sábado, 15 de abril de 2017

INSS corta quase 90% dos benefícios de auxílio doença


  O INSS acabou de cancelar cerca de 76 mil benefícios de auxílio doença em todo país nessa última revisão. Também mais de 11 mil pessoas tiveram seus  benefícios cortados pelo não comparecimento à perícia convocada pelo instituto. É uma porcentagem altíssima (84%). Apesar de ser aposentado, concordo plenamente com uma operação pente fino, para detectar quem realmente está apto ou não para o trabalho renumerado. Mas também acredito que os peritos não observam somente as condições de trabalho do requente do benefício, pois, durante esses cinco anos de perícias observei que muita gente sem condições de trabalho tinham seus pedidos indeferidos. Sinto que as condições financeiras também são observadas, se o requerente tem familiares que possam sustentá-lo durante o período de inatividade ou até mesmo para o restante da vida no caso da aposentadoria. (Fonte UOL Folha)
http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2017/04/1875169-pente-fino-cancela-84-dos-auxilios-doenca-e-aposentadorias-por-invalidez.shtml
    Durante as minhas idas ao INSS nas perícias, vi uma senhora com mais de 60 anos não ter seu pedido de aposentadoria deferido. Ela estava muito debilitada e tremia muito. Talvez tenha sido alguma questão documental ou não. No meu caso muitos chegam a me perguntar como me aposentei. Não teve nenhuma trama ou truque, durante todas as minhas perícias falei somente a verdade. Não deixei a minha barba crescer para ficar com aparência ruim, e nem o cabelo. Fui em todas as perícias com roupas limpas e as que uso no dia a dia. Nunca tomei algum medicamento para ficar com cara de dopado, e a maioria das perícias fui sozinho na agência, apesar de me recomendarem ir acompanhado. Oras, a esquizofrenia no meu caso pelo menos me causa um extremo isolamento social, então teria que procurar alguém que comparecesse na agência comigo e inventasse alguma história, fingindo ser algum conhecido meu, e eu teria que fingir que não consigo me deslocar e resolver alguns problemas do dia a dia.
    A esquizofrenia infelizmente no meu caso me incapacitou para o trabalho que eu tanto gostava: operador de som. Era a minha alegria, a minha diversão trabalhar nas festas nas cidades do interior de Minas Gerais. Ajudar, mesmo que de uma forma indireta para a alegria daquelas pessoas fazia a minha vida ter sentido. Perdia finais de semana, feriados e não me queixava. Não precisava mais do que duas semanas de férias. Ficava deprimido no mês de janeiro, época de pouco serviço na área de sonorização. Já trabalhei com dengue, virose, mão quebrada, pé machucado,e até por várias horas sem poder me alimentar devido à correria que é ser operador de som. Fora os finais de semana trabalhando direto, com direito a apenas duas horas de sono. Mas não encontrei a fórmula secreta para trabalhar corretamente com um transtorno chamado esquizofrenia...
    Não me aposentei logo no meu primeiro surto Me lembro que me recuperei bem, mas logo tive recaídas ao tentar voltar ao trabalho. Não tem como trabalhar medicado, pois os antipsicóticos em sua maioria causam muita sonolência e lentidão. Quase sofri um acidente mais grave ao deixar uma mesa de som cair, por sorte consegui colocar a mão e proteger a minha perna. Ficava então usando o diazepan como s.o.s, sempre tomava uns dois comprimidos pouco  antes dos eventos, quando o pessoal começava a chegar para assistir os shows. Não consigo mais ficar no meio de uma multidão. Som alto, então, nem pensar. Poderia procurar um outro trabalho? Qual? Um que não tivesse muito contato com as pessoas? E se usar um antipsícótico, como acordar cedo, e não esquecer das coisas, pois fico com o raciocínio lento? E como conseguir um trabalho, sem contar ou relatar que tenho esquizofrenia? Alguém poderia dizer se existe no país uma empresa que contrata pessoas com esquizofrenia?
O INSS não está perdoando nem quem tem câncer...
http://odia.ig.com.br/economia/2016-10-30/pente-fino-inss-suspende-auxilio-doenca-de-segurada-com-cancer.html
Roberta Souza teve o seu benefício cortado, apesar de estar se tratando de um cânce

    Já ouvi muitas pessoas dizerem que levo uma vida boa, mas sinceramente não acho graça nenhuma em viver quase que 24 horas por dia em um pequeno quarto, contando os reais e centavos para pagar um aluguel de 400 reais. Obviamente sou muito grato à todas as pessoas que me ajudaram nos momentos mais difíceis, principalmente quando estava nas ruas de Belo Horizonte. Tive a sorte de encontrar pessoas muito bondosas que me ajudaram nas horas certas. Acredito que a minha parcial recuperação não teria acontecido sem a ajuda dessas pessoas. Mas às vezes me pergunto se não teria sido melhor ter ido dessa para outra, principalmente no meu primeiro surto, quando fiquei vários dias sem me alimentar, chegando a perder cerca de 25 quilos. Esses cinco anos de perícias foram muito desgastantes para mim, na época ainda não existia o telefone da previdência, tínhamos que dormir na agência para conseguirmos o atendimento sem ter perder boa parte do dia.
E agora essa incerteza, pois a partir do mês de agosto as aposentadorias serão revisadas. Não tenho medo, mas a incerteza gera muito desgaste. Se for convocado, farei como sempre fui, usarei a minha roupa que uso no dia a dia, o cabelo cortado, a barba mais ou menos por fazer, pois não gosto muito de ficar passando o barbeador no rosto, me corto pra caramba.
  Se cortarem a minha aposentadoria, não farei escândalo. Mas gostaria que a mesma rigidez da revisão também fosse feita para os políticos, militares e outras classes "trabalhadoras" do nosso país.
Gostaria muito que pelo menos "consertassem" o meu pé, pois tive uma lesão em novembro de 2014 e até hoje não consegui um atendimento digno pelo SUS. Somente agora no início do mês de maio é que terei acesso à uma palmilha que poderá dar um alivio para o meu problema. Palmilha que custa em média 500 reais e que com muito custo iria conseguir comprar, apesar da ajuda que recebi aqui no blog através de uma leitora. E também não comprei pelo fato de ser um simples alívio, caso fosse uma solução para o problema teria vendido o meu notebook ou a televisão sem pensar duas vezes.
Se o tempo para conseguir uma palmilha foi de dois anos e meio, imagino a demora que deve ser para conseguir o procedimento cirúrgico que é indicado para o meu caso...
Se morar nas ruas com boas condições físicas já é difícil, imagine com dificuldades para se locomover? Além das dores no pé, tenho atualmente vários problemas devido ao sedentarismo desses últimos dois anos. Jogo bola, mas fico no gol e corro um pouco, apesar das dores que sinto. Andar e correr é uma necessidade básica para mim, é o meu principal antipsicótico para não pirar. Confesso que a minha saúde mental também piorou muito depois dessa lesão.
    Gostaria muito também que os pesquisadores criassem um medicamento específico para os chamados "sintomas negativos" da esquizofrenia, que são bem parecidos com os da depressão e que geralmente é confundido com frescura, preguiça, etc... Sempre vejo na internet sobre medicamentos novos, mas todos atuando nos sintomas negativos. Alguns psiquiatras afirmam que alguns antipsicóticos costumam dar resultado nos sintomas negativos, mas me pergunto como que um medicamento que dá sonolência pode ser eficaz em sintomas como o desânimo, a apatia, a falta de energia... É uma grande contradição na minha modesta opinião.
Fui um bom profissional na área de sonorização, poderia muito bem ser um grande técnico de som, se me esforçasse para isso, mas no fundo queria trabalhar mas sem ter muito contato com as pessoas, e assim procurava trabalhar nas pequenas empresas sem muitas exigências.
    Como disse, é necessário sim o pente fino, pois existe sim muitas irregularidades, nem é preciso entrar em detalhes, acredito que todo mundo sabe que isso acontece em nosso país. Mas que pelo menos a lei valesse para todos, a começar pelos políticos, que não sei por que conseguem se aposentar aos 50 anos...

Entrevista que a globo não reprisou, sobre a questão da idade mínima da aposentadoria... Por que será, hein? Na verdade não tenho certeza se reprisou ou não, mas o que me passaram é que a entrevista foi concedida e apresentada em um jornal matinal da emissora carioca. Se foi reprisada na parte da tarde ou até mesmo à noite não posso responder, pois não tenho o costume de assistir a programação da globo. Mas acredito que, pelo teor da entrevista e pela sinceridade do entrevistado, a entrevista não foi e nunca será reprisada na globo, ainda bem que temos outros canais de informação.
video
Gostaria de agradecer também á todos os grupos das redes sociais que me apoiam e que publicam as minhas postagens. Infelizmente ultimamente muitos grupos estão deixando de publicar o que posto, o motivo até hoje não me passaram, apesar das minhas indagações...

12 comentários:

  1. Você não tem medo de cortarem a sua aposentadoria? Isso é uma questão muito séria, se eu fosse você entrava com recurso caso não passasse no pente fino do INSS.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Medo não tenho, mas ficaria muito triste e decepcionado, pois sempre fui uma pessoa esforçada no trabalho enquanto foi possível exercer a atividade renumerada.
      Passei por diversas situações difíceis e complicadas em minha vida, que me deixara fortalecido e me deram uma outra visão de vida.
      É complicado ficar entrando com recurso, pois moro sozinho e não tenho como ficar esperando uma resposta sem estar recebendo. Mas espero e confio na justiça superior.

      Excluir
    2. É muito bom e relevante que nós que somos portadores de sintomas de esquizofrenia tenhamos blogs e outras publicações de nossas próprias autorias para não nos julgarem e terem menos e menos preconceitos até quando chegar o tempo de eles desaparecerem totalmente da Terra.

      Excluir
  2. Sempre Muito bons é Esclarecedores Seus Depoimentos, Sempre Leio..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado. Vou procurar postar com mais frequência. Ideias até que tenho, mas tenho que recuperar o meu ânimo inicial.

      Excluir
  3. Compartilhada no Google+, acho que também vou publicar no meu blog sobre os sintomas negativos que tenho, não tenho vontade nenhuma de fazer faxina na minha casa, vou ter que arranjar uma faxineira,às vezes, penso em não ter mais jardim no fundo, tenho umas condições adversas com os visinhos que tem o fundo da casa encostado no fundo da minha, tenho meus próprios problemas e problemas vindos de vizinhos mas não de todos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os sintomas negativos são pouco conhecidos e também pouco discutido.
      Em relação ao jardim não desfaça dele não, a jardinagem pode ser uma boa terapia. Ia dar um conselho para criar alguns pássaros, mas sou contra o aprisionamento de animais só para ouvir o seu canto. Quem sabe se o jardim estiver acolhedor os pássaros não apareçam por lá?

      Excluir
  4. O jardim está um pouco acolhedor, eu vou lá ás vezes, faz bem para mim vê-lo. É melhor eu não me desfazer dele, como você disse, os pássaros agradecem a existência de um jardim e estão aparecendo, tenho dó de tirar o jardim deles também. Os vizinhos do fundo melhoraram muito, acho que eles também não querem problema nenhum comigo, isto eu espero.
    Um abraço e bom domingo

    ResponderExcluir
  5. Espero que dê tudo certo com o seu processo no INSS. Vou estar em oração por você. Nos avise quando chegar a data. E não desista de lutar pelos seus direitos, procure ajuda, ainda que virtualmente. Se fortaleça nesse período. A situação no Brasil está mesmo muito difícil para muita gente. Espero que esse furacão passe e que possamos todos respirar melhor. Força.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é processo, ainda não fui chamado. Começarão a chamar em agosto. E como não sou de ir na perícia com fingimento, provavelmente irão cortar o meu benefício.

      Excluir
  6. Eu passei pela perícia do INSS, tinha um benefício de auxílio doença , que depois da perícia do pente fino foi convertido em aposentadoria.Eu tenho mais de 10 internações psiquiátricas e sofro de esquizofrenia, levei todos os documentos e laudos e deu tudo certo.
    Junte sua documentação que vai dar tudo certo, precisa provar que se encontra em tratamento e seu caso é grave.Boa sorte!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela resposta e pelas dicas. Vou fazer isso, não chego a ter medo, mas receio, pois, como relatei, vou no inss como ando normalmente pela ruas, não costumo tomar remédio forte antes para dar a sensação de que vivo dopado, deixo a barba normal e cabelo normal também. E alguns peritos pensam que se está se vestindo normalmente é por que está tudo bem.

      Excluir