quarta-feira, 12 de junho de 2013

Estrada Real:18º dia


25 de maio de 2013-sábado
Pouso Alto-São Sebastião do Rio Verde- Capivari-Itanhandu

    Pela primeira vez, nesta viagem, não tive ânimo para acordar. Esses dias cinzentas me deixam desanimado. Frio, muito frio, lá fora e dentro da barraca. Adio várias vezes em quinze minutos a hora de me levantar. Choveu a madrugada inteira. Ligo o celular para ouvir um som, mas as músicas, colocadas para tocar no modo aleatório, não ajudam: "A distância", "Os botões da blusa", do Roberto Carlos. São canções que eu gosto muito, caso contrário não estariam no meu celular. Mas não era o melhor momento para ouvi-las. Me dá uma preguiça quando o rei da música canta:
"Chovia lá fora
e a capa pendurada
assistia a tudo
não dizia nada"


      Chuva. Esta ai uma das coisas que eu tenho mais medo em uma viagem a pé, principalmente quando é tão longa como essa. Sabia que iria enfrentar noites frias, dias quentes, poeira, cansaço, dores, etc. Mas chuva, no sul de Minas e nesta época, eu não esperava. 
    O meu celular já está meio avariado, depois que comecei as minhas andanças. Não dá mais para acessar as seleções de músicas que eu fiz, de acordo com o gênero. Como já disse antes, meu celular é uma salada musical(até parece nome de programa de tv) e, nesta manhã, estava precisando de ouvir um bom heavy metal, para me deixar mais elétrico. 
    Planejo então o meu dia: 23km de estrada de terra até Itamonte. Não tive um bom sono. Para falar a verdade, nem dormi esta noite, por causa do frio. A barraca não foi aprovada no teste do frio do sul de Minas Gerais com chuva. Deixou entrar muito frio, apesar de ter conseguido bastante papelão. Sei que, daqui para frente, a tendência é que as temperaturas baixem ainda mais, principalmente a noite. 
    Depois de um bom tempo, crio coragem para me levantar. A chuva deu uma tregua e, quem sabe andando, o frio diminua um pouco. Muita neblina no caminho, e o dia parece que vai seguir nublado, se não chover de novo, já está de bom tamanho.
muita lama no caminho
     A estrada está com muita lama em alguns pontos. Meu chinelo fica pesado com o barro que fica agarrado na sola, sem contar que, a todo momento ele gruda na lama, quase soltando as tiras. As descidas se tornam muito perigosas, qualquer vacilo é um tombo na certa. 
    Apesar do barro e da lentidão em que estava caminhando, consigo chegar em Capivari pouco antes das onze horas. Almoço em um ótimo restaurante com fogão a lenha. Aos poucos, as nuvens cinzentas foram se dissipando e o sol finalmente apareceu, para minha alegria. No albergue de São Lourenço tinha ouvido que o tempo iria ficar fechado na região até segunda feira. Espero que estejam errados desta vez. 
    Depois do almoço, como sempre, o sono aparece e resolvo descansar em um passeio que está limpo. Ora ficava na sombra, ora ia para o sol. Foi daqueles dias em que sentimos frio na sombra e calor no sol. 
    Estava em dúvidas se iria para Itamonte. A planilha avisa que até hoje não foram colocados os marcos da estrada real naquele trecho(ô pessoal da estrada real, assim não dá!). Pode ser complicado ir a alguma cidade, principalmente em estrada de terra. Se ficarmos perdidos, como faremos se não houver alguma casa por perto?
    Estava me levantando, para sair da sombra e pegar um pouco de sol, quando uma viatura aparece com dois policiais para me abordarem. Já não me surpreendo mais(é a quarta vez nesta viagem) e reajo com naturalidade. Eles fazem as mesmas perguntas de sempre e depois começamos a conversar sobre a estrada real. Eles me aconselham a ir direto para Itanhandu, seguindo uma ferrovia desativada. Dizem que perderia quase um dia indo para Itamonte.
asfalto complicado de caminhar para Itanhandu
     Resolvo seguir o conselho dos policiais, mas vou pela BR mesmo, com receio de me perder na ferrovia, sem os marcos da estrada real. Mas a BR de Capivari a Itanhandu é bem estreita e os ônibus, principalmente, passam na maior velocidade por ela, podendo causar algum acidente com pedestres. Não recomendo a ninguém que siga por essa rodovia.
   Por volta de uma hora da tarde, chego a Itanhandu e constato que a ferrovia segue em paralelo com a rodovia, e que o caminho era bem mais fácil. Encontro um posto de gasolina e consigo tomar um bom banho quente, que me deixa com as energias renovadas.

a simpática cidade de Itanhandu
      Depois, já dentro da cidade, ao passar por uma ponte, ouço alguém gritar o meu nome. Achei aquilo estranho, pois nunca havia passado naquela região antes. Mas, ao olhar para o lado, reconheço os dois policiais que haviam me abordado em Capivari. Me cumprimentam com um largo sorriso. Como mineiro, sinto orgulho de morar no estado que tem uma das melhores(senão a melhor) polícia do Brasil. O viajante da estrada real pode encontrar na PMMG um aliado na caminhada. É até recomendável que tirem suas dúvidas sobre o caminho com os policiais, por conhecerem melhor a região. Mineiro é sempre bom e muito prestativo na hora de dar informações, mas tem horas que alguns exageram nos detalhes, e, se deixar, ficam meia hora para nos explicar tudo. É importante também, ao pedir informações sobre como chegar a um determinado lugar, dizer que você quer seguir pela estrada real, caso contrário, é bem provável que a pessoa, ou até mesmo os policiais, te indiquem o caminho mais usado para se chegar a cidade. A estrada real dá muitas voltas, sai do caminho principal, faz tipo um U, e depois volta ao caminho principal, aumentando e muito a distância entre uma cidade e outra.
    Antes de começar as minhas viagens, eu morava em uma cidade do interior de Minas Gerais chamada Ipatinga. Eu morava em um bom quarto, tinha TV, um bom computador e um frigobar. Mas, nos últimos anos, não estava tendo uma coisa importantíssima e que prezo muito: a paz. O local, aos poucos, foi tomado pelo tráfico de drogas, principalmente o crack, que é um inferno de verdade. Tive que ir embora, depois de oito anos morando naquele lugar. Não tem como ficar batendo de frente com os traficantes, a vizinhança tem medo deles, e eu sozinho não tem como lutar contra aquilo tudo. A verdade é que eu estava mais seguro nas ruas do que ali dentro, cercado de traficantes, ladrões e usuários de crack, que ficam meio paranoicos de tanto usar drogas. Ficam com mania de perseguição também, pensam, por exemplo, que, quando pegamos no telefone, é para chamar a polícia para "caguetá-los". Frequentemente a polícia era obrigada a ir ao local, por causa das brigas e confusões que eles armavam. Teve uma vez que pegou fogo literalmente o lugar, pois um usuário ficou devendo para um traficante, e ai jogaram óleo diesel e botaram fogo no quarto do usuário. Mas sempre que a polícia aparecia ali e me abordavam, era com educação, não tenho nada do que reclamar. Não é babação de ovo, se eles fossem agressivos, eu falaria, como aconteceu uma vez quando estava com a minha barraca montada aqui em Belo Horizonte. Toda regra tem exceção.
    Voltando a viagem, passo um tempo em uma lan house e depois vou para a praça de igreja descansar um pouco e ver como é o local, para escolher um lugar tranquilo para montar a minha barraca. Itanhandu é uma simpática cidade, com ruas limpas e tranquilas, sem muito movimento de carros. Vamos ver como vai ser a noite na cidade, que promete ser bem fria.

tô chegando...


- Um dos posts mais acessados nos últimos dia está sendo o o post especial do dia dos namorados, que eu publiquei ano passado. Foi ai que me toquei que o blog já fez um ano. Obrigado a todos os que o seguem e os que o visitam esporadicamente. Vocês me ajudam a me sentir uma pessoa melhor. Muitos dizem que o que escrevo os ajudaram de alguma forma, mas o comentário é reciproco, podem ter certeza, fico feliz sempre quando vejo os amigos comentando ai nos posts. Passou-se um ano dos dias dos namorados, e o que teria que publicar não seria diferente, pois nada mudou no campo amoroso. Será falta de sorte? Ou por que sou um cara mais reservado mesmo? O importante é que não acho uma obrigação a pessoa ter alguém, claro que isso é muito bom e tudo, mas eu sinto que preciso de ficar só a maior parte do tempo. Mas, não é por que não me dei bem no amor é que não gosto de falar do assunto. Então, feliz dia dos namorados a todos aqueles que têm alguém para dividir suas alegrias e tristezas. Mas, lembrem-se, amem-se a si mesmos antes de tudo. O resto é consequência. Ai vai uma das canções do Yanni que mais gosto. Fazia tempo que nem falava dele né? Havia prometido não falar muito dele, não é por que eu gosto das músicas do cara é que todos irão gostar. Mas, o cara é fera né? Fala a verdade...




      - Música: Eterno es este amor  - Artista: Yanni


ETERNO É ESTE AMOR
Este mundo gira tão depressa
Olhares que se cruzam e se vão
As pessoas nem se vêem, não há tempo a perder
Nada dura muito neste plano
Quero ser a imagem que fica
Aquela com quem sonhas a cada anoitecer
Indispensável, única, absoluta
E nenhuma pode te amar tanto assim como eu
Porque eterno é este amor
Se nas noites frias de inverno
Há em seus olhos uma decepção
Só me chame e a seu lado estarei
Cuidando do seu coração
Quero ser a imagem que fica
Aquela com quem sonhas a cada anoitecer
Indispensável, única, absoluta
E nenhuma pode te amar tanto assim como eu
Quero ser a luz sobre seu travesseiro
A cada dia te ver acordar
Fazer interminável cada encontro, perpétuo
Tocaremos até o céu
Porque eterno é este amor
Quero ser a imagem que fica
Aquela com quem sonhas a cada anoitecer
Indispensável, única, absoluta
E nenhuma pode te amar tanto assim como eu
Porque eterno é este amor
Eterno é este amor
Eterno é este amor
Eterno é este amor

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  2. Oi Julio, tudo bem hoje??? espero que sim, gostei muito de teu post goste lo acontecido com os Policias som gente boa e algum dia llegara a tua vida el amor verdadeiro so tem fe um abraço Julio, e cuidate do frio uma vez mais perdoa meu portugues lembra você fico de responder em portuñol .... Hasta la vista..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Si, mi liembro de dizer-te que responderia lo comentário em portunhol. Yo creio que la maioria dos policiais som gente buena, pero simpre tien un ou outro que no cumpre suas funciones como deveria. Tu português estas bueno, estas dando para compriender-te, yo espero que o mi portunhol esteja mas ou menos correcto, que esteja pelo mienos compreensível. je je je je

      Excluir