quarta-feira, 30 de maio de 2018

Cloreto de magnésio no controle da ansiedade

     Antes de começar a falar sobre a minha experiência com o magnífico cloreto de magnésio e como ele ajudou a controlar a minha ansiedade, gostaria de salientar que não tenho o objetivo de indicar substitutivos para os tratamentos convencionais. Me sinto feliz com o número de visualizações do blog, mas procuro ter responsabilidade o suficiente para aconselhar qualquer abandono de tratamento tradicional. Poderia muito bem colocar o título da postagem de: "Como se livrar da ansiedade", ou "Como se curar da ansiedade", para chamar a atenção dos leitores, porém a responsabilidade fala muito mais alto do que a minha ganância pelas visualizações, até por que não tenho nenhum retorno financeiro com o que escrevo. 
    
Afinal, o que é o cloreto de magnésio? 
     Nesse caso em particular, em primeiro lugar seria mais adequado afirmar que o cloreto de magnésio não é um suplemento, um medicamento ou um produto milagroso que irá curar todos os nossos problemas de saúde. O magnésio é um mineral essencial à saúde de nosso organismo, sendo responsável por várias funções. E, como ele é encontrado em alimentos que não são tão fáceis de se encontrar por aí (e outros ruins pra caramba), muitas pessoas acabando sofrendo de diversos males por não consumir a quantidade diária indicada desse mineral.
 -Degeneração da cartilagem e surgimento de doenças como a osteoartrite e dores articulares;
-Problemas musculares como contraturas, formigamentos, dormência, tremores etc;
-Taquicardia, ritmos cardíacos anormais e espasmos coronários; hipertensão arterial;
-Dores de cabeça e tensão mandibular, tontura;
-Espasmos nas pálpebras, no esôfago, no estomago ou intestino;
-Fotofobia, dificuldade para adaptar-se à luz, visão de luzes com os olhos fechados;
-Cansaço pela manhã ao acordar, fadiga, fraqueza;
-Perda do apetite, Náuseas e vômitos;
-Aperto no peito e dificuldade para respirar profundamente;
-Prisão de ventre, cólicas menstruais;
-Desejos de consumir sal e chocolate;
-Alterações do sistema nervoso: insônia, ansiedade, hiperatividade, inquietude, ataques de pânico, fobias;
-Osteoporose, cáries.

cápsulas ou em pó, sempre faz bem..

    Comecei a estudar o cloreto de magnésio há uns dois anos atrás, por causa da minha lesão no "hálux do pé esquerdo". Pesquisava no google algo que seria eficaz e barato no tratamento e na melhoria das articulações. E o magnésio sempre aparecia nos primeiros lugares nos resultados das buscas. Comecei a consumir imediatamente e diariamente o mineral, e logo senti uma boa melhora não somente nas articulações, mas na saúde de um modo geral. 
    E uma das melhoras que obtive foi na questão da ansiedade. Comia (ainda como...) muito chocolate e outros doces para me acalmar. Depois que passei a usar o magnésio estou mais calmo e tranquilo. Hoje quando detono uma caixa de bombom ou umas 300gr de doce de leite consigo saborear mais o alimento, sendo que antigamente comia tudo rapidamente e não sentia o gosto, já que tudo aquilo era apenas para aliviar um pouco a ansiedade que eu estava sentindo no momento. Até emagreci dois quilos. Minha saúde e o meu bolso agradecem.
   O cloreto não resolveu o problema, ainda fico ansioso por vários motivos, mas isso não quer dizer que estou com ansiedade. É normal ficar ansioso diante de um evento, um encontro, um jogador antes de uma partida decisiva fica ansioso. É até legal sentir aquele friozinho na barriga... Viver sem emoções e com tudo certinho e previsível também deve ser um pouco tedioso.
    A ansiedade passa a ser um problema quando ficamos ansiosos por qualquer motivo, ou às vezes até por nenhum motivo. O problema não é ter ansiedade, e sim viver ansioso, o que é bem diferente. 
    Outro benefício que obtive foi  um passo importante no "desmame no pan nosso de cada dia".  Estava tomando 20mg de diazepan até o ano de 2008.(comecei com 10mg em 2002). Consegui diminuir para 10mg, depois para 5mg (foi a fase mais perrengosa) e depois para 2.5mg. Não foi nada fácil chegar nessa dosagem: dor de cabeça, palpitação, inquietação, nervosismo e uma enorme dificuldade para pegar no sono. Mas consegui. Estava nessa dosagem de 2.5mg há cerca de um ano e meio, e não conseguia atingir o próximo passo, que seria algo em torno de 1mg. Divido o comprimido de 10mg em vários pedaços. Infelizmente não consegui encontrar o diazepan em doses menores do que 5mg ou então em gotas, o que facilitaria bastante o processo. 
    Estava sendo uma dificuldade enorme diminuir de 2.5mg para 1mg. Não adiantava diminuir o café ou fazer exercícios físicos até me extenuar:  na hora de dormir o corpo pedia mais cedo ou mais tarde o benzodiazepínico, e ficava revirando na cama até me dar por vencido e tomar o pedacinho restante do comprimido. Então, quando passei a tomar o cloreto de magnésio antes do diazepan, já sentia um soninho gostoso e um relaxamento muscular que me permitiu conseguir finalmente chegar a 1mg. Existe também o cloreto de magnésio dilamato, que algumas pessoas dizem não dar muito sono. Então uma combinação seria ideal, tomando o CM dilamato durante o dia e o comum antes de dormir. Vale ressaltar que o cloreto de magnésio em pó tem que ser o PA (para análise), que está livre de impurezas. Meu sono atual está com uma qualidade razoável. 
   O diazepan e outros ansiolíticos dessa família são indicados para serem tomados por apenas um período, mas, infelizmente, muitos médicos não nos alertam sobre essa fato e acabamos ficando dependentes física e psicologicamente desse medicamento. O Brasil é campeão mundial no uso do rivotril. Consegui a receita na minha primeira consulta depois que tive os surtos. Disse que estava com dificuldades para dormir, e o psiquiatra, sem questionar nada, preencheu a receita. Essa minha primeira consulta demorou apenas uns 10 minutos, ou até menos...
    Na época pensava que o diazepan era um medicamento milagroso que iria me fazer dormir o sono dos justos ou dos anjos sei lá. Que iria me fazer esquecer de todos os meus problemas por pelo menos uma noite. E não é bem assim que as coisas funcionam... 
    Obviamente se deve ter alguns cuidados no uso desse mineral. Algumas reações adversas podem acontecer, dependendo da dose que se toma no início. Os especialistas afirmam que é o efeito "detox". No meu caso em particular senti um pouco de tontura no começo, pois estava tomando o cloreto de magnésio em pó. Depois que comecei a tomar em cápsulas esse problema foi solucionado. Também tive prisão de ventre durante uns dez dias, mas também foi passageiro e hoje meu intestino está funcionando regularmente. 
    Aconselho a irem atrás do maior número de informações possíveis sobre o magnésio, pois tudo em excesso pode fazer mal. Além da quantidade, existem outros cuidados que temos que ter na hora de tomar, seja em cápsulas ou diluindo o pó na água. 
   Nas redes sociais existem grupos sobre o cloreto de magnésio, onde podemos obter essas informações e também depoimentos de pessoas que usarem esse mineral e conseguiram melhorias em suas vidas. 
   

3 comentários:

  1. Oi Júlio a clozapina já usou , hj fui ao médico ele me passou. Quais os efeitos colaterais? Conheço Olanzapina, Quetiapina, Haldol, Depakene. Todos já usei. Agora esse não cansada de experimentos. Hj mais calma li seu post. Vc se supera, escreve cada vez melhor. Abraço Lenice .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá
      Não cheguei a usar a clozapina não. Desisti dos medicamentos quando tomei a olanzapina, que é um medicamento muito caro e dormir por dois dias.
      A clozapina dizem que é usada quando todos os outros antipsicóticos não deram certo.
      Obrigado pelo elogio, a prática na escrita está me ajudando bastante.

      Excluir
  2. Obrigado por me responder.Olanzapina tomei, Quetiapina. Olanzapina além de muito cara, não deu muito certo pra mim era uma fome de leão e muita tontura. Quero pesquisar mais sobre outro medicamentos não tão agressivo. Tudo de bom abraço. Lenice.

    ResponderExcluir