional trabalho que realiza com seu blog, nas minhas andanças procuro
    ajudar as pessoas, informando sobre esse blog.

    Um forte e fraternal abraço, e continue firme nesta luta.
    Vc sempre estará em nossas orações, pois vc é um ser super especial.
    Um boa dia...
    Mario

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Mario
      Já ouvi falar do caminho religioso da estrada real, não pretendo fazê-lo pois é praticamente o mesmo do caminho velho, só incluindo o trajeto por Caeté e terminando em Aparecida do Norte. Estive em Aparecida quando fiz o caminho velho. Mas fiquei curioso, vocês fizeram a pé de novo? Como foi passar pelos mesmos lugares? Encontrou pessoas que havia visto na primeira caminhada?

      Excluir
  25. Olá Julio,

    O caminho religioso da estrada real abrange todos os caminhos da estrada real.
    Começa no morro da Piedade em caeté-MG (que está no caminho sabarabuçu) chega a Ouro Preto;
    dali entra no caminho novo até conselheiro lafaiete;
    vira a direita para entrar no caminho velho em Lobo leite(próximo a Congonhas), dali até aparecida.

    Este caminho tem a variante que começa no morro da Piedade em caeté e vai até Barão de Cocais desce até ouro preto pelo caminho dos diamantes e continua no caminho velho até aparecida-SP.
    Obs.: este estava bloqueado próximo a Mariana, devido aquele problema com a barragem.

    Ainda tem outra variante: começa no morro da Piedade em caete e termina no morro da Piedade em caete(caminho sabarabuçu, velho e dos diamantes)

    Esse caminho foi criado justamente passar em todos caminhos da estrada real(diamante, velho, novo e sabarabuçu).

    Sim, fizemos a pé novamente.

    Interessante, ano passado fizemos de paraty a diamantina(inverso), até parecia que estávamos em outro caminho......kkkkk quando fazemos ao inverso incrivelmente as paissagens "mudam"...

    Dessa vez foi diferente, estávamos passando pelos mesmos lugares....foi uma experiência legal, porque nossa intenção é caminhar mesmo e relacionar com os moradores e, aproveitar a culinária mineira com seus quitutes e doces maravilhosos). Reencontramos muitas pessoas, ficamos praticamente nas mesmas pousadas, criamos novas amizades, foi muito prazeroso!
    abs
    Mario

    ResponderExcluir
  26. Olá Júlio... Fiquei feliz e admirada em ler um pouco do seu relato sobre Esquizofrenia sendo um portador... Tenho um irmão agora com 38 anos que foi diagnosticado com 21 anos...já passou por vários altos e baixos... Pior agora que está com problemas motores desde o fim do ano passado... com fraqueza nos braços e pernas e está progredindo a cada dia...agora ele está tomando Melleril, mas tomou por vários anos o Haldol e ouvi falar que o uso contínuo de Haldol pode causar problemas motores vc já ouviu falar???... Parabéns pelo Blog

    Meire Cristina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, obrigado pela visita ao blog e pelas palavras. Realmente o haldol causa esse tipo de problema, tomei por pouco tempo e foi bem complicado. Já o melleril foi um dos que menos tive problemas, mas também a dose foi bem baixa. Esses antipsicóticos diminuem a dopamina no cérebro, e o mal de parkinson é justamente isso, a baixa dopamina produzida pela pessoa, causada principalmente pela idade. Infelizmente no Brasil se trata a esquizofrenia como apenas um desequilíbrio químico no cérebro, o aumento da dopamina. Então é ai que entra os antipsicóticos para baixar a dopamina, mas creio que costumam exagerar na dosagem e na quantidade de medicamentos.
      Já procurou um neurologista para olhar sobre esses problemas motores?
      http://www.cadastro.abneuro.org/site/conteudo.asp?id_secao=31&id_conteudo=34&ds_secao=Perguntas%20e%20Respostas

      Excluir
    2. Nossa como o tempo passa... infelizmente além da Esquizofrenia meu irmãos foi diagnosticado com E.L.A (Esclerose Lateral Amiotrófica)...mas seja o que Deus quiser...Tá fazendo acompanhamento com o Neuro...muito obrigada... Felicidades!!!!!

      Excluir
  27. Ola tenho thb (bipolar) ha 7 anos e andei lendo seus posts..ja tive sintomas semelhantes... Infelizmente fui demitido e minha vontade eh de me matar...mas enfim...pensei ate te contatar pra montarmos um canal hahahahha abraco amigo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá seja bem vindo.
      Realmente existem alguns sintomas semelhantes entre a esquizofrenia e a bipolaridade, tanto que faço parte de alguns grupos de bipolares. Sinto que existe uma grande diferença no rótulo, pois hoje em dia muita gente pensa que ser bipolar é coisa de artista, é uma doença de pessoas com sensibilidade artística, etc. Por isso muitas pessoas até se diagnosticavam como bipolares em seus perfis no antigo orkut. Mas tudo isso é fruto da falta de informação, e a minha intenção com o blog é de tentar de alguma maneira alertar as pessoas sobre o que é realmente um transtorno mental.
      Obrigado pela visita ao blog.
      Em relação ao canal, não gosto muito de falar, gosto mais de escrever mesmo, mas se puder lhe ajudar de alguma maneira estamos ai.

      Excluir
  28. Olá Julio. Gostaria de saber se você é casado ou tem filhos. Pergunto porque devido aos problemas emocionais eu tive problemas para me relacionar. e queria saber se você já passou por isso. Ou então preconceito das companheiras que já teve;

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sou casado não, sempre gostei de ter a minha privacidade e nunca gostei da rotina, sempre gostei de viajar e quase não ficava muito tempo em um serviço.
      Hoje em dia convivo bem comigo mesmo e com os meus pensamentos. Mas confesso que esses problemas que tenho com a esquizofrenia atrapalharam e muito a minha vida afetiva.
      Em relação ao preconceito, claro que acontece, até por que eu não escondo a minha condição, já tentei mentir, falando que trabalhava, mas não me sentia bem fazendo isso, e hoje falo a verdade, se a pessoa não gostar, é por que é preconceituosa, e não faço questão de me relacionar com pessoas que sejam preconceituosas e mal informadas.

      Excluir
  29. Olá meu nome é Renata meu filho com 15 anos teve um surto psicotico.Ficou tomando risperidona , clonazepan e fluoxetina.Ficou com esa medicação quase 1 ano,agora está usando Olansapina ,haldole cinetol.A médica fala duas coisas surto psicotico transitorio. Outra ora ela fala que ele t cid f20.Voce poderia me ajudar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá
      Em primeiro lugar obrigado pela visita ao blog e pela confiança em relatar o caso e pedir ajuda, mas, infelizmente não tem como ajudar baseado apenas no diagnóstico da médica do seu filho. Já é muito difícil para um profissional tentar achar um diagnóstico em uma consulta presencial, imagine online e se baseando em um breve relato.
      O que posso dizer é que procure a informação, infelizmente os profissionais da saúde mental parecem não acreditar que a informação seja uma arma poderosa para ajudar no controle da esquizofrenia. E digo informação não somente para quem tem o transtorno, como também para a família e quem está próxima da pessoa.
      Creio que você deveria fazer uma breve análise do caso do seu filho:como foi a infância, se conviveu em um ambiente familiar saudável, se a família era estruturada, se na família tem casos semelhantes, se algo de grave ocorreu (um trauma ou stress), etc... E o que pode ajudar a diferenciar os dois diagnósticos creio que seja a duração do quadro, há quanto tempo que ele está com esse comportamento, ou se foi assim desde pequeno.
      Bem, é o que posso dizer baseado no breve relato.
      Espero ter ajudado.

      Excluir
  30. Olá, meu nome é guilherme e uma pessoa muito proxima de mim foi diagnosticada com esquizofrenia e eu tenho muitas duvidas que nao consigo respostas pois ele nao se comunica muito e cada vez menos...a principal duvida é:
    As vozes, voces escutam elas o tempo todo ou só durante o surto? Desculpe a ignorancia sobre o assunto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá
      Em relação às vozes, o que notei é que cada caso tem suas peculiaridades. Enquanto alguns ouvem vozes ameaçadoras, outros ouvem vozes de comando, ordenando que façam coisas, etc.. No meu caso em particular ouvia muito as vozes comentaristas quando estava "normal" e ouvia muitas vozes ameaçadoras quando estava em crise.
      Em relação ao frequência das vozes, no meu caso em particular posso ouvir a qualquer momento, mas no geral acontece quando estou estressado, e durante os surtos elas disparam.
      Você não precisa se desculpar em relação ao fato de não saber muito sobre a esquizofrenia, infelizmente a mídia não colabora muito nesta questão, só exibindo alguma matéria sobre o tema quando ocorre alguma tragédia, dando a impressão que somos violentos, ignorantes, sem capacidade de raciocínio, etc...

      Excluir
  31. Olá... eu tive um surto com muita alucinações cheguei a pensar que a ambulância estava me transportando de mundo, fiquei no hospital amarrado ....hoje tomo olanzapina e clonazepam para dormir, os dias que tenho crises eu vejo as coisas velhas eu fico em pânico para diminuir essas crises eu vou para meu quarto e fico deitado para aliviar as crises mais mesmo assim com tudo isso acontecendo na minha vida eu confio muito em Deus e creio que vou ser liberto um dia .....conheci uma pessoa em uma crinica e hoje ela é minha esposa e me ajuda muito, tomo todos os remédios pq sei se eu não tomar fico amarrado em uma crinica e procuro saber mais sobre essa doença.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom noite....Você trabalha ? Meu marido está de licença por 90 dias nunca teve uma crise tão forte... Mas tenho certeza que ele vai aceitar e sair dessa...

      Excluir
  32. Olá
    Obrigado pela visita ao blog e pelo seu depoimento. É um pouco difícil enfrentar todas as situações que esse transtorno nos traz sozinho, eu tive a sorte de encontrar pessoas bacanas que me ajudaram e ainda me ajudam nos momentos difíceis.
    No seu caso você encontrou sua esposa, e ela está de parabéns por não ter os preconceitos que grande parte das pessoas têm. E a informação é muito importante também, procure estudar o assunto em fontes seguras e verdadeiras.
    Parabéns e continue na luta.

    ResponderExcluir
  33. Boa noite o meu filho esta com 20 anos e foi diagnosticado com esquizofrenia desde os 17 anos e é muito complicado porque ele escuta as vozes e fica nervoso discute com elas quer correr atrás uma situaçao muito difícil mesmo eu gostaria muito de saber sua opiniao sobre o que eu faço quando ele ouvir estas vozes porque se eu falar que ele nao está ouvindo é pior entao eu nao sei o que fazer nem como agir.No momento ele esta tomando Haldol,Rispiridona,Clopormazina.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá.
      Desculpe a demora em lhe responder.
      Essa situação é bem mais comum do que pensamos. E infelizmente não tenho uma resposta para resolvê-la. Mas, o que posso dizer, como uma pessoa que tem um problema semelhante ao do seu filho, é de que nunca diga à ele que "isso é coisa da sua cabeça".
      Infelizmente as alucinações são tão fortes em nossa mente que acabam virando realidade. Talvez fazer algo que goste possa ajudar um pouco. O tratamento não é só medicamentoso, deve ser incluídas terapias, ocupar a mente, fazer algo que a pessoa ache interessante, etc... E também evitar situações estressantes.
      Obrigado pela visita ao blog e espero ter ajudado de alguma maneira. Aconselho também a baixar o livro "Entendendo a esquizofrenia". É só clicar em "CDE" no lado direito do blog que você irá cair no link para baixar o livro.

      Excluir
  34. amo suas postagens ...vc é humilde fala a linguagem do povo ...é gente como a gente ...deixo aqui uma possivel sugestao para que vc crie um grupo no whatssap para compartilharmos experiencias ....parabens !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá
      Obrigado pelas palavras. Nada melhor do que a humildade. Mas não podemos confundir humildade com submissão, humildade é o dom de não nos acharmos superiores a nada e a ninguém. Mesmo se tivesse condições financeiras, acho que nunca iria naqueles restaurantes com aqueles pratos esquisitos de são servidos. Prefiro um bom feijão tropeiro, uma lasanha, etc...
      Procuro sempre usar uma linguagem simples, as coisas no mundo de hoje já estão complicadas demais, inclusive a esquizofrenia.
      Vou tentar criar um grupo no whatsapp.Obrigado pela participação e pela sugestão.

      Excluir
  35. Olá, descobri seu blog hoje depois de passar alguns dias pesquisando sobre a esquizo. Semana passava pensei ver uma pessoa na rua, depois fiquei sabendo que esta pessoa havia viajado, logo, não há como eu ter visto. Fiquei preocupada e pensativa, pois, no início do ano, encontrei com uma pessoa na rua e conversamos normalmente. Quando cheguei em casa, fiquei lembrando da conversa e percebi que houve um momento em que eu acredito ter ficado em silêncio enquanto a pessoa me olhava assustada. Depois ela se despediu e foi embora. Fiquei pensando: será que eu falei alguma coisa e não me lembro?? Dias depois, esta pessoa me excluiu das redes sociais. Numa outra ocasião, há um ano, estava esperando atendimento em um determinado local e "comecei a mexer no celular". Notei que as pessoas que estavam perto de mim me olhavam estranho. Depois de um tempo, uma das pessoas que estava láe disse que eu precisava procurar um psiquiatra. Não levei muito a sério pq fiquei sabendo que a pessoa tem problemas mentais. Só que depois percebi que não havia curtido nenhuma das postagens que eu achei ter curtido. A questão é que, somando todas estas situações, começo a acreditar que tenho algum problema. Talvez esta ultima pessoa tenha até tentado me alertar por passar por situações parecidas. Sei que preciso ir ao médico, mas gostaria muito de ouvir sua opinião sobre isso, pois minha situação é bem complicada. A cidade é pequena e as pessoas são preconceituosas... Desde já, agradeço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá
      Entendo a sua situação em não querer se expor em uma cidade pequena, ao ir à um psiquiatra. Também passei por essa situação.
      Não posso aqui tirar alguma conclusão baseado apenas neste breve relato, mas seria uma boa analisar se ultimamente você tem passado por situações estressantes ou teve algum trauma ou algo parecido.
      Obrigado por visitar o blog e pela confiança.

      Excluir
  36. Olá meu nome é jaqueline
    Quero dizer que identifiquei muitas coisas no seu relato, meu esposo sofre com este transtorno. É tão real pra ele.
    Mais estou sempre ao seu lado!
    Amei saber que vc aprendeu a lidar com seus delírios. Se me permite a pergunta, vc toma medicamentos ainda?

    ResponderExcluir
  37. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir