quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Tênis para Hálux rigidus


   Existe um calçado específico para quem tem hálux rigidus? E palmilha? Existem outras soluções? O que fazer quando o seu dedão começa a doer tanto que dá até vontade de arrancá-lo?
    De médico e de louco todo mundo tem um pouco... Acho que no meu caso tenho de louco em grande proporção e de médico em uma razoável proporção também...
  À princípio o título da postagem pode nos dar a impressão de que o assunto nada tem a ver com o blog, afinal, o que tem a ver o dedão do pé (hálux) com saúde mental?
    Voltemos aquele velhíssimo e atual ditado: "Mens sana in corpore sano"....  E é a mais pura verdade, não tem como separar o corpo da mente, apesar da medicina ocidental estar sempre querendo dizer que seja possível esta divisão. No meu caso em particular, sinto que é praticamente impossível estar bem fisicamente se não estiver em boas condições físicas.
    Nesta postagem irei tentar falar especificamente sobre o melhor calçado que encontrei para pelo menos minimizar as dores causadas pelo chamado hálux rigidus.
    Depois que detonei o meu dedão do pé esquerdo não fui mais o mesmo. Tive que parar com meus exercícios físicos, minhas caminhadas e minhas andanças por este Brasil. Caminhar ultimamente estava sendo a coisa mais prazerosa do mundo para mim. Quem acompanhou minhas andanças pela "Estrada Real" sabe o quanto prezo pelo direito e pela condição de ir e vir para onde bem entender. Caminhar por aí pelas estradas de terra, com o vento batendo no meu rosto, o corpo encharcado de suor era uma sensação que não estava sentindo a tempos. Era um perrengue muito mais que desejado. Estava me sentindo vivo novamente, com uma energia que me fez pensar que havia renascido novamente, depois de oito anos trancado dentro de um quartinho na cidade de Ipatinga, aqui em Minas Gerais.
     Mas me lesionei em novembro de 2014 quando estava em um parque ecológico. Não estava andando por aí na estrada real. Apenas estava descansando em um parque e topei com o meu dedão na raiz de uma árvore... O atendimento pelo SUS todos sabem como é e a situação foi se agravando até o hálux ficar bem rigidus...
    Nesses anos de tentativa de tratamento pelo SUS o máximo que consegui após muita insistência foi uma palmilha específica para o hálux. Ela é um pouco cara, mas não deu o resultado esperado. Não consegui usar a palmilha por mais de cem metros, por causa de uma intensa dor nos joelhos. Creio que isso aconteceu pelo fato da palmilha ter sido projetada para ser usada com calçados com o solado mais plano, como um sapato. Os tênis de hoje em dia já tem um formato diferente e é praticamente impossível uma mesma palmilha se adequar a todos os tipos de calçados. A palmilha é feita tirando as medidas dos pés em um molde, e as medidas do calçado que usamos não é levada em conta...
    Não precisava ser especialista para saber que esse problema poderia acontecer, tanto é  que nem  cogitei em comprar essa palmilha, pois saberia que poderia passar muita raiva caso a comprasse e não desse o resultado esperado. Insisti tanto com o pessoal do posto de saúde que acabei ganhando uma consulta em uma unidade especializada, também do SUS. Mas o intervalo entre uma consulta e outra foi de oito meses, ou seja, praticamente impossível se esperar alguma melhora nessas condições...
    Esses anos de hálux rigidus estou andando de uma maneira incorreta, evitando colocar uma carga no dedão, e a consequente dor no local. Parece que é um problema simples, mas é uma dor bastante desagradável, pois a cartilagem acabou se desgastando e acaba encostando um osso no outro quando dobro o dedão em uma passada normal.
a única coisa que tenho certeza no Michael Jackson é de que ele não tinha hálux rigidus...

    Mas não tem como o corpo não cobrar esse andar incorreto: dores no joelho, tornozelos e outras articulações. Fora o prejuízo causado por esses anos de sedentarismo.
   Certo dia, quase sem esperanças, resolvi procurar nas sapatarias uma bota de trilha que pudesse me ajudar a andar sem forçar muito o dedão.
    Fui em uma sapataria e após experimentar uns sete modelos cheguei à conclusão de que esse tipo de calçado não era o ideal para quem tem hálux rigidus, pois essas botas são feitas de um couro duro, e iria demorar muito para amaciá-los.
   Então o vendedor, que já não estava com cara de vendedor, já meio sem paciência, me mostrou um tênis olympikus. Já meio sem esperanças, resolvei testá-lo. E, para minha surpresa pude andar quase que normalmente, de tão macio que o tênis era! Dei umas três voltas pela loja e não tive dúvidas em comprar o tênis, que, além de ser macio, também era muito bonito. A sensação que tive era de que estava andando nas nuvens, apesar de que nunca andei por elas...
    Voltei para casa com uma felicidade que não sentia há tempos. Como era bom andar normalmente, quase sem mancar! Sentia apenas uma dorzinha bem de leve no dedão ao fazer a passada normalmente. A verdade é que só damos valor a esses pequenos prazeres quando não podemos mais executar uma atividade tão banal, que é a de andar...
    Mas a felicidade quase plena durou pouco: o solado do tênis durou apenas cerca de dois meses...
    Esse solado é feito de EVA, um material supermacio, mas que também tem pouca durabilidade.
     Após muito pensar comprei um material chamado antiderrapante e colei no solado desse tênis usado, mais para treinar mesmo, pois a minha intenção era comprar um novo tênis da mesma marca e já colar o solado antiderrapante para fazer com que o tênis dure muito mais.
    Com a ajuda dos leitores do blog consegui comprar um novo tênis da mesma marca, e o material para colocar o solado antiderrapante.
acima o tênis original. Abaixo com o solado antiderrapante.

     O resultado não ficou 100% na parte estética, mais pela falta de prática mesmo ao manusear a cola de sapateiro. Mas o mais importante é que a proteção funcionou e este segundo tênis está durando bastante tempo, sem o desgaste da agora 'entresola" de EVA.
    O solado já gastou e troquei de novo, já que a parte de cima do tênis está bem conservada. O tênis perde um pouco o amortecimento com o tempo, mas a melhora na caminhada é muito boa. Recomendo esse tênis não somente para todo mundo que tem esse tipo de problema, ele é ótimo para fazer caminhadas, pois as articulações são bem preservadas devido a maciez do solado de EVA.
    Já estou caminhando bem próximo do normal, mas claro que não tem como andar como fazia antigamente. Mas voltei ao meu peso normal, até estou jogando um futebolzinho de leve, fui até campeão do torneio da primavera aqui em BH, onde todos os centros de convivência se encontram para realizar este campeonato. Fui até o artilheiro da competição, improvisando um tênis bem usado e colando um pedaço de EVA embaixo deles. Não deu para chutar a bola com categoria, a solução foi dar uns bicudos na bola, mas deu para correr um bocado.
    Dei uma pesquisada no google e encontrei vários outros modelos de tênis com o solado de EVA, e alguns já vem com a borracha por debaixo, aumentando assim e muito a vida útil do tênis.
    Então não tenha vergonha de experimentar um tênis na loja. Converse com o vendedor, explique a situação e vai experimentando um por um até encontrar algum que lhe agrade e que seja confortável. De preferência vá em uma segunda feira de manhã, horário em que as lojas estão mais vazias. Assim o vendedor poderá lhe dar mais atenção e ainda vai ter mais espaço para você andar pela loja experimentando os tênis.
    Tenho quase 100% de convicção de que o caminho para quem tem hálux rigidus é esse: achar um calçado mais confortável possível, que amorteça o máximo possível as articulações. A palmilha pode ajudar sim, mas desde que seja feita de acordo não somente com as medidas dos pés e sim do calçado que a pessoa usa com mais frequência.
existem outros modelos com a entresola de EVA e o solado de borracha... 

     Como disse, não estou 100% fisicamente, mas estou bem melhor, andando bem próximo do normal. Podendo fazer um pouco de caminhada e exercícios físicos, para liberar a endorfina e a serotonina necessárias para o meu bem estar. A solução definitiva para esse caso é a cirurgia, mas não posso ficar esperando o SUS de uma hora para outra me chamar para realizar o procedimento, já que para conseguir uma simples palmilha demorou quatro anos...
    O jeito é tentarmos pesquisar com responsabilidade o melhor para nós, já que não temos as condições para a nossa total recuperação. Mas sempre digo que missão dada é missão cumprida: já fiz dois dos quatro caminhos da estrada real e pretendo fazer o restante no ano que vem, depois do período das chuvas. Mesmo que seja de muleta irei completar os caminhos dessa estrada maravilhosa, a viagem de Ouro Preto à Paraty foi a melhor viagem de minha vida, apesar dos perrengues. A estrada, o sonho é e pode ser real para quem corre atrás para realizá-lo.
estrada real, um dia voltarei a percorrê-la... 
Presente do Esquizo para você!!!
O final do ano está chegando e quem ganha o presente é você.
Você que vive na cidade grande e está cansado dessa correria toda baixe gratuitamente o toque de celular do Esquizo "A fazenda" com sons de animais de nossa fauna para você acordar com a sensação de que está em uma linda e enorme fazenda do interior de Minas Gerais.
Link para download gratuito do toque "Fazenda" do esquizo:
https://drive.google.com/drive/folders/1KOG7Jw_WMys4z_MlxlsKJ_3wn5dV5Aj8

 

8 comentários:

  1. Vc é muito inteligente, guerreiro, tá sempre buscando um jeito de se adequar melhor a situação. Apesar de estar deprimida e naquela procrastinação. Não deixe de postar sempre me familiarizo e me encontro em seus textos. Vida difícil essa nossa. As pessoas pensam que tenho preguiça. Valeu.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado. O jeito foi me adaptar mesmo, ao invés de esperar alguma resposta do sus.
      É uma situação triste, pois era um problema simples que se agravou pela falta de tratamento. Mas não desisto e encaro as dificuldades como desafio e como relatei ano que vem irei percorrer 900km a pé pela estrada real. É mais uma missão que irei postar aqui no blog.
      Melhoras.

      Excluir
  2. Pesquisando sobre os efeitos colaterais da Olazampina, descobri seu blog. Uma pepita pra mim, pois agora começo a compreender o que tenho...

    Fui receitado a tomar Lamotrigina e Olazampina 2,5mg. Meu psiquiatra, particular e conceituado, não gosta de trabalhar com rótulos, e sim, com sintomas. Em outras palavras, não sei se tenho esquizofrênia ou transtorno bipolar, ele não afirma ou nega.

    Ando melhorando! Porém, continuo com mania de perseguição. Sofro com ansiedade, medo exacerbado. Tenho a impressão que vivo num pesadelo onde todos querem me comprometer, do qual a qualquer momento serei execrado, vivendo um anátema, um escracho público. Desativei todas redes sociais, eu suo frio quando penso em reativá-las. Se descubro que alguém quer falar comigo, penso no pior, sofro até de náusea.

    Algum conselho para mim? Tenho só vinte e dois anos, e parece que estou adoecendo mentalmente.

    Recorro às orações. Aos remédios.

    Obrigado pelo blog! Ele é sensacional. Você se tornou uma referência positiva pra mim.

    Z.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá
      Pelo seu relato não tem como ter uma noção se é realmente esquizofrenia ou mania de perseguição. Tem essa matéria aqui que fala sobre as diferenças e semelhanças entre esses dois transtornos. Mas não se prenda muito ao diagnóstico e procure cuidar mais dos sintomas.
      O que posso aconselhar é procurar se informar o melhor possível sobre os medicamentos que você está tomando, e fazer uma análise dos prós e os contras. E também se autoconhecer.
      Obrigado pela visita ao blog.
      http://entendendoaesquizofrenia.com.br/website/?p=3733


      http://memoriasdeumesquizofrenico.blogspot.com.br/2012/05/mania-de-perseguicao-que-me-persegue.html

      Excluir
  3. Grato pela resposta!

    É o Z. novamente. Já tinha lido essa postagem de 2012. É sensacional, muito bem elucidada.

    Dentre esquizofrenia ou mania de perseguição, não sei. Hoje aconteceu algo que poderia ilustrar um pouco tal situação. Fui - como normalmente - orar e fazer algumas preces. Sempre quando chega a hora de "pedir a Deus, ou aos santos" surge uma voz na minha mente que clama por coisas ruins a mim. Como se fosse algum devaneio ou explosão de pensamentos e imagens negativas. Desde criança mesmo. Eu mesmo, involuntariamente (se voluntariamente, por pura autossabotagem), começo a pedir por coisas ruins. Logo, em questão de segundos, volto ao normal. Um impulso forte e desordenado.

    Tem alguma ideia do que seja?

    Obrigado!

    Z.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Comigo aconteceu algo bem parecido, parece que a nossa mente se divide em duas, e quando estamos pensando em religião, ficamos com a sensação de que é o bem e o mal brigando em nossas mentes. Também acontecia quando começava a orar, no meu caso posso afirmar hoje que foi a minha própria mente fazendo isso, Ficava com o pensamento de que não podia pensar "coisa errada' na hora da oração e acaba pensando e aí ficava aquela discussão em minha mente. Procure relaxar, respirar fundo antes de horar, e caso esses pensamentos invadam a sua mente, Deus saberá que não é culpa sua.

      Excluir
  4. Olá, estou em busca de ajuda. Meu irmão está se tratando com psiquiatra e não tem um quadro fechado. Ele é muito ansioso e sofre com temores que nem ele sabe explicar. Ele vai tomar aristab , você já tomou?Pode dizer dos benefícios?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OLá
      Esse medicamento não cheguei a tomar, mas muitas pessoas falam bem dele.
      É um medicamento mais novo e provavelmente deve ter menos efeitos colaterais.
      Em relação aos tremores, seu irmão já tomou outros antipsicóticos antes?

      Excluir